Diário da Região

10/10/2019 - 00h30min

CUSTO DE VIDA

Índice de preços tem deflação de 0,04%

Taxa acumulada da inflação em 12 meses desacelerou para 2,89%

Johnny Torres/Arquivo Desaceleração foi puxada pelo grupo alimentação e bebidas
Desaceleração foi puxada pelo grupo alimentação e bebidas

A queda de 0,04% registrada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em setembro foi o menor resultado para o mês desde 1998, quando a taxa recuou 0,22%, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em agosto, o IPCA havia tido alta de 0,11%.

Como resultado mensal, a taxa acumulada pelo IPCA em 12 meses desacelerou de 3,43% em agosto para 2,89% em setembro, menor patamar desde maio de 2018, quando estava em 2,86%, aproximando-se do piso de tolerância da meta de 4,25% perseguida pelo Banco Central este ano. No mês de setembro de 2018, o IPCA foi de 0,48%.

Três entre nove grupos do IPCA registraram deflação em setembro. As quedas ocorreram em alimentação e bebidas (-0,43%), comunicação (-0,01%) e artigos de residência (-0,76%, maior recuo de grupo).

Em artigos de residência, a deflação foi puxada pelos itens eletrodomésticos e equipamentos (-2,26%) e TV, som e informática (-0,90%). Na direção contrária, os custos aumentaram nos grupos habitação (0,02%), vestuário (0,27%), despesas pessoais (0,04%), educação (0,04%) e saúde e cuidados pessoais (0,58%). As despesas com transportes ficaram estáveis (0,00%) em setembro.

Em saúde e cuidados pessoais, o destaque foi o item higiene pessoal, com alta de 1,65% e contribuição de 0,04 ponto porcentual, maior impacto positivo no IPCA.

Já o item plano de saúde acelerou de 0,03% em agosto para 0,57% em setembro, devido à apropriação integral da fração mensal do reajuste de 7,35% autorizado, em 23 de julho, pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Alimentação e bebidas

O grupo alimentação e bebidas saiu de recuo de 0,35% em agosto para uma queda de 0,43% em setembro. A contribuição do grupo para a inflação saiu de -0,09 ponto porcentual para -0,11 ponto porcentual no período, maior impacto negativo de grupo sobre a inflação do último mês.

Os alimentos para consumo no domicílio recuaram 0,70% em setembro, a quinta queda consecutiva. A contribuição negativa mais intensa para a deflação do IPCA de setembro foi do tomate, que ficou 16,17% mais barato no mês, um impacto de -0,04 ponto porcentual.

As famílias também pagaram menos pela batata-inglesa (-8,42%), cebola (-9,89%) e frutas (-1,79%). Por outro lado, ficaram mais caros o leite longa vida (1,58%) e as carnes (0,25%). O custo da alimentação fora de casa subiu 0,04% em setembro. A refeição caiu 0,06% e o lanche subiu 0,17%.

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos três primeiros meses. Após o período R$ 19,00
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo e
ganhe + matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos três primeiros meses. Após o período R$ 19,00

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.
Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para acessar o Diário da Região.