Diário da Região

20/10/2019 - 00h30min

IRMANDADE

Série brasileira mergulha no universo de uma facção criminosa

Com elenco encabeçado por Seu Jorge, série 'Irmandade' estreia na Netflix na próxima sexta-feira, 25

Netflix/Divulgação Seu Jorge está à frente do elenco da série 'Irmandade'
Seu Jorge está à frente do elenco da série 'Irmandade'

Com um grande elenco, liderado pelo cantor e ator Seu Jorge - de, entre outros, "Cidade de Deus" (2002) e "A Vida Marinha com Steve Zissou" (2004) - estreia, na próxima sexta, 25, no serviço de streaming Netflix, a série "Irmandade", em oito episódios.

A história gira em torno dos personagens Edson (Seu Jorge) e Cristina (Naruna Costa), moradores de uma favela de São Paulo e irmãos que se separam após Edson ser preso ainda muito jovem, em meados da década de 1970, por tráfico de drogas.

Enquanto Cristina batalha para se tornar uma advogada respeitada e entrar para o Ministério Público, seu irmão mais velho, preso há 20 anos, se organiza no presídio e lidera a criação de uma violenta facção criminosa, batizada de "Irmandade", com o intuito de manter os direitos mínimos dos colegas de cárcere e lutar contra a tortura que corre solta no local, estabelecida pelos agentes da lei.

Cristina acaba, ao tentar ajudar Edson, se complicando no Ministério Público e é presa. Ela é, então, cooptada por um detetive da polícia nada ortodoxo, Andrade - papel de Danilo Grangheia -, que propõe, em troca de sua liberdade, que ela colabore para desmantelar a organização do irmão. Para isso, a advogada terá de se infiltrar na Irmandade, arriscando a própria vida.

As semelhanças levam o espectador mais informado a pensar na história do Primeiro Comando da Capital (PCC), também criado na década de 1990, como a Irmandade. No entanto, Pedro Morelli, criador e diretor geral da atração, explica, com exclusividade para a Agência Estado, que nenhum personagem foi inspirado em uma pessoa real.

"A série não é inspirada no PCC. A Irmandade é uma facção criminosa fictícia que criamos a partir de muita pesquisa sobre várias facções reais de todos os cantos do Brasil. Existem alguns conceitos recorrentes e os usamos na concepção da Irmandade. O ponto em comum é que todas elas nasceram como uma resposta a uma repressão violenta do Estado no sistema carcerário", afirma Morelli.

Segundo ele, o crime organizado no país é gigantesco e está fora de controle. "Se tivessem condições decentes de vida dentro das prisões desde o começo, talvez isso [o surgimento de facções criminosas] não houvesse acontecido dessa forma."

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos três primeiros meses. Após o período R$ 19,00
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo e
ganhe + matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos três primeiros meses. Após o período R$ 19,00

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para acessar o Diário da Região.