Golpes movimentam R$ 254 mil em 4 mesesÍcone de fechar Fechar

Estelionato

Golpes movimentam R$ 254 mil em 4 meses

Desde junho deste ano, pelo menos 36 pessoas caíram em golpes em Rio Preto


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Em quatro meses, golpistas faturaram pelo menos R$ 254 mil em Rio Preto. Levantamento do Diário, com base em boletins de ocorrências registrados no Plantão Policial, mostra que os tipos de golpes no período foram variados e fizeram 36 vítimas. A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) investiga os casos.

Para pegar o dinheiro das vítimas, os estelionatários fingem ser os bons moços que ajudam idosos em dificuldade nos caixas eletrônicos ou lançam mão de truques tecnológicos, como a clonagem de perfis no WhatsApp para pedir dinheiro emprestado e deixar as vítimas com o constrangimento e dívidas para pagar.

O maior golpe ocorreu no dia 8 de junho, quando um aposentado de 93 anos perdeu R$ 69.338,83 ao ter a conta invadida.

Outro grande golpe foi contra um empresário de 32 anos, que perdeu R$ 29.999,76, transferidos da conta bancária por meio de duas operações financeiras não autorizadas.

Os estelionatários chegaram à sofisticação de elaborar um boleto bancário falso para receber R$ 26 mil de uma rede de farmácia. O valor era para pagar o aluguel de um salão de convenções de um hotel da cidade.

Quem está atrás dos estelionatários é o delegado Paulo Buchala Júnior, da DIG. Ele identificou um homem suspeito de participar do golpe do mototáxi, que finge ser enviado por um banco para recolher um cartão de crédito. "Somente neste caso, há suspeita de que ele tenha enganado quatro pessoas, em geral idosas. Mas não é fácil o combate a esta modalidade de crime, porque assim que a gente descobre um modo de agir dos golpistas, eles rapidamente inventam um novo truque", diz o delegado.

De acordo com Buchala, os estelionatários aproveitam do fácil acesso da população à internet e da baixa segurança para invadir contas e roubar senhas. "Os criminosos são também bem convincentes nos diálogos para enganar as vítimas. Muitos nem são daqui de Rio Preto, mas vêm de outras cidades para agir aqui", afirma o delegado.

Dois golpistas que vieram de São Paulo, Victor Rodrigues, de 24 anos, e Vitor Conceição, 26, foram presos pela Polícia Militar no dia 1º de setembro, suspeitos de uma série de golpes contra clientes idosos da Caixa Econômica Federal, em Rio Preto. A dupla admitiu ter faturado R$ 15 mil em 30 dias. Os dois foram filmados pelo circuito interno das agências bancárias.

O advogado Augusto César Mendes Araújo recomenda às vítimas de golpes que sempre registrem boletim de ocorrência, porque é a forma mais segura de recuperar o dinheiro. "Quando o cliente é enganado dentro de uma agência bancária, mesmo que fora do horário de atendimento, o estabelecimento financeiro tem responsabilidade, porque eles têm obrigações de que a pessoa possa fazer saques e suas transações financeiras em segurança, segundo o Código de Defesa do Consumidor", explica o advogado.

  • Período levantado: de 1º de junho a 8 de outubro de 2019
  • Vítimas: 36
  • Total do prejuízo: R$ 254.241,76

Principais golpes

Clonagem do perfil no WhatsApp

  • Golpista invade celular da vítima, assume a identidade e passa a pedir dinheiro emprestado

Invasão de conta bancária

  • Por meio de vírus, estelionatário obtém as senhas do home banking e passa a fazer empréstimos, transferências e compras

Falso boleto

  • Golpista envia por e-mail um falso boleto com nome de uma grande loja. A vítima sem perceber paga e só depois descobre a fraude

Golpe da venda de carro

  • Criminosos fazem "print" do anúncio original na internet e oferecem o carro mais barato. A vítima só percebe quando vai buscar o veículo

Empréstimo de "araque"

  • Vítima pede empréstimo em falsos sites de crediário. Os estelionatários exigem diversas quantias em dinheiro com alegação de ser taxa administrativa, depois desaparecem

Falso comprador

  • Estelionatário compra o produto com nome e endereços fakes, envia falsos comprovantes de depósito

Rapaz que ajuda no caixa eletrônico

  • Golpistas abordam idosos em dificuldade nos caixas eletrônicos, trocam cartões bancários e depois sacam ou transferem grandes quantias

A Polícia Militar recomenda extrema cautela aos clientes de bancos e interessados em comprar produtos pela internet para evitar cair em golpes.

"No caso do golpe do WhastApp, a dica é não transferir dinheiro ou depositar antes de falar com a pessoa que está pedindo e confirmar que o pedido é verdade", aconselha o tenente Cláudio Ziroldo, porta-voz do 17º Batalhão da Polícia Militar de Rio Preto.

Ziroldo também desaconselha a entrar na conta bancária pela internet em computadores ou mesmo rede de wifi gratuitas, que podem ser usadas por hackers para copiar senhas.

"Sobre o boleto falso, sempre verificar a veracidade conferindo os detalhes da fatura. Uma dica é pegar o boleto do mês passado e conferir."

Quanto ao golpe da venda de carros, a PM diz que é bom o cliente sempre desconfiar quando o preço do veículo está muito abaixo do valor de mercado.

"Com relação à ajuda no banco, o mais correto é nunca entregar o cartão a pessoas entranhas ou passar a senha. Se possível, vá ao banco sempre no horário em que a agência está aberta", recomenda o tenente.

A Polícia Civil recomenda que as negociações sejam feitas pessoalmente, em locais públicos, de preferência que estejam sendo monitorados por câmeras 24 horas para, em caso de golpe, a vítima ter uma imagem gravada com o rosto do estelionatário - passo importante para iniciar as investigações e pegar o criminoso. (MAS)