Lágrima ácida?Ícone de fechar Fechar

Pets

Lágrima ácida?

Manchas na região dos olhos do pet são sinais de cromodacriorreia


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Se você tem um animal de estimação, já deve ter notado que eles podem apresentar uma mancha escura ao redor dos olhos. Essa condição específica tem um nome: cromodacriorreia, popularmente chamada por muitos de lágrima ácida. "Entretanto, a cromodacriorreia não tem nenhuma relação com o PH da lágrima, que é neutro", afirma o veterinário Jorge Morais.

Esse escurecimento também pode ser notado na região próxima à boca dos animais, principalmente nos de pelagem clara. "A coloração é provocada por uma substância chamada lactoferrina [parente do ferro], que pode ser encontrada na lágrima e também na saliva dos animais", completa.

Animais braquicefálicos como os gatos persas e os cães de raças como buldogues, pugs, poodles e shitzus, possuem predisposição a desenvolver o problema, por conta da própria anatomia. "Eles possuem olhos mais protuberantes e, algumas vezes, têm inversões nas pálpebras", salienta Morais. Outra causa são os chamados cílios fora da forma ideal, os chamados ectópicos, que estimulam a produção excessiva das lágrimas e, consequentemente, o seu extravasamento.

Embora sujem a carinha do pet, as manchas são geralmente inofensivas, salvo quando associadas a problemas oculares.

Tártaro pode favorecer

Até o tártaro nos dentes pode influenciar no lacrimejamento, já que o ducto que conduz a lágrima é ligado ao nariz e à boca. A secreção, por sua vez, é composta por bactérias e também pode ter mau cheiro. "Alguns cuidados simples ajudam a amenizar todos esses inconvenientes. "Faça massagens bem suaves no canto dos olhos para desobstruir o canal lacrimal", recomenda.

Outra solução é aplicar uma compressa de gaze embebida em soro fisiológico no local. Deixe a área livre de pelos, pois o excesso de pelagem na região contribui para o problema. "Mudar a alimentação do animal também pode ajudar. Alguns suplementos e rações específicas têm a proposta de dificultar a proliferação das bactérias da lactoferrina", complementa Morais.