Mais de 31 mil candidatos farão a prova em 16 cidadesÍcone de fechar Fechar

Rostos do Enem

Mais de 31 mil candidatos farão a prova em 16 cidades

Chegou o grande dia para os estudantes de todo o País: 31.636 deles farão a prova em 16 cidades do Noroeste paulista; confira dicas para encarar o primeiro dia do exame


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Matheus, Larissa, João Pedro, Emily, Francisco, Letícia, Gabrielli e Daniela têm um sonho em comum. Ingressar em um curso superior. Para isso, todos estão desde o começo do ano se preparando para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). E o primeiro dia, do que pode ser considerado o grande dia da vida deles, chegou.

Assim como esse grupo de alunos, outros 31.636 pessoas farão a prova em 16 cidades do Noroeste paulista. A grande maioria são jovens prestes a concluir o ensino médio, mas também existem aqueles que pretendem voltar a estudar e enxergam no Enem uma ótima oportunidade. É o caso do motorista de aplicativo de João Pedro Jachetto Longo, de 23 anos. "Fiz o Enem quando tinha 18 anos, aí por diversos problemas de saúde eu precisei parar. Esse ano voltei a estudar no cursinho. Estou confiante", contou o aluno, que pretende cursar Física Elétrica.

Apenas em Rio Preto, 10.781 pessoas farão a prova entre esse domingo, dia 3, e o próximo, dia 10. Mas para encarar essa maratona de prova é necessária muita dedicação.

Francisco Daniel, de 17 anos, pretende concorrer uma vaga no curso de Direito da Universidade de Brasília (UnB). Para isso, desde o início do ano, ele faz aulas no cursinho comunitário Vitoriano, oferecido para alunos de escolas públicas da região. "Eu fiz um cronograma de estudos no começo do ano e fui estudando. Vamos ver como vai ser a prova", falou.

Letícia Gonçalves, de 18 anos, quer cursar Letras. "Fiz o Enem no ano passado como treineira. Esse ano decidi fazer o cursinho. Faço o terceiro ano do ensino médio de manhã e o cursinho à tarde. Estou esperando que a prova seja um pouco mais conteudista e me sinto preparada", disse.

Segundo o professor de língua portuguesa Henrique Faria Bello, neste primeiro dia de Enem, quando os candidatos terão cinco horas e meia para resolver 45 questões de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, mais 45 de Ciências Humanas e ainda escrever a redação, é necessário muito descanso para o grande número de leituras. "O primeiro dia é uma prova de muita leitura. O foco do Enem é justamente isso, a leitura e a interpretação das questões", afirmou.

O professor recomenda um caminho para a resolução das provas. "O aluno pode ler o tema da redação com atenção, encontrar esses eixos temáticos e fazer um projeto de apoio, o famoso rascunho. Aí ele dá um tempo e vai fazer as questões de Linguagens, Códigos e Tecnologias ou Ciências Humanas. Nesse meio tempo, o aluno pode perceber um erro de concordância, ortografia e acentuação na hora escrever a redação final", aconselhou Bello.

Mas e para conter a ansiedade? A psicóloga Mônica Soares destaca o apoio incondicional da família neste momento. "Aconselhamos aos pais para que diga ao filho o quanto ele é importante. Muitos jovens nesse momento depositam toda sua expectativa de vida nessa prova, e podem passar por sentimentos de baixa autoestima, fraqueza, impotência. É mais uma etapa da vida e, caso não dê certo, no ano que vem ele pode tentar novamente."

Já o professor de literatura do cursinho Vitoriano, João Paulo Moda Paladino, lembra da importância dos cuidados com alimentação. "O ideal são comidas leves e comer o menos possível, para evitar um mal-estar durante a prova. Além dos materiais necessários, como a caneta preta, é recomendado levar um chocolate e beber bastante água", lembrou.

De olho em uma vaga em Biologia na USP, Unesp ou Unicamp, a estudante Daniela Mariana dos Santos, 18 anos, se dedicou o ano inteiro. "No começo foi bem complicado para conseguir administrar o meu tempo."

A estudante Emily Rodrigues, de 19 anos, reforçou os estudos, principalmente com a revisão antes da prova. "Acho mais difícil administrar o tempo, é uma prova extensa e com muito texto. Vamos ver como será nesse ano", disse a estudante, que pretende ingressar no curso de Design.

Para o professor de Filosofia em cursinhos pré-vestibular de Rio Preto Vladimir Migues Rodrigues, o mais importante é, depois de estudar e relaxar, não se atrasar. Assim, o aluno não vai repetir a cena de quem todos os anos, por minutos e até segundos, perde a oportunidade de realizar a prova. "Digo ao candidato para não fazer nada de diferente e chegar com antecedência no local de prova. Que ele saia de casa, por volta das 11h para não ter imprevisto. O portão fecha às 13h. Boa sorte a todos", finalizou.

Dia 3

  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias
  • Ciências Humanas e suas Tecnologias
  • Redação
  • Duração: 5 horas e 30 minutos

Dia 10

  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias
  • Matemática e suas Tecnologias
  • Duração: 5 horas

Horário

  • 12h - abertura dos portões
  • 13h - fechamentos dos portões
  • 13h a 13h30 - procedimentos de segurança na sala de prova
  • 13h30 - início das provas
  • 19h - término das provas em 3/11
  • 18h30 - término das provas em 10/11
  • Horário de Brasília

Cidades com locais de prova

  • 210 no estado de São Paulo
  • 16 na região

Inscritos por cidades de locais de prova

  • Auriflama - 547
  • Barretos - 2.777
  • Bebedouro- 1.800
  • Catanduva - 2.873
  • Fernandópolis - 1.893
  • Ilha Solteira - 806
  • Jales - 1.449
  • José Bonifácio - 1.139
  • Mirassol - 1.144
  • Monte Aprazível - 730
  • Novo Horizonte - 775
  • Pereira Barreto - 521
  • Santa Fé do Sul - 621
  • Rio Preto - 10.781
  • Votuporanga - 2.603
  • Olímpia - 1.177
  • 5.095.304 no Brasil
  • 816.064 no estado de São Paulo
  • 31.636 na região

O que é proibido no Enem

  • Borracha, corretivo, chave com alarme, artigo de chapelaria, impressos e anotações, lápis, lapiseira, livros, manuais, régua, óculos escuros, caneta de material não transparentem dispositivos eletrônicos (calculadoras, agendas eletrônicas, telefones celulares, smartphones, tablets, iPods, gravadores, pen drive, mp3, relógio, alarmes)

O que é obrigatório levar para a prova do Enem

  • caneta esferográfica de tinta preta e fabricada em material transparente;
  • documento oficial de identificação, original e com foto

O que é aconselhável levar para a prova

  • Cartão de Confirmação de Inscrição
  • Declaração de Comparecimento impressa

Veja o que determina a eliminação

  • Prestar declaração falsa ou inexata
  • Perturbar a ordem no local de aplicação
  • Comunicar-se, de qualquer forma, com pessoas que não sejam o aplicador ou o fiscal, a partir das 13h
  • Utilizar, ou tentar utilizar, meio fraudulento em benefício próprio ou de outras pessoas
  • Recusar-se a entregar ao aplicador o cartão-resposta, a folha de redação e a folha de rascunho após 5 horas e 30 minutos de prova, no primeiro dia, e 5 horas, no segundo dia, com exceção das salas com tempo adicional
  • Não permitir que artigos religiosos (burca, quipá e outros) sejam revistados pelo coordenador
  • Portar, na sala de provas, objetos proibidos pelo edital
  • Usar óculos escuros e/ou artigos de chapelaria (boné, chapéu, viseira, gorro ou qualquer acessório que cubra os cabelos ou as orelhas)
  • Utilizar qualquer dispositivo eletrônico no local de provas
  • Ingressar na sala com o telefone celular e/ou quaisquer outros equipamentos eletrônicos fora do envelope porta-objetos
  • Permitir que o aparelho eletrônico, mesmo dentro do envelope porta-objetos, emita qualquer tipo de som, como toque ou alarme

Fonte: Inep

Nada de caneta azul. Essa é a primeira recomendação para quem vai prestar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste domingo, dia 3. Na prova, é obrigatório o uso de caneta esferográfica de tinta preta e fabricada em material transparente, além da apresentação de um documentação de identificação com foto.

Quem vai prestar a prova neste domingo deve se atentar também para algo que pode colocar tudo a perder: chegar no horário da prova. Por isso é preciso ficar de olho no relógio. As recomendações incluem ainda levar documentos pessoais e o cartão de confirmação de inscrição, esse por garantia.

Para a a hora da prova, os temas de redação também deixam muita gente na expectativa. "A redação do Enem sempre apresenta uma situação-problema e o estudante é colocado a criar propostas de intervenção para amenizar esse problema. Nessa proposta de intervenção é importante que esteja bem claro o agente, o modo como ele será feito, o efeito, a finalidade e o detalhamento", indicou o professor de língua portuguesa, Henrique Faria Bello.

Quem também está na expectativa da prova é o professor de filosofia e história Vladimir Miguel Rodrigues, que acredita em mudanças na prova em decorrência da troca de governo. "Na parte da história temos uma questão em aberto. O Enem costuma dar muita voz para questões de minorias, como negros e indígenas. Se isso não aparecer, devemos olhar para a forma de governo que Portugal impôs ao Brasil, como foi feito a independência do Brasil. A tendência é mudar o víeis ideológico. Mas vamos ver como vai ser", disse.

A estudante Gabrielli Alba Batista, de 18 anos, vai prestar o Enem pela segunda vez e deixa as dicas: " A parte mais difícil é a questão da ansiedade. Quando chega nessa parte do vestibular temos que confiar na gente e acreditar que dará tudo certo", falou a estudante que pretender cursar Psicologia ou Medicina.

Se a redação para você é um bicho-papão, calma! Aí vão algumas dicas de quem tirou nota mil na prova. A estudante Amanda Della Togna Torres, de 21 anos, hoje estudante do curso de Direito da USP, conseguiu entrar nesse seleto grupo: foi uma das 104 redações com nota máxima no Enem 2015, quando o tema foi violência contra a mulher. Na época, Amanda morava em Novo Horizonte e estudava em Rio Preto.

"Sempre gostei muito de ler e escrever, mas acredito que a redação do Enem precisa de uma técnica específica. Ela exige a proposta de solução no final, que você trate do tema de uma perspectiva mais social, e que você compreenda como aquilo interfere na sociedade". Segundo ela, o segredo é se atentar ao tema e não se perder durante a escrita. "Tente ler o tema com um pensamento de como aquilo afeta nossa sociedade, do motivo daquilo acontecer e o que temos que fazer para melhorar".

Quando tirou mil na redação, a estudante cursava o último ano do ensino médio. Ela até chegou a passar em universidades públicas, mas não na USP como queria. Resolveu fazer um ano de cursinho pré-vestibular. E conseguiu atingir o objetivo. "A gente fica ansioso na hora da prova, eu também ficava, mas digo para todos focarem na prova, na pergunta que tá ali, na redação que você vai escrever e não no que vai acontecer depois. Leve uma água, isso é muito importante. Tente manter a calma e esquecer o mundo lá fora", indicou Amanda.