Entrega de corredores e terminal vira quebra-cabeçaÍcone de fechar Fechar

Coluna do Diário

Entrega de corredores e terminal vira quebra-cabeça


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Embora a Prefeitura de Rio Preto queira colocar em operação o novo terminal de transporte coletivo urbano e todos os nove corredores de ônibus num mesmo dia no final do mês, ainda enfrenta problemas nas duas frentes.

Em relação ao terminal, as empresas de ônibus querem mais 20 dias de prazo em relação à data estipulada pela equipe do prefeito Edinho Araújo (MDB), que seria 25 ou 26 de outubro.

As concessionárias argumentam que ainda precisam adequar o terminal para fazer a mudança. Argumentam que ainda falta instalar placas de sinalização e montar sala de fiscal do serviço no interior do prédio.

Quantos aos corredores que ficam em ruas e avenidas de intenso movimento, o problema tem a ver com as restrições de circulação de outros veículos e de estacionamento em horários de pico. Comerciantes de avenidas, como a Philadelpho Gouveia Neto, resistem às restrições com a justificativa de que a proibição vai afugentar clientes e atrapalhar os negócios. Dos nove corredores, que deveriam estar funcionando desde 2017, apenas um, o da avenida Alberto Andaló está em atividade. "Podemos abrir alguma exceção. Mas nossa intenção é manter a data de início da operação no final do mês", disse nesta quarta, 9, o secretário de Trânsito Amaury Hernandes. "Mas só vamos colocar para funcionar com tudo pronto", ressalta.

Tanto os corredores como o novo terminal foram iniciados durante a gestão do ex-prefeito Valdomiro Lopes, que deixou o cargo em dezembro de 2016. Ambas, que tiveram problemas durante a execução, estão para lá de atrasadas, além, claro, de estourar o orçamento inicial. Juntas, estão saindo por quase R$ 130 milhões para os cofres públicos. As duas obras ficaram a cargo da Constroeste.

 

Mais um conselho

Vereadores da base aliada e de oposição ao governo do prefeito Edinho Araújo (MDB) defenderam em discussões durante a sessão semanal na noite de terça-feira, 8, que a Prefeitura instale uma terceira unidade do Conselho Tutelar em Rio Preto. Entre os que defenderam a medida estavam Jean Dornelas (PSL), Paulo Pauléra (PP), Karina Caroline (Republicanos), Marco Rillo (PT) e Pedro Roberto (Patriota).

Custa caro

Vereadores têm interesse nos conselheiros, tanto que fizeram campanha abertamente para eleitos no domingo, 6. Mas implantar um novo Conselho Tutelar é algo mais complexo, segundo diz a Prefeitura. Em resposta a pedido de Dornelas sobre mais um núcleo, a secretária de Assistência Social, Patrícia Lisboa, afirmou que a iniciativa tem "impacto financeiro significativo".

Disputado

Dia desses, ao cruzar com Sergio Moro, o presidente Jair Bolsonaro reconheceu entre os seguranças do ministro da Justiça um daqueles que cuidaram de sua proteção durante a campanha eleitoral. Brincou que iria requisitá-lo de volta. Era o agente da Polícia Federal Danilo Campetti (foto), de Rio Preto.

 

Boca de urna - O promotor da 268ª Zona Eleitoral de Rio Preto, Carlos Romani, denunciou uma ex-cabo eleitoral que distribuiu propaganda do deputado federal reeleito Fausto Pinato (PP) no dia da eleição no ano passado em escola estadual no Jardim do Bosque. Segundo Romani, ela estava com 136 santinhos de Pinato. Boca de urna é crime. A lei prevê multa de R$ 15 mil e seis meses de detenção.

Colados - Os inseparáveis Paulo Pauléra (PP), presidente da Câmara de Rio Preto, e seu vice, o vereador Fábio Marcondes (PL), acompanharam o prefeito Edinho Araújo (MDB) nesta quarta, 9, em entrega da reforma da UBS do bairro Cidade Jardim (foto). Pauléra, defensor de Marcondes para vice na chapa de Edinho em 2020, aproveitou a plateia e discursou. A reforma do postinho ficou em R$ 564,7 mil.

Receio geral - A controvertida lei contra abuso de autoridade preocupa não apenas delegados, promotores e juízes. Até servidores da Justiça irão debater as novas regras em palestra sobre o tema marcada para 11 de novembro. O evento terá participação presencial de 120 servidores do Tribunal de Justiça e mais mil que poderão acompanhar a distância por transmissão pela internet.

Sem mais - Condenado criminalmente por não tomar providências ao saber que um técnico pegava para si parte da verba de auxílio-atleta destinada a jogadoras de vôlei no período em que ele era secretário de Esportes (2014/2016), o vereador Francisco Jr. (DEM) pediu na Justiça para pagar o restante de multa referente à condenação de uma vez. Júnior havia fracionado o pagamento em dez parcelas de R$ 499 cada. Faltam cinco.

Eleição suspeita

Representantes de partidos de esquerda, como PT e PSOL, em Votuporanga, usam as redes para denunciar suposta compra de votos na eleição de conselheiros tutelares na cidade no último domingo. Três vereadores fizeram a mesma acusação durante sessão da Câmara nesta semana.

Eleição suspeita 2

Um desses vereadores, Chandelly Protetor (PTC), disse nesta quarta-feira, 9, que pretende pedir a apuração do caso ao Ministério Público. Ele afirmou que ouviu queixas de pessoas que disseram ter recebido oferta de dinheiro de candidatos. A Coluna tentou falar nesta quarta com o promotor da Infância e Juventude de Votuporanga, José Vieira da Costa Neto, mas, por meio de uma funcionária, ele mandou dizer que não iria se manifestar sobre o assunto.

Sangue nos olhos

"Empresários gananciosos que oprimem os pobres e prejudicam toda sociedade sentirão no bolso as consequências de seus atos". A frase é do defensor público Julio Tanone (foto) em post no qual compartilhou reportagem do Diário publicada nesta quarta, 9, informando que ele cobra na Justiça R$ 4 milhões de "empresários" que fizeram loteamentos clandestinos em Rio Preto e não regularizam a situação.

Dose dupla

A Prefeitura segue com eventos nesta quinta-feira, 10. Pela manhã, entrega brinquedos com acessibilidade na Cidade das Crianças, a partir das 9h. Para a tarde, marcou assinatura da ordem de serviço para reforma do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) da Vila Toninho. Um nome garantido no evento é Celso Peixão (PSB), que tem reduto eleitoral no bairro.

Com um presidente estadual que, além de ser da região, tem canal direto com prefeitos, o PSDB do governador João Doria, aos poucos, ganha mais terreno na região. O caso mais recente é da prefeita de União Paulista, Cleusa Gui Martins, que deixou o PSB para não só se filiar como assumir a presidência do PSDB na cidade dela. Antes, o mesmo havia ocorrido com o prefeito em exercício de Cedral, Irineo Beolchi Jr., que entrou no partido de Doria vindo do PPS e também o preside. O primeiro a fazer o movimento na região foi Celso Gaúcho, prefeito de José Bonifácio, que se elegeu pelo PSD e logo depois virou tucano. De Catanduva, o presidente estadual do PSDB é Marco Vinholi, secretário de Desenvolvimento Regional de Doria.