Basquete sobre rodas do CAD estreia amanhã no BrasileiroÍcone de fechar Fechar

EM BUSCA DO TRI

Basquete sobre rodas do CAD estreia amanhã no Brasileiro

CAD Rio Preto disputa Campeonato Brasileiro de Basquete Sobre Rodas, em São Paulo, embalado pela conquista do Paulista. Estreia na segunda contra a Adap-GO


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Os meninos do basquete sobre rodas do Clube Amigos dos Deficientes de Rio Preto (CAD/Corinthians) estreiam nesta segunda-feira, 2, às 8 horas, na disputa do Campeonato Brasileiro da Primeira Divisão 2019. Atual vice-campeão e em busca do tri, o time rio-pretense tem jornada dupla em São Paulo: enfrenta pela manhã o Adap, de Goiás, e à tarde, às 15 horas, o APP Unipan Patos, de Minas Gerais. Os jogos são válidos pela Chave B. Os dois rivais foram promovidos à elite agora, sendo os goianos terceiros colocados na Segunda Divisão de 2018, e os mineiros vice-campeões.

Todos os jogos serão no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro. "Será meu quinto brasileiro, o segundo pelo CAD, e mesmo sendo novo, encaro naturalmente vamos brigar para conseguir esse título para Rio Preto", disse o pivô Eduardo Feijão, de 21 anos. "Sabemos o quão calorosa é a torcida do Corinthians e que vai nos apoiar, como foi no Paulista."

A Chave B ainda tem Gadecamp, de Campinas, a Adefego, de Goiás, e a ADF, do Pará. Pela tabela, na terça-feira, 3, o CAD pega os paraenses e, na quarta, 4, faz nova jornada dupla contra a Adefego e o Gadecamp. Os dois melhores da chave avançam à semifinal, que será na quinta-feira. "A gente treina todos os dias muito forte, é uma competição de alto nível, de muita força física e tática, e a gente está focado em conseguir o título", emendou Feijão.

Na Chave A do torneio está o atual campeão Magic Hands, Andef do Rio de Janeiro, CAD São Paulo, Candangos-DF e Adfima, de Alagoas, campeã da Segunda Divisão de 2018.

Bicampeão, tendo conquistado os torneios de 2015 e 2017, o time de Rio Preto vem embalado pela conquista do penta no Paulista, porém, com um tabu particular na modalidade para superar. Quem ganha o estadual não repete a façanha no mesmo ano no Brasileiro. O Magic Hands foi a vítima na final do Paulista deste ano (57 a 55), mas o algoz no último Brasileiro (70 a 51). "A gente vai superar esse estigma sim, a gente vai brigar pelo título brasileiro assim como fizemos no Paulista, que também contou com essas fortes equipes", disse o técnico Octávio de Paula.

 

CHAVE A

  • Magic Hands-SP
  • Andef-RJ
  • CAD São Paulo
  • Candangos-DF
  • Adfima-AL

CHAVE B

  • CAD Rio Preto
  • Gadecamp-SP
  • Adefego-GO
  • ADF-PA
  • APAD-GO
  • APP Unipan Patos-MG