Papo de homemÍcone de fechar Fechar

Saúde

Papo de homem

Reposição hormonal masculina traz vantagens


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Velha conhecida das mulheres, a reposição hormonal tem despertado a atenção dos homens e também tem sido assunto recorrente nos consultórios médicos. Mas quando fazer reposição hormonal? Esse tratamento é pra todo mundo? Os homens também precisam? Os hormônios são vilões? Segundo Aldo Grisi, especialista em nutrologia e em implante hormonal e longevidade saudável, quando indicados por médicos, os hormônios só tendem a promover benefícios aos pacientes.

A testosterona é encontrada no corpo dos homens e das mulheres, mas nos homens a quantidade é cerca de dez a 15 vezes maior. Assim como outros andrógenos, o hormônio é o mais famoso pelos efeitos causados, destaca características sexuais. Simplificando, a testosterona é o hormônio que representa as características masculinas.

"Ela estimula o crescimento do órgão genital masculino e é fator decisivo na produção de esperma, fortalece cordas vocais, aumenta a taxa de crescimento de pelos faciais e corporais, causa impactos no corpo, controla a distribuição de gordura, e simplesmente faz os homens mais viris, porém, ela só deve ser administrada com prescrição médica", explica o andrologista e cirurgião vascular Carlos Araújo Pinto.

"A testosterona é um hormônio fundamental para o corpo masculino, principalmente por causa de seus benefícios. Ele atua na distribuição de gordura, aumenta a libido, força, massa muscular, além de estimular a produção de espermatozoides", explica Grisi.

A reposição é indicada para homens com mais de 40 anos, mediante exames de sangue e caso os sintomas estejam muito intensos e trazendo desconforto ao paciente. "Apesar de sofrerem com distúrbios hormonais e sintomas característicos da queda dos níveis de testosterona, eles ainda resistem em buscar tratamentos adequados com o andrologista, médico que estuda a saúde do homem, mais especificamente as funções reprodutoras e sexuais masculinas", diz o andrologista.

O uso desse hormônio cresceu nos últimos anos. Entretanto, uma pesquisa realizada em 2017, pelo Food and Drug Administration (FDA), órgão governamental americano, identificou que menos de 5% dos homens com deficiência androgênica, relacionada ao envelhecimento, estariam sendo tratados.

Sintomas da queda

Se você está sentindo falta de concentração, perda de pelos, ganho de peso, declínio sexual, diminuição da massa muscular, insônia e outros problemas, pode ser queda do hormônio. "Por isso, a reposição hormonal é de extrema importância para os homens", diz Aldo Grisi. Também auxilia na memória, humor, previne a osteoporose, diminui estresse e colabora para a composição corporal masculina.

"É fundamental o acompanhamento de um especialista, pois a superdosagem pode causar efeitos colaterais, como o aumento da próstata e dos glóbulos vermelhos, que são os transportadores de oxigênio no sangue", explica o nutrólogo Renato Lobo.

A reposição é indicada para homens com mais de 40 anos, mediante exames de sangue e caso os sintomas estejam muito intensos e trazendo desconforto ao paciente. Apesar de sofrerem com distúrbios hormonais e sintomas característicos da queda dos níveis de testosterona, eles ainda resistem em buscar tratamentos adequados.