Grupo Diário da Região   | quinta-feira, 24 de outubro
IMG-LOGO
Home Casa
Arquitetura

6 passos para montar uma cozinha profissional

A arquiteta Cristiane Schiavoni dá dicas para ter uma cozinha digna de chef

Da Redação - 24/10/2019 08:33

Para quem gosta de promover experiências gastronômicas em casa, ter uma cozinha digna de chef é passo fundamental para despertar novas inspirações, além disso, uma cozinha prática e funcional, facilita o processo de produção das receitas.

A arquiteta Cristiane Schiavoni, que assina o ambiente Cozinha das Sensações, na mostra Morar Mais por Menos, que acontece em São Paulo até 17 de novembro dá dicas de como montar uma cozinha profissional. Para a concepção do projeto, a profissional se inspirou no chef de cozinha Renato Caleffi, do restaurante Le Manjue, reproduzindo a cozinha da casa dele. “Para quem tem a cozinha como lugar favorito da casa e gosta sempre de fazer novas receitas, ter um espaço com características profissionais, mas, ao mesmo tempo, acolhedor é fundamental”, conta Cristiane.

Confira os seis passos essenciais eleitos por Cristiane para quem deseja montar a sua própria cozinha de chef.

Eletrodomésticos

Um chef de cozinha sempre tem ao seu dispor uma gama completa de eletrodomésticos, todos da melhor qualidade para o preparo de suas receitas. Assim, para a sua cozinha de chef, o primeiro passo é pensar nestes itens e em suas funcionalidades. “Já que a ideia é usar este ambiente para promover receitas, é bacana investir em bons eletrodomésticos, principalmente em um fogão ou cooktop e uma coifa de qualidade”, alerta a profissional.

Itens secundários como churrasqueira, fritadeira elétrica, mixer, liquidificador e balança também integram uma cozinha completa para o preparo de receitas, mas a arquiteta alerta que, para evitar gastos desnecessários, vale pensar o que de fato será usado. “Não adianta investir em equipamentos que não serão usados e só ocuparão espaço, já que deve ser um ambiente prático e funcional”, explica.

Bancada

A área de preparo é outro ponto importante em uma cozinha de chef. Para o manuseio dos alimentos e equipamentos, a bancada precisa ter um tamanho adequado para suas necessidades e ser feita com um material que suporte pressões no local. “Como este ambiente será muito utilizado, é válido optar por um material de fácil limpeza, higiênico, além de resistente a riscos e possíveis impactos”, explica Cristiane que, entre as inúmeras possibilidades, indica o vidro temperado com acabamento acidato, material usado na sua Cozinha das Sensações e que apresenta um ótimo custo-benefício.

Iluminação

Uma iluminação adequada também é primordial para o preparo de refeições, assim como para a segurança, já que é um ambiente em que utilizamos facas e outros elementos que podem ser perigosos.

Cristiane conta que a iluminação da cozinha deve, primeiramente, valorizar a luz natural do espaço. Todavia, é superválido investir em uma boa iluminação, principalmente nas áreas de preparo de refeições. “Eu indico trabalhar com uma iluminação geral e focos pontuais em espaços que precisam de mais atenção, como na bancada. Além disso, gosto de trazer spots e fitas de led para iluminar armários e prateleiras, uma medida que ajuda muito para localizar alimentos e utensílios”, conta.

A arquiteta ainda esclarece que é preciso ficar atento à temperatura de cor das lâmpadas. “Sugiro investir em uma lâmpada com temperatura neutra para a iluminação geral da cozinha, ou seja, nem tão branca nem tão amarela. Na hora de escolher, lâmpadas de LED são mais econômicas e sustentáveis”, conta Cristiane. Outra questão é a qualidade das lâmpadas e dos LEDs, preste atenção no IRC (índice de reprodução de cor), para que a cor dos alimentos sejam reproduzidas fielmente.

Para criar uma sensação de aconchego, vale também investir em pontos de luz amarelo com luminárias de cozinha, que ainda proporcionam estilo e bom gosto ao espaço. “Mas vale ressaltar que elas são mais decorativas do que funcionais e não supre a necessidade de uma boa luz branca”, alerta Cristiane.

Ventilação e circulação

É fato que a cozinha se tornou o lugar mais social da casa e o onde um bom chef, mesmo aquele das horas vagas, tem o prazer de receber convidados para provar suas delícias. Por isso, é fundamental que, independentemente do tamanho, o ambiente conte uma boa circulação e ventilação. “Para quem vai receber convidados, o espaço de circulação precisa ser um pouco maior para que não provoque esbarrões. E mesmo que a cozinha tenha como premissa apenas o preparo de refeições, respeitar dimensões mínimas contribui para a segurança do cozinheiro”, conta Cristiane Schiavoni que ainda sugere, se possível, colocar banquetas em volta do balcão para que os convidados possam observar e bater um papo durante o preparo.

A ventilação também é imprescindível quando falamos de segurança. Na área do fogão, se o escolhido for o gás de botijão, ele deve ser posicionado em um ponto de ventilação, de preferência, do lado de fora. Além disso, não pode faltar pontos de ar com janelas e boa ventilação. “A coifa pode acompanhar cozinhas com janelas pequenas e colaborar para situações em que o ambiente está integrado à sala. Porém, é preciso observar a potência adequada”, explica Cristiane.

Revestimentos

Na hora de escolher os revestimentos da cozinha, os cuidados devem ser redobrados já que, segundo Cristiane, o material deve suportar altas temperaturas e ser fácil de limpar. “O mercado oferece uma ampla gama de porcelanatos que permitem produzir cozinhas com a personalidade do cliente. Eu gosto muito desse material e escolhi um amadeirado para revestir as paredes, acompanhando o estilo da marcenaria”, conta a arquiteta.

No piso, o cuidado deve ser o mesmo, já que há uma grande circulação no espaço e a limpeza deve ser frequente. Dessa forma, é preciso que ele seja seguro, fácil de limpar e não apresente nenhuma irregularidade na peça e no assentamento.

Decoração

Além de dispor de eletrodomésticos selecionados no balcão, para inspirar um chef de cozinha vale apostar em uma decoração afetiva no espaço. Além de móveis e objetos retrôs, lembranças de viagens e peças de gostos pessoais preenchem a cozinha oferecendo aquela sensação gostosa de um abraço. “É um espaço que você deve passar muito tempo nele e ter essas características afetivas faz com você que se sinta parte dele”, conta Cristiane.

No ambiente Cozinha das Sensações, além de uma geladeira retrô original dos anos 50, que encantou Renato Caleffi e trouxe charme ao espaço, quadros e outras lembranças que remetem aos gostos do chef foram cuidadosamente selecionados pela arquiteta.

Editorias:
Casa
Compartilhe: