Em mostra, fotógrafo Jorge Etecheber revela cidade invisívelÍcone de fechar Fechar

EXPOSIÇÃO

Em mostra, fotógrafo Jorge Etecheber revela cidade invisível

A mostra fotográfica 'O olhar sensível: O invisível da cidade', idealizada por Jorge Etecheber, entra em cartaz neste sábado e aposta na fotografia expandida em uma mistura de técnica e arte


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

O olhar recortado de um local conhecido da cidade pode ser capaz de estimular novos olhares. Esse é o convite que o fotógrafo Jorge Etecheber faz com sua nova exposição fotográfica "O olhar sensível: O invisível da cidade", que estreia neste sábado, 30, no espaço do novo terminal de transporte coletivo de Rio Preto e que fica em cartaz até o dia 29 de dezembro. O projeto contemplado pelo Prêmio Nelson Seixas/ProAC Municípios, tem a própria cidade e seus moradores como protagonistas. 

A exposição é fruto do projeto Mola, do Sesc Rio Preto, e foi concebida depois de dez meses de encontros, estudos e provocações cujo objetivo foi o de ampliar os limites do profissional para além da zona de conforto a partir de exercícios teóricos e práticos. Os encontros tiveram a coordenação do artista transdisciplinar Fernando Velásquez e do artista e pesquisador de novas mídias Lucas Bambozzi.

"Eu passei a desenvolver esse lado artístico através de técnicas fotográficas que já utilizava. Essas fotos nada mais são do que pontos da cidade conhecidos do público, que foram registradas com uma técnica conhecida como achatamento de plano, feito com uma lente teleobjetiva", explica Etecheber.

Por meio dessa técnica fotográfica, elementos que estão distantes um do outro parecem ocupar o mesmo espaço de maneira que se confundem. Um dos exemplos é o do Cristo Redentor, localizado no bairro Maceno, registrado como se 'abraçasse' os prédios da região central da cidade. Com 27 anos trabalhando com fotografia, Jorge Etecheber dedicou boa parte da carreira às áreas de moda e publicidade, por isso teve que passar por um processo de desconstrução para que o conhecimento técnico pudesse dar espaço também à criatividade artística.

"As fotos utilizadas estavam no meu arquivo há anos. No começo, eu não achava que aquilo era arte, por isso sofri um processo de encaixamento e desconstrução da fotografia. Com a orientação, conseguimos desenvolver a desconstrução e depois a junção das fotografias, para criar novas imagens", destaca.

A mostra consiste em quatro painéis de policarbonato transparentes, com dimensões de dois metros por um metro cada, que ocupam uma área de aproximadamente 3 metros quadrados e que possibilitam ao espectador observar através do material. Para isso, as fotografias foram impressas em adesivos transparentes e coladas aos painéis.

"Essa técnica possibilita que cada visitante possa fazer parte da composição ou mesmo fazer seu próprio enquadramento fotográfico, seja pela frente, pelo verso ou até mesmo a partir da sobreposição de todas as obras que ocupam o espaço expositivo. É uma forma criativa e instigante de repensar os olhares acostumados da população".

O fotógrafo explica que o espaço do novo terminal urbano de ônibus foi escolhido para dialogar com a arquitetura. O local onde os painéis foram montados é um espaço que terá grande circulação de pessoas, com passageiros à espera do embarque e com grande circulação de ônibus. Todas essas imagens acabam compondo a exposição, de uma forma que cada pessoa tenha uma experiência diferente e possa inclusive fazer parte da mostra.

"A exposição não possui uma sequência ou um lado de entrada, se a pessoa entrar pelo meio ela logo identificará o local já que são pontos conhecidos da cidade, mas depois de alguns instantes de observação percebe-se o verso da foto", explica o profissional.

A mostra é aberta e ficará disponível no horário de funcionamento do novo terminal de transporte urbano. Nos dias 9 e 16 de dezembro, das 11h às 13h e das 17h às 19h, o público poderá participar de visitas monitoradas com o idealizador da mostra que explicará seu processo criativo. Além de atuar nas áreas de moda e publicidade, Jorge também desenvolve o trabalho na área cultural, captando imagens de diversas manifestações artísticas, como teatro, dança, shows, artes plásticas e também ministra oficinas e cursos de fotografia.

Serviço

  • Exposição: O olhar sensível: O invisível da cidade. De 30 de novembro até 29 de dezembro. Na entrada principal do novo Terminal Rodoviário Urbano de Rio Preto