Polícia investiga morte de web designerÍcone de fechar Fechar

Violência

Polícia investiga morte de web designer

Delegado de Onda Verde acredita que ele tenha sido vítima de assassinato


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

A Delegacia de Onda Verde abriu inquérito policial nesta terça-feira, 22, para investigar a morte do web designer Rodrigo Teodoro de Jesus, 39 anos, conhecido como Theo Maximiliano. A suspeita é de assassinato. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) encontrou o corpo na noite de sábado, 19, às margens da rodovia BR-153.

Theo morava sozinho no bairro Solo Sagrado e estava desaparecido desde o dia 11 de outubro deste ano. Desde então, familiares e amigos passaram a divulgar em redes sociais fotos do web designer, como desaparecido, na esperança de que ele fosse localizado vivo.

Como o corpo foi encontrado em adiantado estado de decomposição, foi enviado para Instituto Médico Legal (IML) de Rio Preto. Informados sobre o encontro de um corpo, os parentes de Theo procuraram o IML para tentar fazer o reconhecimento. Como visualmente era difícil, os peritos criminais optaram pelo reconhecimento por meio de uma prótese dentária e a visualização de um objeto da vítima, um colar feito com pedras trazidas da África, segundo parentes.

Para completar a identificação de Theo, também foi fornecido material biológico da mãe da vítima para comparação de DNA com o do corpo encontrado.

Segundo o delegado de Onda Verde, Renato Camacho, a suspeita de que Theo tenha sido assassinado vem de indícios vistos no local em que o corpo foi abandonado, próximo a um posto de combustível na BR-153. "Apesar de ter sido encontrado em estado de decomposição, notamos que a vítima estava com as mãos amarradas, o que é sinal de que ele tenha sofrido violência. Já solicitei laudo do Instituto de Criminalística para verificar se há mais sinais de violência no corpo", afirma o delegado.

A Polícia Civil suspeita que o web designer tenha sido morto em outro local e que o autor tenha apenas abandonado o corpo às margens da rodovia. "Por enquanto não temos suspeito, mas vamos chamar as pessoas que tiveram os últimos contatos com ele para tentar entender o que pode ter acontecido com a vítima", comenta o delegado.

Uma das últimas pessoas a falar com Theo foi um amigo dele, um professor de 19 anos. "Ele me ligou para falar de uma camisa e disse que iria passar na minha casa. Eu estranhei que ele não apareceu e não consegui mais contato com ele. Duvido que ele tenha sofrido um acidente", diz o amigo, que preferiu não ser identificado.

O corpo de Theo foi liberado pelo IML na manhã desta terça-feira, 22. O sepultamento ocorreu na tarde do mesmo dia, no cemitério municipal de Votuporanga.

(Colaborou Luciano Ramos)