Semae inicia teste em novo poço no Aquífero GuaraniÍcone de fechar Fechar

Abastecimento

Semae inicia teste em novo poço no Aquífero Guarani

Perfuração no Rastecimento - Em Rio Preto, 25% da água distribuída vem do Aquífero Guaranesidencial Palestra foi iniciada em 2018, por R$ 3,3 milhões


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

O Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto (Semae) iniciou os testes no nono poço do Aquífero Guarani, em Rio Preto. O novo reservatório de água da cidade fica ao lado do Residencial Palestra e vai atender moradores da região norte. A expectativa, segundo a autarquia, é que o poço produza 135 milhões de litros de água por mês. A perfuração custou R$ 3,3 milhões.

Segundo a gerente de planejamento, projetos e obras do Semae, Ceci Bueno de Caprio, o poço já foi perfurado, agora, a obra está numa etapa de contratação da bomba e dos painéis para que o poço comece a funcionar. "O poço do Palestra vai complementar a produção de água da região norte. Lá, temos em funcionamento três poços no Aquífero Guarani, um deles, o poço Penha, teve um decaimento grande na produção nos últimos anos. Hoje, ele produz de 20 a 30% do que ele produzia anteriormente. Com esse nono poço, a expectativa é que reponha o que era o Penha", destacou Ceci.

Atualmente, 25% da captação de água de Rio Preto vêm do Aquífero Guarani. "Acreditamos que até o final do ano estamos com ele finalizado, mas depende muito do fornecedor dos materiais que faltam", disse a gerente.

Entre os oito poços do Aquífero Guarani em funcionamento estão o da Estação de Tratamento de Água (ETA), Penha, Urano, Borá, Solo Sagrado, Alto Alegre, Santo Antônio e Cristo Rei. Outros dois poços estão previstos para serem perfurados nos próximos anos, um na região leste e outro na região sul. "A gente já está solicitando outorga [licença de perfuração] do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) para o poço da região sul", destacou Ceci.

Também foi concluída a construção de cinco quilômetros de adutora interligando o Residencial Palestra ao Eldorado. A obra visa a complementar o sistema de abastecimento no município, levando água dos centros de produção na região do Residencial Palestra, onde está sendo perfurado o poço do Aquífero Guarani, ao Sistema Eldorado. A expectativa é que a nova adutora beneficie direta e indiretamente aproximadamente 100 mil pessoas.

Além do Aquífero Guarani, 25% da captação de água de Rio Preto vêm da Represa Municipal e outros 50% de poços no Aquífero Bauru, que possuem menor profundidade. Sem contar os inúmeros poços particulares, que também captam água para condomínios, sítios e chácaras da cidade. O Semae estima que sejam pelo menos 2 mil poços particulares na área urbana de Rio Preto.

Distribuição de água em Rio Preto

  • 25% do abastecimento vêm de captação na Represa de Rio Preto, por meio da Estação de Tratamento de Água (ETA)
  • 25% vêm do Aquífero Guarani, com oito poços com mais de mil metros de profundidade (o nono vai entrar em operação)
  • 50% do abastecimento vêm de captação no Aquífero Bauru, através de 370 poços de aproximadamente 120 metros de profundidade

Fonte: Semae.