Grupo Diário da Região   | terça-feira, 12 de novembro
IMG-LOGO
Home Saúde e Beleza
Saúde

Atenção: o desodorante que você usa pode causar danos à saúde!

Jéssica Reis - 09/11/2019 00:03

Formulações mais leves, ingredientes naturais e livres de componentes químicos, especialmente alumínio, parabenos e triclosan, além da maioria apresentar embalagens biodegradáveis e não ter suas fórmulas testadas em animais. Essas são algumas das características dos desodorante orgânicos e naturais.

E os benefícios não param por aí, esses produtos, além de priorizarem ingredientes naturais e até óleos essenciais, podem inibir o odor, sem fazer mal à saúde e ainda permitir a transpiração. Você não leu errado, a transpiração é uma função importante (e necessária) do organismo para eliminar toxinas e com o uso de alguns cosméticos, como os antitranspirantes, essa função natural é inibida. "Aliás, essa quebra de tabu de deixar de associar odor à suor é uma revolução quando trocamos um antitranspirante por um desodorante natural e orgânico. O que gera o cheiro ruim é a proliferação das bactérias. Para evitá-la, não precisamos inibir a transpiração e sim usar ingredientes que nos permitam suar, mas que sejam bactericidas, por exemplo. Por isso, a indústria consciente utiliza óleos essenciais como lavanda e tea tree, além de bicarbonato de sódio", afirma a jornalista e pesquisadora Marcela Rodrigues, editora do blog a Naturalíssima.

Luísa Aidar de Menezes Prado, proprietária da Botica Magnólia, em Rio Preto, cita outros ingredientes utilizados em desodorantes orgânicos e que não são nocivos à saúde como, óleos vegetais e leite de magnésia, que permitem a transpiração. "Esses ingredientes possuem agentes antimicrobianos que impedem a proliferação das bactérias causadoras do mau cheiro, o famoso 'cecê'. O mais legal é que você continua transpirando, afinal isso é uma função natural e importante para nossa saúde."

Um dos principais benefícios apontado pela dermatologista Renata Meneguete, da Duopelle, em Rio Preto, é que os desodorantes orgânicos e naturais não têm substâncias que possam causar dermatites de contato. "Nos desodorantes tradicionais existem substâncias que podem causar irritações e alergias e, segundo muitos estudos, age também como um disruptor endócrino (também chamados de desreguladores endócrinos). Os antitranspirantes possuem em sua composição sais de alumínio e derivados, triclosan e parabenos, além de fragrâncias. O parabeno é um conservante que tem sido abolido de vários produtos por seu alto poder alergênico. O FDA (agência dos Estados Unidos equivalente a Anvisa no Brasil) está revendo os dados sobre a eficácia e a segurança da substância antibacteriana", explica.

Segundo Siobhan O'Connor e Alexandra Spunt, autoras do livro "No More Dirty Looks", em 1990 um estudo associou o alumínio, ingrediente presente no antitranspirante para inibir a transpiração, ao Alzheimer. Em 2004, pesquisadores britânicos descobriram vestígios de parabeno em amostras de tecidos de mulheres com câncer de mama. A substância é um dos conservantes usados nos desodorantes industrializados. As autoras citam ainda outros componentes tóxicos como triclosan, um poderoso desregulador endócrino que é armazenado na gordura corporal, o talco, que pode estar contaminado com amianto e a fragrância, entre outros.

No entanto, segundo a dermatologista Renata, nenhum estudo epidemiológico realizado em seres humanos conseguiu estabelecer uma relação direta entre os sais de alumínio e o risco de câncer. "Apenas dois estudos com alto nível de evidência científica analisaram as consequências da aplicação regular de antitranspirantes, não havendo comprovação que o seu uso tenha influência do risco de desenvolver a doença", esclarece.

Já a fragrância, também citada pelas autoras como um dos componentes tóxicos, é responsável pelo aroma agradável dos cosméticos. Um estudo publicado em 2018 no Journal of Occupational and Environmental Medicine, realizada com 1.100 participantes concluiu que 25% das pessoas sofrem reações alérgicas a fragrância encontrada em aerosóis, como desodorantes. Entre os efeitos colaterais mais comuns estão ataques de asma, enxaquecas e problemas de pele.

Mudança de hábito

Para deixar de lado os desodorantes tradicionais, que podem causar algum mal à saúde, é necessário mudança de hábito, já que os produtos naturais necessitam de reaplicação mais vezes ao dia. "Aplique logo após o banho, espere secar e reaplique quantas vezes achar necessário. Cada corpo reage de um modo", ensina Luísa Aidar de Menezes Prado, proprietária da Botica Magnólia, em Rio Preto.

Nas prateleiras de lojas de produtos naturais é fácil de encontrar as versões naturais e saudáveis dos desodorantes. Eles estão disponíveis em barra, creme, roll-on ou spray. Em Rio Preto, os desodorantes orgânicos e naturais podem ser encontrados na Grindélia e na Villa Hortifruti. Há também sites especializados em produtos orgânicos e naturais como o Use Orgânico (www.useorganico.com.br), que oferece diversas opções de produtos. Há desodorantes a partir de R$ 13.

Conheça os principais componentes químicos dos desodorantes e antitranspirantes comuns e seus malefícios à saúde:

Alumínio (cloridrato de alumínio) - Os desodorantes e os antitranspirantes são os campeões nesse componente. Os produtos podem conter até 20% da substância no formato de cloridratos de alumínio e hidratos de zircônio. Segundo um parecer da American Câncer Society, esses componentes podem irritar a pele e levar ao desenvolvimento de infecções. E embora não existam estudos conclusivos, há pesquisas que associam o uso prolongado dessas substâncias ao câncer de mama.

Triclosan - Essa substância é usada com frequência em produtos de higiene pessoal. Segundo um estudo da Universidade da Califórnia, publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, além de causar irritações na pele, a substância é capaz de interferir nas funções dos hormônios reprodutivos; no fígado, causando danos graves, como a fibrose hepática e, ainda, desenvolver células cancerígenas. Foi proibida nos Estados Unidos em 2016 por estar relacionado ao aumento de bactérias resistentes a antibióticos.

Parabenos - Segundo o Food and Drugs Administration (FDA), do Departamento de Saúde e Serviços Humanos do governo dos EUA, o parabeno é uma classe de compostos químicos, normalmente utilizados como conservante, principalmente em cosméticos. Uma das discussões sobre esses compostos químicos é se eles são ou não cancerígenos. Há estudos que apontam que o consumo de produtos que têm parabenos pode causar alergias na pele e envelhecimento precoce.

Perfume - Fragrância ou perfume é uma mistura de vários produtos químicos com aroma. Segundo o site EWG, que fornece informações sobre ingredientes nos cosméticos, o perfume tem um alto nível de toxicidade. As misturas de fragrâncias são associadas a alergias, dermatites, problemas respiratórios e desequilíbrio no sistema reprodutivo.

Fonte - @anaturalissima

Para entender melhor

Desodorante - Reduz o odor e inibe a produção do mau cheiro, por isso é menos agressivo, pois não contém alumínio em sua fórmula. Eles são feitos, geralmente, com agentes antissépticos que combatem o crescimento bacteriano, responsável pela fermentação do suor.

Antitranspirante - Também conhecido como antiperspirante, além de eliminar o odor, bloqueia a saída da transpiração, fazendo com que o suor fique retido. Isso é possível por causa da presença de sais de alumínio, que têm o poder de fechar os poros. Quanto maior a quantidade do mineral na formulação do produto, mais potente e duradoura será sua ação.

Editorias:
Saúde e Beleza
Compartilhe:

MAIS POPULARES