Comandante do Fefecê tenta fazer históriaÍcone de fechar Fechar

QUARTA DIVISÃO

Comandante do Fefecê tenta fazer história


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Com um nome diferenciado e o peso de ser 'prata da casa', o técnico Fladimir Rufino Piazzi Júnior, 40 anos, mais conhecido como Júnior Paulista, do Fernandópolis, tem a dura missão de comandar a equipe que tentará reverter desvantagem contra o Rio Branco no domingo, 6, às 10 horas, no estádio Cláudio Rodante, em Fernandópolis, pelo Campeonato Paulista da Quarta Divisão. Uma vitória simples basta para o Fefecê avançar às semifinais e seguir na briga pelo acesso à Série A-3.

No primeiro duelo das quartas de final, o Rio Branco venceu por 2 a 1. Por ter feito melhor campanha, joga por empate na somatória dos resultados. "É um momento único do clube, desde 2015 não vinha numa situação parecida e quanto mais chegar perto da decisão mais temos que encarar com naturalidade", disse.

Natural de São Paulo, esta é a primeira experiência profissional de Júnior como treinador, no mesmo clube em que encerrou sua carreira de lateral-esquerdo e volante. Ele chegou em Fernandópolis aos 17 anos, para jogar no Sub-20 do Fefecê, conheceu a esposa na cidade e parou de jogar em 2014, quando defendeu o clube na Quarta Divisão. "Tenho enorme respeito pela cidade e pelo clube, as aspirações como técnico são as maiores possíveis: conseguir o acesso, o título, mas respeitando o Rio Branco e os rivais", afirmou o treinador.

Como jogador do Monte Azul, foi campeão da Série A-2 em 2009 e ainda vestiu as camisas de Botafogo-SP, Americana, Grêmio Barueri, Linense, Penapolense, Guarani-MG. No currículo fora dele foi auxiliar técnico de Betão Alcântara no Rio Preto, em 2016, quando a equipe foi vice-campeã da Série A-3 e subiu ao A-2. "Relação de amizade, tenho carinho enorme por ele. Nos enfrentamos este ano, ele pelo Osvaldo Cruz, e me ensinou muita coisa no futebol. A gente se fala uma vez por semana e tenho muito carinho por ele."

Se na partida de ida o Fefecê não contou com o artilheiro Murilo, que aguardava documentos para renovar com o clube, no domingo ele está confirmado. O atacante que tem 15 gols está de volta. "Teve contrato renovado e na segunda já assinou e deu entrada na Federação. Além de ser atleta, é um amigo particular, atleta dedicado, muito profissional, de bom nível técnico. Nossos atletas se espelham muito nele."

A torcida fernandopolense será o diferencial para o duelo, já que através do programa Futebol Sustentável, 2 mil ingressos foram trocados por garrafas pet. "Nunca tivemos um público assim dentro de casa e é um fator a mais, pode nos ajudar", disse.