Efeito sanfona que mataÍcone de fechar Fechar

Saúde

Efeito sanfona que mata

Oscilações constantes de peso fazem mal para a saúde do coração


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

É comum que as pessoas com pressa para emagrecer busquem por dietas restritivas, sejam elas com baixos teores de gordura ou carboidrato, diminuição ou isenção de açúcar, jejum intermitente, entre outras. Mas engana-se quem acha que esta é a solução. Esses métodos extremistas não fazem bem à saúde e, como consequência, podem produzir o famoso "efeito sanfona". Esse 'ganha e perde' de peso pode comprometer, inclusive, sua saúde cardiovascular.

O emagrecimento saudável e duradouro exige dedicação, disciplina, mudança de hábitos e acompanhamento médico. "O emagrecimento é um tratamento que pode durar meses e possui três etapas: fase ativa de perda de peso, fase de manutenção do peso e fase de consolidação do peso perdido, com uma 'alta provisória' do paciente quando ele está apto a viver sua vida em equilíbrio", afirma a endocrinologista Fernanda Braga.

"Restringir a dieta a um só tipo ou grupo de alimentos pode até levar à perda rápida de peso no primeiro momento, mas, por falta de nutrientes importantes, pode gerar sintomas como fraqueza, mal-estar, alterações na pressão e hormonais", explica a nutricionista Marcela Tardioli. O efeito rebote ocorre quando o metabolismo entre em "alerta" diminuindo seu gasto calórico e estocando energia, afinal, não se sabe quando e como será a próxima refeição.

Estudo recente feito pela Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, avaliou como a oscilação de peso afeta sete fatores de risco para o coração, entre eles a qualidade da dieta, a prática de atividade física, o tabagismo, os níveis de colesterol e da pressão arterial. Foram acompanhadas 485 mulheres que relataram o número de vezes (sem contar as gestações) que perderam ou ganharam pelo menos 4,5 quilos no período de 12 meses. As participantes conseguiram menor pontuação, o que indica um maior risco de sofrer um AVC ou um infarto.

Mais estudos comprovam

Outra pesquisa publicada no periódico americano New England Journal of Medicine em 2017 comprovou que engordar e emagrecer com frequência aumenta o risco de problemas cardiovasculares e de morte prematura, especialmente entre pessoas que já apresentam fatores de risco para doenças do coração, como níveis altos de colesterol. Segundo o estudo, pessoas que entram no efeito sanfona com flutuação constante com mais de quatro quilos, por exemplo, têm uma incidência 124% maior de ataques do coração quando comparadas com aquelas que mantêm o peso estável a vida toda.

Um estudo, dessa vez feito na Coreia do Sul, acompanhou 3.678 pessoas por 16 anos e constatou que o efeito sanfona aumentava o risco de morrer precocemente por doenças cardiovasculares.

Dieta balanceada

A forma mais eficaz de não sofrer é evitar a perda de massa magra e priorizar a perda de gordura conciliando a atividade física com uma alimentação balanceada, contemplando todos os grupos alimentares, na quantidade certa. "Dormir bem também é fundamental. Noites mal-dormidas podem liberar pouco hormônio leptina - que ajuda a regular a fome e a manter o metabolismo ativo - e, assim, a válvula de escape pode ser buscar combustível nos alimentos", afirma a nutricionista Marcela Tardioli.