Valdomiro deixa toca e inicia articulações para 2020Ícone de fechar Fechar

COLUNA DO DIÁRIO

Valdomiro deixa toca e inicia articulações para 2020


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

O ex-prefeito Valdomiro Lopes (PSB) saiu da toca. Na terça-feira, 26, ele mandou seu ex-chefe de Gabinete Alex de Carvalho à Câmara de Rio Preto conversar com o presidente da Casa, Paulo Pauléra (PP). Nesta quarta, 27, o próprio Valdomiro teria se reunido com o vereador Fábio Marcondes (PL). Os dois vereadores eram da tropa de choque do ex-prefeito no Legislativo na gestão passada.

Alex disse a Pauléra que Valdomiro acha que há espaço para enfrentar o prefeito Edinho Araújo (MDB) no ano que vem e que o chefe já começou a articular a candidatura, voltando a frequentar eventos públicos na cidade e a retomar contato com antigos aliados, como é o caso dos dois vereadores, que hoje, no entanto, fazem parte da base de sustentação de Edinho na Câmara. Marcondes, inclusive, tenta se viabilizar como vice na chapa do emedebista.

O encontro entre ele e Valdomiro teria ocorrido na manhã de ontem. Marcondes nega.

Apesar do favoritismo de Edinho, mesmo entre aliados do prefeito a avaliação é de que o único adversário que hoje teria capacidade para bater o emedebista é Valdomiro.

Na pesquisa Diário/PHD realizada no final de agosto e publicada em 1º de setembro, o ex-prefeito vem logo atrás de Edinho, em segundo lugar, com 12,4% das intenções de voto. O atual prefeito tem 30,7%.

O maior problema de Valdomiro, no entanto, é a rejeição, que bateu em 25,4% no mesmo levantamento, a maior entre 15 prefeituráveis que tiveram os nomes incluídos na pesquisa. A de Edinho é de 17,7%. A margem de erro da pesquisa é de cinco pontos percentuais para mais ou para menos.

 

Debate nas redes

A derrubada de emendas que aumentavam em R$ 5 milhões o orçamento da Secretaria de Educação gerou debate entre vereadores no Facebook. "Não votei contra a educação, o que foi votado foi uma emenda que não resolvia o problema", afirmou Pedro Roberto (foto) sobre as emendas propostas por Marco Rillo, que rebateu: "Pedro, não dá para agradar Deus e o diabo! Sem previsão orçamentária, não tem programa". O petista se refere a cumprimento de lei federal que define que a atividade extraclasse deve corresponder a 1/3 da jornada de trabalho dos professores.

No WhatsApp

A temperatura também subiu no WhatsApp em razão da exclusão das emendas do Orçamento. Circulou em perfis ligados ao PT cópia de troca de mensagens entre um professor e o vereador Anderson Branco (PL), que chamou o interlocutor de "socialista". "Comigo é assim, fala o que quer, ouve o que não quer. Falta de respeito. Estamos numa democracia, votei com minha consciência e exijo respeito. Me atacaram com palavras pesadas", afirmou Branco, que chegou a mandar o sujeito para o "inferno".

Tiozão

Presidente municipal do partido, Carlos de Arnaldo tem dado especial atenção à moçada da Juventude do PDT Rio Preto. Nesta quarta, 27, a galera retribuiu. "Hoje é o aniversário do @carlosdearnaldo e muito nos orgulha ter ele (sic) como nosso presidente (...). Queremos que esse dia seja repleto de felicidade", postaram. Questionado pela Coluna ontem, Arnaldo não quis revelar a nova idade.

Bola fora

O Movimento Brasil Livre (MBL) divulgou publicação nas redes sociais com crítica ao prefeito Edinho Araújo. O movimento afirma que ele não aderiu ao programa de escola cívico-militar do governo federal.

 

Ministro

A região está com um ministro no governo Bolsonaro. Júlio Semeghini (foto) ocupa interinamente o Ministério da Ciência e Tecnologia. Ex-deputado e ex-secretário de Estado em São Paulo nos governos tucanos, Semeghini é secretário-executivo do titular da pasta, o astronauta Marcos Pontes. O ministro interino é de Fernandópolis, mas há décadas vive entre São Paulo e Brasília. Pontes, que foi participar de reunião na Comissão Europeia de Comércio na Bélgica, retoma o cargo na segunda, 2.

Alívio

Relator do processo do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), o juiz José Horácio Halfeld aprovou as contas da campanha eleitoral do ano passado do ex-deputado estadual Orlando Bolçone (PSB), impugnadas pela Procuradoria Regional Eleitoral diante da grande concentração de doadores entre fiscais da Fazenda mesma profissão de Bolçone, que é aposentado. Segundo o juiz, Bolçone provou que os servidores são aposentados como ele e que as doações foram compatíveis com a renda de cada um.

Avante?

O juiz que aprovou as contas de Bolçone só não se atentou bem para o partido do ex-deputado. Em vez de PSB, anotou Avante.

 

A deputada estadual Beth Sahão (PT) diz que foi "estritamente político" o veto do vice-governador Rodrigo Garcia (DEM) ao projeto dela aprovado pela Assembleia Legislativa de São Paulo que concede descontos progressivos no IPVA a motorista que não comete infração de trânsito. "O projeto é viável financeiramente, sem contar que estimula o respeito às leis e a segurança no trânsito", afirmou a parlamentar em nota. Rodrigo rebateu. "O veto é totalmente técnico. Há renúncia de receita, gerando impacto aos cofres públicos, tanto do Estado quanto de municípios. Além disso, o projeto não apresentou medidas compensatórias do montante que seria renunciado com os descontos", afirmou em nota nesta quarta, 27.

Limpa-pauta - Além da sessão que marcou para esta quinta-feira, 28, o presidente da Câmara de Rio Preto, Paulo Pauléra (PP), afirmou nesta quarta, 27, que pretende realizar pelo menos três ou quatro sessões extraordinárias até o final do ano para limpar a pauta. Segundo ele, só com sessões ordinárias não haverá tempo para reduzir a fila de projetos que precisam ser votados. O recesso de final de ano começa dia 20.

Lei da fila no médico - O vereador Jean Dornelas (PSL) acrescentou clínicas ambulatoriais de pronto atendimento e emergência ao projeto que prevê um período máximo de 30 minutos para atendimento em clínicas médicas de Rio Preto. A proposta de Dornelas (foto) determina a distribuição de senhas com o horário de chegada e o de atendimento. A multa proposta é de 300 UFMs e 1.500 em caso de reincidência. Cada UFM é R$ 57,75.

Menos vereadores - Autor da proposta de emenda à Lei Orgânica do Município que reduz a quantidade de vereadores em Rio Preto dos atuais 17 para 13 até 2028, o vereador Fábio Marcondes (PL) quer pressa dos colegas da Comissão de Justiça na avaliação do projeto. A proposta foi para o vereador Jorge Menezes (PTB) e ainda tem de passar por Jean Charles (MDB) e Pedro Roberto (Patriota).

Mais prazo para PPI - A Câmara de Rio Preto vota nesta quinta-feira, 28, projeto de lei do Executivo que prorroga até o dia 23 o Programa de Pagamento Incentivado (PPI) do Semae, que prevê descontos de até 100% de juros e multas em dívidas atrasadas. Os vereadores avaliam ainda proposta que isenta idosos acima de 60 anos e os portadores de deficiência física do pagamento da Área Azul. O projeto é de Anderson Branco (PL).