Médicos da Universidade Brasil entram em greveÍcone de fechar Fechar

FERNANDÓPOLIS

Médicos da Universidade Brasil entram em greve

Profissionais de várias especialidades não compareceram ao trabalho nesta segunda-feira porque os salários estariam atrasados


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Médicos pagos pela Universidade Brasil, de Fernandópolis, para trabalhar na unidade básica de saúde (UBS) Pôr do Sol, na cidade, entraram nesta segunda-feira, 2, em greve, pois a universidade não estaria pagando seus salários. 

A reportagem apurou que 25 profissionais não compareceram ao posto para trabalhar hoje. São cardiologistas, endocrinologistas, cirurgiões gerais, neurologistas, psiquiatras e pneumologistas. O atendimento á população está suspenso na unidade que fica no Jardim Residencial Pôr do Sol. 

Em nota, a Universidade Brasil diz que lamenta os prejuízos causados à população e "que, desde o mês de junho/2019 a Santa Casa de Fernandópolis não paga os salários devidos", afirmou. Ainda no texto, a Universidade Brasil disse que os salários de setembro e outubro ainda não foram pagos porque a instituição está analisando e revisando a documentação e as atividades discentes de todos os alunos de medicina. "Somente quando a documentação tiver sido revisada e assinada pela Pró Reitoria Acadêmica e Administrativa os pagamentos serão liberados", informou.

Em novembro, o Ministério da Educação (MEC) cortou de 205 para 128 o número de novas vagas anuais do curso de medicina da Universidade Brasil, atendendo a recomendação do Ministério Público Federal (MPF), que junto com a Polícia Federal (PF) investiga a faculdade por esquema de venda de vagas, fraude no Fies, no ProUni e na prova do Revalida, que serve para que médicos formados no exterior possam exercer a profissão no Brasil. O reitor e mais 22 pessoas chegaram a ser presas na operação, chamada de Vagatomia.