Diário da Região

07/11/2019 - 00h30min

TRISTE RECORDE

Brasil tem 13,5 milhões de miseráveis

Conceito de pobreza extrema inclui pessoas com ganhos inferiores a US$ 1,90 por dia

Divulgação/Alina Souza/Palácio Piratini Mesmo quem recebe Bolsa Família está abaixo da linha de pobreza global
Mesmo quem recebe Bolsa Família está abaixo da linha de pobreza global

O Brasil atingiu nível recorde de pessoas vivendo em condições de miséria no ano passado, 13,537 milhões de brasileiros, contingente maior do que toda a população da Bolívia. Os dados divulgados nesta quarta, 6, são da Síntese de Indicadores Sociais (SIS), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O País tem mais miseráveis do que a soma de todos os habitantes de países como Portugal, Bélgica, Cuba ou Grécia.

"A pequena melhora no mercado de trabalho não está chegando a essas pessoas, está pegando pessoas já numa faixa [de renda] mais alta. A extrema pobreza cresce", disse André Simões, gerente da Coordenação de População e Indicadores Sociais do IBGE.

A pesquisa do IBGE considerou a classificação do Banco Mundial para a pobreza extrema: pessoas com rendimentos inferiores a US$ 1,90 por dia, o equivalente a cerca de R$ 145,00 mensais - na conversão pelo método de "paridade de poder de compra" (PPC).

A conversão pelo PPC dá um valor diferente da que usa a cotação diária do câmbio comercial. Nesse método, é levado em conta o valor necessário para comprar a mesma quantidade de bens e serviços no mercado interno de cada país em comparação com o mercado interno dos Estados Unidos. Como os cortes de pobreza do Banco Mundial foram fixados em 2011, o IBGE usou a taxa de conversão pelo PPC daquele ano e atualizou os valores pela inflação, para chegar aos R$ 145 mensais.

"O principal programa de redução de pobreza do Brasil tem uma linha de corte de R$ 89,00. Mesmo a pessoa recebendo Bolsa Família, ela vai estar abaixo de uma linha de pobreza global. Está bastante longe dos R$ 145,00. A linha usada para administração do Bolsa Família está abaixo da linha de pobreza internacional", lembrou Leonardo Athias, técnico na Coordenação de População e Indicadores Sociais do IBGE.

O Bolsa Família, voltado para a redução da extrema pobreza, atende às famílias com renda per capita de até R$ 89 mensais. Famílias com renda per capita entre R$ 89,01 e R$ 178,00 mensais podem ser contempladas só se tiverem crianças ou adolescentes até 17 anos. O porcentual de famílias que recebem Bolsa Família caiu em sete anos, pelo IBGE, passando de 15,9% dos lares brasileiros em 2012 para 13,7% em 2018.

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos três primeiros meses. Após o período R$ 19,00
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo e
ganhe + matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos três primeiros meses. Após o período R$ 19,00

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para acessar o Diário da Região.