Justiça marca júri de policial para 30 de abrilÍcone de fechar Fechar
    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

O júri popular do policial militar Alexandre Mendes e do entregador Adriano da Rocha, réus pelo assassinato do morador de rua Bruno Alves de Campos, em 2014, tem uma nova data: 30 abril de 2020, às 10h. O julgamento foi remarcado pela segunda vez depois que o delegado do caso, Éder Galavotti, testemunha chave do Ministério Público, não pôde comparecer na sessão do dia 28 de novembro.

A nova data foi publicada nesta segunda-feira, 2, no site do Tribunal de Justiça. No despacho, a juíza da 5ª Vara Criminal, Gláucia Vespoli de Oliveira, também homologa a desistência de uma testemunha de defesa. A juíza ainda acatou o pedido de justiça gratuita feito pelo PM.

O policial e o entregador são acusados de matar o morador de rua na praça da Figueira, na Santa Cruz, região central de Rio Preto. Alexandre foi denunciado em 2017 por homicídio qualificado e ambos foram denunciados por fraude processual. O MP sustenta a tese de que, depois dos disparos, eles plantaram uma faca na cena do crime para forjar legítima defesa. A versão foi desmentida por testemunhas.