Ponto finalÍcone de fechar Fechar

comportamento

Ponto final

Alguns sinais mostram que o seu relacionamento chegou ao fim


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Os conflitos existem em qualquer relacionamento, é natural. Entretanto, nem sempre é fácil perceber que o fim está próximo ou que é preciso resolver os problemas. Um a cada três casamentos termina em separação no País. Dados do IBGE apontam que, de 1984 a 2016, enquanto a população brasileira cresceu 70%, os casamentos avançaram 17%, mas os divórcios aumentaram 269%. No Brasil são registradas por dia, em média, 581,8 dissoluções de casamentos.

A decisão de colocar um ponto final não acontece de um dia para o outro. "O casamento passa por momentos diferentes e é normal que os casais enfrentem crises ao longo do tempo. Entretanto, é possível identificar algumas situações que servem de alerta para tomar uma atitude e buscar a resolução dos conflitos antes que seja tarde demais", diz a psicóloga de casal e família Denise Miranda de Figueiredo.

"O amor sempre é importante, mas dificilmente persiste por muito tempo se não for alimentado", diz a psicodramatista Maria Rita Seixas. Quando não acontece, tende a diminuir e acabar. Muitos casais esquecem de alimentar o afeto e ele acaba por se extinguir, ficando apenas dependência e uma relação sustentada pela insegurança de um ou dos dois, que continuam a chamar de amor.

Dá para salvar o casamento?

Tudo é possível. Entretanto, para retomar o casamento é preciso que os dois queiram. "Partindo do desejo de reparação, o casal pode recorrer à terapia de casal, aconselhamento ou outra forma de mediação. Na maioria dos casos, quando esses sinais descritos acima são muito evidentes, é preciso da orientação e mediação de outra pessoa para ajudar o casal a resolver seus conflitos", afirma a psicóloga Marina Simas de Lima.

Ninguém deve viver infeliz em uma relação, mas é importante entender que os conflitos são normais e podem ser solucionados, desde que haja amor e respeito. "Manter um casamento apenas por motivos sociais ou ainda por causa dos filhos pode ser pior que um divórcio. As pessoas precisam ter em mente que o casamento é um exercício diário de paciência, altruísmo, flexibilidade, negociação e dedicação", diz Denise.

 

  • Grosseria: O diálogo é cheio de sarcasmo, ironias e feito num tom maldoso;
  • Excesso de críticas: Quando não gostamos de algo, a tendência é reclamar ou criticar. Porém, esse comportamento se intensifica quando tudo vira alvo de críticas;
  • Desprezo: A sensação de que tanto faz e não se importar com o outro são sinais que mostram que a vida a dois precisa de ajustes;
  • Comunicação difícil: Quando o casal já não consegue conversar, seja por falta de tempo ou porque tudo vira motivo de discussão, a comunicação se torna impossível;
  • Negatividade: Reclamar de tudo e mostrar insatisfação a todo o momento são atitudes nocivas e levam o casal a um estado de saturação;
  • Linguagem corporal: Casais felizes têm uma linguagem corporal de sintonia. Quando há problemas, a tendência é sorrir menos, não andar mais de mãos dadas, denotando a falta de conexão;
  • Fracasso na resolução dos conflitos: Quando não é mais possível chegar a um consenso pode indicar que é hora de repensar o rumo da relação;
  • De volta para o passado: Muitas pessoas usam os deslizes do(a) parceiro(a) como forma de chantagem ou para relembrar situações desagradáveis. Isso pode ser gerador de mais culpa e tristeza;
  • Esfriamento da vida sexual: É normal a diminuição do ritmo sexual, mas sua ausência é um sintoma importante que pode revelar desconexão do casal.

Fonte: Denise Miranda de Figueiredo e Marina Simas de Lima, psicólogas