Leão quer Catalá para o PaulistãoÍcone de fechar Fechar

APÓS ELIMINAÇÃO

Leão quer Catalá para o Paulistão

Derrota para o XV de Piracicaba tirou Mirassol na semifinal da Copa Paulista


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Após a eliminação nas semifinais da Copa Paulista, a prioridade do Mirassol é definir a permanência e sequência de trabalho do técnico Ricardo Catalá para o Paulistão de 2020. O Leão ficou fora da decisão depois da derrota de 1 a 0 para o XV de Piracicaba, na noite de sábado, 2, na casa do rival - o primeiro jogo havia terminado empatado em 2 a 2. Mas o trabalho desenvolvido pelo técnico, em uma das melhores participações do time na competição, fizeram com que o clube quisesse sua permanência. "Vamos ver a intenção dele depois desse resultado. Nossa intenção é que ele continue, gostamos muito do trabalho dele", disse o presidente mirassolense, Edson Antônio Ermenegildo.

Catalá, 36 anos, foi auxiliar técnico do Red Bull de 2013 a 2018, quando assumiu a equipe profissional. No comando do Mirassol nesta Copa Paulista  foram 24 jogos, com 11 vitórias, oito empates e cinco derrotas. Um aproveitamento de 56,94%. "Foi uma das melhores participações nossa em Copa Paulista e por detalhes acabamos não atingindo o objetivo de chegar à final", disse Ermenegildo. "Primeiro vamos definir a comissão técnica e definido isso vamos começar a remontagem do elenco pensando no Paulistão."

Do elenco que disputou a Copa Paulista, possuem contrato mais longo os atacantes Rafael Silva, Bruno Mota, Claudinho, Gabriel Taliari e Paulinho, os meio-campistas João Denoni, Juninho e Neto Moura, além do lateral-esquerdo Reverson. Dentre os pratas da casa, o goleiro Matheus Aurélio tem contrato até maio de 2021.

Esta foi a terceira semifinal alcançada pelo Leão, que em 2002, em uma competição com 16 clubes, perdeu para o São Bento - venceu nove de 14 jogos na primeira fase e viu o time de Sorocaba avançar com empate na somatória dos resultados (venceu por 3 a 2 no Maião e perdeu de 2 a 1 fora) por ter feito melhor campanha. Wanderley Paiva foi o técnico.

Em 2008, o Mirassol de Roberval Davino perdeu do mesmo XV de Piracicaba, com empate em 1 a 1 em Mirassol e revés de 3 a 1 jogando em Piracicaba. Naquela edição, 32 times brigaram pelo título, que ficou com o Atlético Sorocaba.

Neste ano, o XV de Piracicaba vai decidir o título com o São Caetano. Nesta edição, 24 clubes entraram na briga da Copinha, que dá ao vencedor o direito de escolher entre a Série D do Brasileiro ou Copa do Brasil de 2020.

 

XV DE PIRACICABA - 1

Luiz Fernando; Jefferson Feijão, Gilberto Alemão, Paulão e Peri; Fraga, Welligton Simão (Bruno Lima) e Cássio Gabriel (Danilo Bueno); Misael (Luizinho), Kadu Barone e Raphael Macena. Técnico: Tarcísio Pugliese.

MIRASSOL - 0

Matheus Aurélio; Weriton, Reniê (Ícaro), Victor e Renan; Maicon (João Denoni), Neto Moura (Gabriel Leite) e Juninho; Rafael Silva, Claudinho e Gabriel Taliari. Técnico: Ricardo Catalá.

Gol: Gilberto Alemão aos 26 minutos do 1º tempo. Árbitro: Márcio Henrique de Gois. Expulsão: Kadu Barone. Renda: R$ 126.630,00. Público: 10.270 pagantes. Local: estádio Barão da Serra Negra, em Piracicaba, na noite de sábado, 2.