Diário da Região

    • São José do Rio Preto
    • máx 29 min 17
29/11/2019 - 00h30min

TRANSPORTE

O mapa no novo Terminal Urbano

Com três anos de atraso e mais caro do que se esperava, novo Terminal Urbano de Rio Preto começa a funcionar neste sábado, 30. Veja o que tem e como funcionará a estrutura

O novo terminal urbano de Rio Preto, construído na antiga praça Cívica, começa a funcionar neste sábado, 30. Depois de três anos de atraso e ao custo de R$ 64,2 milhões - R$ 16,5 milhões mais caro do que a previsão inicial -, o novo espaço será apresentado à imprensa nesta sexta-feira, 29, pelo prefeito Edinho Araújo, o secretário de Trânsito, Amaury Hernandes, e o presidente da Empresa Municipal de Urbanismo (Emurb), Rodrigo Juliano. Não haverá cerimônia de inauguração. A manutenção do local está estimada em R$ 6,8 milhões por ano.

A entrada principal do novo terminal será pela rua Bernardino de Campos, por onde os usuários comprarão os bilhetes em seis guichês e terão acesso às dez catracas de acesso às plataformas de embarque e desembarque de cada linha dos ônibus do Consórcio Riopretrans.

Por essa entrada, o público também terá duas escadas rolantes e elevadores que dão acesso ao piso superior. À esquerda da bilheteria, funcionará um bicicletário para até 120 bicicletas. A estrutura fica ao lado da ciclovia entre as faixas exclusivas para bicicletas da avenida Philadelpho Gouvêa Netto e as faixas que margeiam a Represa Municipal, passando por trás do prédio da Biblioteca Municipal.

Outra entrada está na Philadelpho, onde fica a sala que abrigará uma nova base da Guarda Civil Municipal (GCM). Composta por escadas, a entrada também dá acesso à área externa do novo terminal e ao piso superior do espaço. "Essa entrada dá acesso simultaneamente ao bulevar, ao anfiteatro e áreas verdes, à rua Pedro Amaral [via passarela], ao prédio administrativo e às catracas da rua Bernardino [por meio de escada rolante e elevadores]", explicou o presidente da Emurb, Rodrigo Juliano.

Os dois pisos do novo terminal somam 28 mil metros quadrados. No piso superior, os usuários terão acesso a uma praça de convivência com bancos e arborização. A área também é composta por jardins, uma esplanada, um anfiteatro de 330 metros quadrados e com capacidade para 750 pessoas que "ficará à disposição da Secretaria de Cultura para agendar sua programação", afirmou o presidente da Emurb. No piso superior também foi construído um deck com 370 metros quadrados para descanso.

A passarela no piso superior citada por Juliano possibilitará o acesso ao antigo terminal de ônibus - que será reformado para funcionar como terminal para ônibus intermunicipais - e à Rodoviária. "Por lá [pela passarela] é possível acessar as escadas rolantes e os elevadores que dão acesso às catracas de entrada ao novo terminal", afirma Juliano.

Clique na imagem para ampliar  (Foto: Reprodução)

Circulação de ônibus

O novo terminal tem entrada e saída de ônibus tanto pela rua Bernardino de Campos como pela avenida Duque de Caxias. Os ônibus que vierem da região sul, por meio do viaduto Abreu Sodré, no prolongamento da avenida Alberto Andaló, entrarão no novo terminal por meio de um portão ao lado da Biblioteca Municipal. Esses veículos sairão para os seus itinerários pela Bernardino.

Já os ônibus com sentido à região leste da cidade (Represa e Damhas) sairão pela avenida Duque de Caxias, sentido avenida Lino José de Seixas. "[Nesse sentido] são bem poucos ônibus", afirmou o secretário de Trânsito, Amaury Hernandes. Os outros ônibus - maior fluxo de veículos - vão entrar e sair pelo acesso na rua Bernardino de Campos.

No espaço de embarque e desembarque são 80 bancos, 125 lixeiras para descarte correto de lixo e tomadas para recarregamento de baterias de telefones celulares. A Emurb, junto à Secretaria de Trânsito, instalou 16 totens de informações com 32 monitores para informações sobre o horário de chegada e partida das linhas em tempo real.

Com o início do funcionamento do novo terminal, a Secretaria de Trânsito informou que o miniterminal da avenida Bady Bassitt (no cruzamento com a rua Pedro Amaral) será desativado. A medida é necessária por conta de mudança no itinerário das linhas que passavam pelo local. Esses ônibus acessarão a região da Boa Vista por meio do viaduto da rua João Mesquita. A Secretaria orienta os passageiros que costumavam embarcar no miniterminal a seguir até o novo terminal urbano.

Segurança e acessibilidade

O novo terminal será inaugurado com 79 câmeras para registro das imagens dentro e fora do espaço. Em relação à acessibilidade, a Emurb informou que o complexo será liberado com acessibilidade para cadeirantes, pessoas com mobilidade reduzida e com deficiência visual. "São quatro elevadores e duas escadas rolantes, além de piso tátil em toda a extensão. Para a travessia das ruas internas foram construídas quatro lombofaixas", disse o presidente da Emurb.

Sustentabilidade

O novo terminal conta com dois reservatórios subterrâneos instalados na entrada principal com capacidade de armazenar até 450 mil litros de água da chuva - 175 mil retidos para evitar alagamentos e outros 275 mil reservados para o uso na limpeza das plataformas, irrigação das áreas verdes e nas descargas dos quatro banheiros públicos.

O novo espaço será inaugurado sem climatização. Segundo o secretário de Trânsito, o projeto inicial não previu esse item, apesar do clima quente da cidade. "Não foi projetado para climatizar. Mas vamos acompanhar para saber como vai ser. A estrutura é mais alta do que o atual terminal", finalizou.

Atual terminal será reformado

O atual terminal será reformado para ser usado apenas pelos ônibus que fazem o transporte intermunicipal. A licitação para a recuperação já foi aberta e prevê um gasto estimado em R$ 4,5 milhões.

Segundo o edital, o objetivo da reforma é possibilitar uma ligação direta com o novo terminal. Com a inauguração do novo terminal, o atual não receberá nem mesmo os ônibus da região sul, como chegou a ser cogitado pela Prefeitura.

De acordo com nota da Secretaria de Trânsito, depois de reformado, o atual terminal urbano vai ser usado pelos ônibus do tipo circular de cidades tais como José Bonifácio, Catanduva, Orindiúva, Urupês, Tanabi, Jaci, Neves Paulista, Onda Verde, Mirassolândia, José Bonifácio e Ipiguá.

A reforma do atual terminal urbano, segundo a Prefeitura, não tem relação com a revitalização da Rodoviária, a qual deve ser reformada com uma verba de R$ 5 milhões por emenda parlamentar. No recurso está incluída a recuperação da antiga estação ferroviária. (FP)

Sem comércio interno

No novo terminal urbano de Rio Preto não será possível comprar um cafezinho com pão de queijo ou simplesmente uma água gelada antes de chegar ao destino. O novo espaço começa a funcionar neste sábado, 30, sem nenhum tipo de comércio fixo em seu interior. A nova estrutura também não vai aceitar vendedores ambulantes. Do lado de fora, ao redor, também não há opções.

A decisão de colocar o novo terminal para funcionar sem estabelecimentos difere da atual estrutura, com a qual os 75 mil usuários do transporte público da cidade estão acostumados. Ao lado da entrada de pedestres no terminal antigo, os usuários tinham a opção de comprar salgados e outros produtos em lanchonetes do lado de fora das catracas.

Além disso, mesmo com placas informando a proibição do comércio ambulante, o antigo terminal conta com vários vendedores. No novo terminal também será proibido fumar.

Uma preocupação de passageiros é a segurança do novo espaço. "Tem que pôr mais guardas, mais seguranças do que a quantidade que tem no outro [atual terminal]. Nós que usamos nos preocupamos com a segurança", afirmou Sandra Aparecida Sanches, 44 anos, moradora do Jardim Nunes.

Arlinda Maria de Jesus, 64 anos, mora no Santo Antônio e trabalha do outro lado da rua do novo terminal. Nesta quinta-feira, 28, ela observava as entradas e os riscos da travessia na avenida Philadelpho Gouvêa Netto. "Do outro lado tem muita coisa de saúde, vai muita gente, poderiam ter feito uma passarela."

Ela também pede segurança. "Vamos ver como vai ser. A expectativa é boa. Vão ter que zelar pela nossa segurança", disse ao apontar para a praça Jornalista Leonardo Gomes, em frente à entrada da bilheteria, que serve de abrigo a pessoas em situação de rua e usuários de drogas. (FP)

Reforço em viaduto para receber mais ônibus

Mara Sousa 27/3/2019 Viaduto Abreu Sodré que, segundo estudo, apresenta falhas estruturais e precisa de obras urgentes. Ele deve passar por reforma em 2020
Viaduto Abreu Sodré que, segundo estudo, apresenta falhas estruturais e precisa de obras urgentes. Ele deve passar por reforma em 2020

O viaduto Abreu Sodré, que liga as avenidas Alberto Andaló e Philadelpho Gouvêa Netto, também passará por reforma para fortalecer a estrutura, já que apresenta problemas e vai ter aumento no fluxo de ônibus que passam pelo local. Neste ano, o Ministério Público pediu explicações da Prefeitura sobre falhas na estrutura e laudo técnico apontou necessidade de obras urgentes.

A Secretaria Municipal de Obras bancou a segurança do viaduto para tráfego dos ônibus e licitou a reforma com custo estimado em R$ 712,3 mil - 79,9% a mais do que a previsão inicial. A previsão para início dos serviços é para 2020.

De acordo com a pasta, o viaduto não ficará interditado durante as obras. A reforma da estrutura, principalmente por conta do fluxo de ônibus do transporte coletivo, vai expandir o viaduto - cada lado da estrutura vai ganhar cinco metros de largura, segundo o secretário de Trânsito, Amaury Hernandes.

A Secretaria Municipal de Trânsito também prevê a construção de uma alça de acesso para a rua Prudente de Moraes para o motorista que estiver no sentido Philadelpho-Andaló.

A ideia da alça é resolver o gargalo do trânsito que se forma na Andaló por conta de veículos que viram no sentido avenida da Saudade. Com o dispositivo, os veículos vão poder sair do viaduto direto para a rua Prudente de Moraes, entrar na Antônio de Godoy, pegar a rua Tiradentes para depois cruzar a Andaló sentido avenida da Saudade. "Não vão fazer mais aquela conversão à esquerda na Andaló, sentido Saudade, vai acabar com aquele problema", explicou o secretário. Com isso, o semáforo do cruzamento deixará de ser de três pontos.

A pasta também prevê a construção de uma rotatória, onde hoje há uma praça ao lado do Palácio das Águas, na Philadephlo Gouvêa Netto. Por meio desse dispositivo, será possível acessar a avenida, a rua São Paulo, a avenida Duque de Caxias e os lagos da Represa Municipal. "O projeto executivo está sendo feito, ainda não está pronto e depois vamos licitar essa obra", disse Hernandes. Segundo o secretário, ainda não há estimativa de custo. (FP)

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos três primeiros meses. Após o período R$ 19,00
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo e
ganhe + matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos tr�s primeiros meses. Após o período R$ 19,00

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por Você para acessar o Diário da Região.