Leão ganha força de trabalhoÍcone de fechar Fechar

DE OLHO NO PAULISTÃO

Leão ganha força de trabalho

Mirassol confirma permanência de Ricardo Catalá para o Paulistão e traz Marcelo Barbarotti para ser executivo de futebol. Clube analisará remanescentes da Copa Paulista e promete ir às compras


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Como era previsto, Ricardo Catalá seguirá seu trabalho à frente do comando técnico do Mirassol, mas ganhou um reforço na retaguarda para não decepcionar o torcedor no Paulistão de 2020. Marcelo Barbarotti foi anunciado nesta quarta-feira, 6, como executivo de futebol e dividirá as atribuições que eram de Ivan Baitello, que passa a ser coordenador de futebol, acompanhando o trabalho das categorias de base e da equipe profissional.

Catalá permanece pelo trabalho desenvolvido na Copa Paulista, onde levou o Leão às semifinais, com um aproveitamento de 56,9% dos pontos disputados. "A gente fez uma campanha boa, condizente com a grandeza do clube. Esteve por detalhes de disputar a final, que era um sonho maior do trabalho, mas o saldo é positivo pelo que fizemos no ponto de vista esportivo, de utilizar atletas da casa, gerar oportunidades aos nossos meninos", disse Catalá. "A gente começa agora a montagem do elenco, é um campeonato difícil, o maior estadual do País, estamos conscientes do nível de dificuldade, mas temos a intenção de fazer uma campanha boa, assim como foi na Copa Paulista."

Barbarotti, rio-pretense de nascimento, trabalhou no Rio Preto de 2012 a 2014, foi para o Grêmio Novorizontino em seguida, onde ficou até o término do Paulistão do ano passado, quando ao lado do técnico Doriva foi para Ponte Preta, onde ficou até o início de abril deste ano. "O Mirassol há alguns anos é referência no interior do estado, poder trabalhar aqui é uma grande oportunidade e uma honra", disse o novo executivo, que junto de Catalá e direção vai em busca de reforços para qualificar o elenco. "É meu quinto Paulistão, disputei A-2 e A-3 também, o Mirassol tem esse DNA e a gente quer conseguir agregar. Tive na Ponte Preta e você conhece atletas de nível técnico mais alto e vamos tentar trazer pra cá. Tem de agregar e respeitar a instituição e as pessoas que estão aqui."

O trabalho começa com a análise do elenco atual da Copa Paulista para saber quais atletas serão aproveitados ou emprestados, e as necessidades de cada setor e posição. "São várias cabeças imaginando essa montagem à frente, esse é o momento que é necessário agredir o mercado e buscar peças, elevar o nível técnico desse elenco", emendou.

Baitello, que foi técnico do Leão na primeira passagem pela elite, retornou ao clube como superintendente de futebol em 2015. "Está acontecendo essas mudanças no clube porque está crescendo, traz um profissional pra agregar e distribuir funções. Já exercia [a coordenação], mas não tão fidedigna, tinha outras atribuições", disse Baitello. "Nos últimos anos, o Mirassol vem fazendo um trabalho que não atinge o que almejada, mas a competição proporciona isso, pois é o estadual mais difícil do Brasil."

O Mirassol voltou à elite em 2017, conseguiu a vaga para Série D do Brasileiro de 2018, mas nos dois últimos anos escapou do rebaixamento na última das 12 rodadas da 1ª fase. Ano passado foi vice-campeão do Troféu do Interior - perdeu da Ponte Preta.