Carinho que faz a diferençaÍcone de fechar Fechar

Criança e adolescente

Carinho que faz a diferença

Afeto determina se seu filho será um adulto bem-sucedido


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Você dá carinho a seus filhos? Esse pode ser o grande diferencial se o seu sonho for que ele se torne um adulto bem-sucedido. Um estudo do Instituto de Ciências Sociais Quantitativas, da Universidade de Harvard, divulgado pela Revista Social Science & Medicine, mostra que o nível de amabilidade dos pais tem impacto direto na formação das crianças e, mais tarde, na vida adulta delas.

A pesquisa foi realizada para permitir às instituições ligadas à formação da família e educação, uma visão geral da importância que as relações afetivas têm no desenvolvimento de uma criança.

No estudo, a importância da amabilidade familiar foi medida não somente pelo afeto, mas também pela educação e pelo ensino. Entre as perguntas que orientaram a pesquisa estão: "Quanto tempo e atenção sua mãe e seu pai dedicaram quando você precisava?", "Quanto sua mãe e pai entenderam seus problemas e preocupações?" e "Quanto sua mãe e seu pai lhe ensinaram sobre a vida?".

Uma das pesquisadoras, Ying Chen, explicou que aqueles que disseram estar satisfeitos com a maneira com que os pais os assistiram tinham níveis mais elevados de bem-estar social, emocional e psicológico na vida adulta.

No livro "As 5 linguagens do amor das crianças - Como expressar um compromisso de amor a seu filho" (Ed. Mundo Cristão), os autores Gary Chapman, conselheiro de casais, e Ross Campbell, professor de pediatria e psiquiatria, afirmam que na infância o amor é tão essencial quanto a disciplina para formar adultos generosos e responsáveis. "Identificar e começar a falar a principal linguagem dos pequenos são atitudes poderosas com efeitos positivos que duram por toda a vida", escreveram.

Para o educador César Nunes, a grande e inalienável tarefa da família é a de amar e acolher seus filhos. "Os pais presentes são a luz para os filhos", diz.

Brincadeiras fortalecem vínculos

Um exemplo apresentado pelos pesquisadores no estudo é o de que aqueles que cresceram em um ambiente familiar com um nível de afetividade moderada já foram impactados de maneira diferente: 18% deles são menos propensos a ter depressão e 17% não se envolveram com drogas ilícitas.

Ying Chen explicou que a base oferecida pelos pais pode ser tão forte, que permite aos filhos na vida adulta vencer questões adversas mais facilmente. Segundo ela, a associação entre alto nível de afetividade e sucesso persistiu mesmo quando os pesquisadores controlaram fatores socioeconômicos e religiosidade familiar.

Bem-estar social

Os pesquisadores acreditam que adotar uma abordagem de saúde pública que melhore as habilidades dos pais nessa área pode aumentar o bem-estar da população em geral a longo prazo. "A OMS pediu a implementação de programas na área familiar, mas o progresso tem sido lento", afirma Ying. Ela espera que os resultados possam acrescentar maior evidência a um tema importante para a sociedade quanto à formação emocional dos futuros adultos que viverão em sociedade nos próximos anos.