Papai noel existe?Ícone de fechar Fechar

Criança e adolescente

Papai noel existe?

Saiba até quando é saudável manter o conto no imaginário infantil


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

A magia do Natal está espalhada por todos os lados. Com ela não faltam histórias e representações sobre duendes ajudante, trenós e também do bom e velhinho que passa a noite de Natal em seu trenó, entregando presentes as crianças que se comportaram bem durante o ano.

O Papai Noel é uma fantasia muito comum no imaginário infantil, e faz parte de uma das festas mais esperadas do ano. A forma de espera varia segundo a tradição de cada país, mas o fato é que todas esperam ansiosas pela chegada do bom velhinho. Mas até que ponto é saudável manter o conto real para as crianças e quando é a hora certa de contar a verdade para eles?

Para a psicóloga Susi Andrade é preciso esperar alguns sinais que a criança emite para falar a verdade. "Quando ela começa a perguntar ou outras crianças comentam é o momento. Não existe um tempo exato para manter essa fantasia. É saudável até o ponto que a criança se permite acreditar e promove imaginação e criatividade nela", explica. Ao contrário do que muita gente pensa dizer a verdade para as crianças não irá deixá-las traumatizadas. "Se você explicar que se trata de um conto, não irá causar um trauma. O que pode causar é a frustração, caso não seja respeitado o momento da criança", diz ainda.

"A recomendação é que essa fala venha quando a criança passa pela transformação do universo mais lúdico e mágico da primeira infância, para o período de relação e entendimento mais concreto do mundo, isso acontece em torno dos 6 a 7 anos de idade", sugere a biopsicóloga e psicoeducadora Etienne Janiake. Quando a criança começa a duvidar da existência dele, é um bom momento.

Frustração faz parte

É preciso revelar após perceber que a própria criança já está em dúvida. Temos de ensinar que frustração faz parte da vida e que é preciso lidar da melhor forma possível", explica. A profissional diz que os pais podem sinalizar para as crianças que existe uma distância entre a imaginação, criatividade e a realidade. "Podemos explicar que as vezes uma pode interferir na outra, mas não anular a outra. A imaginação é fundamental e saudável para todo indivíduo, independentemente da idade", sugere Susi Andrade.

Tratando-se da imaginação e criatividade de cada individuou não existem limites. "Devemos ser livres para acreditarmos em que quisermos, mas desde que não saia da realidade mantendo os pés no chão", explica a psicóloga. A verdade pode ser contada de diversas formas quando a criança estiver pronta para saber. "Pode ser contando uma história, uma experiência de vida, até mesmo filmes podem ajudar nestes casos. O que vale é entender os sinais dados pelos pequenos para saber como e quando contar", diz.