SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 19 DE MAIO DE 2022
Saúde

Sua unha encrava?

É possível prevenir e tratar essa condição dolorosa

Gisele Bortoleto
Publicado em 08/12/2019 às 00:30Atualizado em 08/06/2021 às 03:02

Você tem ou conhece quem sofra com essa condição tão dolorosa, a unha encravada? Basta colocar um sapato mais apertado e pronto, já começa a doer e a latejar. O nome correto é onicocriptose, um quadro em que a pele do lado da unha cresce ao longo da borda da unha, ou quando parte da unha cresce na pele. Meias apertadas ou sapatos com biqueira e caixas anteriores estreitas podem agravar o desconforto. Unhas encravadas podem ocorrer em qualquer idade e sexo.

Sinais e sintomas

Não é difícil identificar a condição: dor na área lateral da unha, geralmente no dedão do pé (hálux). A unha pode aparecer de forma irregular e menor do que o normal, como se estivesse partida ou como se parte dela estivesse enterrada sob a pele nas bordas e/ou ponta do dedo. "A dor e a sensibilidade na área podem começar como uma pequena irritação e progredir para o ponto onde usar certos sapatos torna-se desconfortável ou mesmo intolerável", explica a ortopedista Ana Paula Simões, professora da Faculdade de Ciências Médicas Santa Casa de São Paulo.

Em alguns casos, o dedo do pé pode apresentar edema excessivo, vermelhidão ao redor da área ou sensação de calor ao toque. Neste caso, o machucado pode estar infeccionado e a área precisa de atenção.

Quais as causas, afinal?

Geralmente, a causa mais comum de unhas encravadas é o corte de forma incorreta, de modo que elas cresçam em um ângulo agudo contra a pele. "Ao longo do tempo, a unha vai perfurá-la, fazendo com que a dor esteja sempre associada a esta condição", diz a ortopedista Ana Paula Simões.

"As unhas devem ser cortadas em linha reta, pois isso evita que ela fique encravada. É necessário retirar o esmalte um ou dois dias antes da próxima esmaltação, para que elas consigam se recuperar a tempo. É importante visitar um podólogo com frequência para evitar problemas como unhas encravadas, calosidades e problemas pelo uso de calçados inadequados", recomenda a podóloga Karina Barros.

Outro ponto importante é a eliminação de peles e excesso de cutícula. "A forma correta com que as unhas são cortadas evitam diversos problemas, como unhas encravadas, que são ocasionadas geralmente por excesso de pele ou pela própria curvatura", diz a podóloga Maria Pinheiro.

Certos tipos de pé ou de pisada podem ter uma tendência maior a encravar a unha. Em alguns casos, a unha é demasiadamente grande para o dedo do pé. Em outros, os pacientes têm deformidades nos dedos, como na artrite. Um trauma no dedo do pé também pode dirigir pedaços de unha na pele e "treiná-la" a crescer desta maneira.

Independentemente do motivo que causou, a condição pode se agravar se não for tratada. O ambiente da maioria dos sapatos (com pouca ventilação ou desconfortáveis) acrescenta bactérias. Adicione estes micro-organismos a um dedo do pé já ferido, em uma área escura quente e úmida, onde o ar não circula.

Dá para tratar

Se não houver infecção, você pode primeiro limpar o pé cuidadosamente com água e sabão. "Em seguida, mergulhe o pé em um banho quente de água salgada, isso ajuda a fazer um contraste e aliviar as dores", sugere Ana Paula Simões. Seque o pé cuidadosamente e aplique um antisséptico suave. Enfaixe o dedo cuidadosamente (e não muito apertado). Este procedimento deve ser repetido pelo menos três vezes por dia. Existem vários remédios que ajudarão a endurecer a pele e reduzir o tecido mole ao longo da borda da unha, de modo que ela cresça normalmente. "Há também ataduras comerciais especiais que irão amortecer a área e manter a unha, evitando que seja conduzida para dentro da pele", diz a médica.

Se o tratamento não funcionar ou se há suspeita de infecção, é essencial consultar um médico. Em alguns casos, o especialista pode cortar ou remover um porção da unha infectada com um procedimento cirúrgico no consultório. "No caso de alguns pacientes que apresentam dores crônicas ou unhas deformadas encravadas há longo tempo, é necessário procedimento cirúrgico, onde o médico reforma a unha a fim de estreitá-la, reduzindo a probabilidade de que cresça na pele [cantoplastia]", diz Ana Paula.

Prevenção é tudo

Mantenha as unhas aparadas em linha reta regularmente, usando cortadores projetados especificamente para esse fim; Não corte os lados das unhas. Se perceber o início de uma unha encravada, corte; Nunca puxe a unha. Ao longo do tempo ela cria um caminho; Proteja seus pés de traumas e use sapatos com espaço suficiente no antepé; Examine seus pés regularmente. Observe qualquer vermelhidão, inchaço ou descoloração; Flexione os dedos dos pés e verifique se há alguma dor ao caminhar, correr ou até mesmo em pé. Se houver, faça uma verificação rápida nos dedos do pé, com especial atenção para a aparência das unhas e da pele ao seu redor.

Fonte: Ana Paula Simões, ortopedista

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por