Brasil vai mal e segue sem vencerÍcone de fechar Fechar

AMISTOSO MORNO

Brasil vai mal e segue sem vencer

Seleção volta a jogar no domingo, às 9h, de novo em Cingapura, diante da Nigéria


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

A Seleção Brasileira segue sem vencer após a disputa da Copa América. Após empate com a Colômbia e derrota para o Peru, em setembro, a equipe dirigida por Tite não foi além da igualdade por 1 a 1 com Senegal, em amistoso disputado nesta quinta-feira, 10, em ritmo morno em Cingapura.

A escalação do time-base que conquistou o título da Copa América, reforçado por Neymar, e o bom começo de jogo, com o golaço marcado por Roberto Firmino, davam a impressão de que a seleção poderia voltar a vencer. Mas, atuando em ritmo lento, teve nova atuação apática, chegando a ser dominada em alguns momentos do jogo.

Quem também pouco produziu foi Neymar, que atingiu nesta quinta a marca de cem jogos disputados pela seleção. Porém, ele teve uma atuação apagada, perdendo, inclusive, uma chance clara de gol no primeiro tempo e só sendo perigoso em cobranças de falta na segunda etapa.

O astro foi bem diferente da outra principal atração do amistoso, o senegalês Mané, que liderou a sua equipe e, em jogada individual, sofreu o pênalti que originou o gol de empate do duelo, que atraiu apenas 20.621 torcedores ao Estádio Nacional de Cingapura. A seleção voltará a jogar no domingo, novamente em Cingapura, a partir das 9 horas (de Brasília), diante da Nigéria.

O fraco desempenho foi reconhecido pelo técnico Tite, ao deixar claro que esperava a sua equipe tratando este amistoso na Ásia de uma maneira mais competitiva.

"A seleção foi abaixo do que poderia produzir. Jogou menos do que pode e competiu menos do que pode. Não foi um bom jogo nosso", reconheceu o comandante, em entrevista coletiva no Estádio Nacional de Cingapura, onde o treinador viu a sua equipe ter um desempenho decepcionante e sem a qualidade técnica esperada, tendo em vista o nível dos seus jogadores.

"Esteve abaixo do seu padrão técnico, do seu normal competitivo. No segundo tempo foi melhor e conseguiu trazer nossa ideia mais de bola, de troca de passes, circulação. E depois da (jogadas em) profundidade, num plano avançado. Aí ela conseguiu. Mas esteve abaixo, sim", admitiu.

Tite também procurou valorizar a importância de poder voltar a encarar um rival africano, neste domingo, contra a Nigéria, às 9 horas (de Brasília), novamente em Cingapura, ao lembrar que o Brasil já havia sofrido para superar Camarões em um amistoso realizado em novembro do ano passado, quando venceu por 1 a 0.

"Da minha passagem aqui é a segunda vez que a gente joga contra a escola africana. E é a segunda vez que a gente tem dificuldade São equipes que procuram contato, trazem compactação, bola aérea forte. E a gente está ainda encontrando uma melhor forma de jogar contra as seleções africanas", afirmou.

E Tite aproveitou para dar um recado aos seus comandados ao dizer que espera ver o Brasil encarando os nigerianos com o mesmo empenho que foi mostrado pelos senegaleses nesta quinta-feira. "Você tem de elevar esse patamar (de nível competitivo). Para a seleção africana o amistoso tem uma importância e para nós precisa ter também", avisou.

 

BRASIL - 1

Ederson; Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Alex Sandro (Renan Lodi); Casemiro, Arthur (Matheus Henrique) e Philippe Coutinho (Richarlison); Gabriel Jesus, Roberto Firmino (Everton Cebolinha) e Neymar. Técnico: Tite.

SENEGAL - 1

Gomis; Gassama, Koulibaly, Sane e Coly; Kouyaté (Sidy Sarr, depois Thioub), Gueye (Ndiaye) e Diatta; Mané, Ismaila Sarr e Diédhiou (Diallo). Técnico: Aliou Cissé.

Gols: Roberto Firmino aos 9 e Diédhiou aos 45 minutos do 1º tempo. Árbitro: Muhammad Taqi Aliaffari (Fifa/Cingapura). Renda: Não disponível. Público: 20.621 espectadores. Local: estádio Nacional de Cingapura, nesta quinta-feira, 10.