De cachaça ao cicloturismoÍcone de fechar Fechar

RIO DE JANEIRO

De cachaça ao cicloturismo

Mais motivos para visitar a região do Valé do Café


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

O passeio pelo Vale do Café pode incluir ainda outras atrações, como fazendas que retomam suas tradições, aula sobre a produção de cachaça premiada e pausa num bistrô que combina gastronomia e paixão por ciclismo.

Fazenda União

Os nomes das suítes transportam o visitante para outra época: Quarto do Rei, Quarto do Imperador, Quarto do Quilombo, e por aí vai. São 28 no total, todas com decoração impecável, numa perfeita combinação de novo (TVs de LED, cama king ou queen, lareira digital) e antigo (mobiliário original, decoração clássica). A Fazenda União, em Rio das Flores, ocupa um casarão de 1836, construído pelo Visconde do Rio Preto. As áreas comuns seguem o padrão dos quartos de hóspedes, com peças de época, muitas recuperadas em antiquários, como uma vultosa coleção de louças brasonadas, do acervo do proprietário, o empresário Mário Vasconcelos. Quem não é hóspede também pode aproveitar o lugar, visitando o restaurante (aos sábados, o almoço tem feijoada; aos domingos, cozinha caipira) e, de quebra, fazer uma visita guiada com historiador. O próprio hotel mantém um museu, com peças dos séculos XVII, XVIII e XIX.

Cachaça Werneck

Também em Rio das Flores, surgiu em 2008 a Destilaria Werneck, fruto do sonho e do idealismo do casal Cilene e Eli Werneck. Depois de comprarem um sítio na cidade e se dedicarem ao estudo e à pequisa em torno da produção de cachaça, eles hoje se orgulham de ter destilados premiados e reconhecidos por quem entende do assunto no Brasil e no exterior. A propriedade recebe para visitas guiadas, para grupos de até 30 pessoas, que podem acompanhar todo o processo, da plantação de cana à destilação, ao envelhecimento, à padronização. Seu Eli conduz os visitantes pela propriedade, descrevendo todas as etapas com orgulho e entusiasmo. No final, como não poderia deixar de ser, tem degustação.

Fazenda Alliança

Localizada no quilômetro 47 da rodovia RJ-145, entre Barra do Piraí e Valença, a Fazenda Alliança tem muita história para contar. E não poderia ter melhor porta-voz: a proprietária, a arquiteta argentina Josefina Durini. Com gosto, ela apresenta a propriedade de 1836, fala sobre o restauro de parte da construção, sobre as obras que criaram novas áreas, como a piscina, e sobre o que mais a entusiasma: a dedicação aos projetos de sustentabilidade, como plantação de horta orgânica, criação de búfalos (e produção de leite) e uma volta à origens, como a pesquisa para retomar a produção de café, ainda em andamento. É aberta à visitação, com agendamento prévio, e também começa a receber hóspedes, mas em grupos de ao menos seis pessoas.

Le Vélo Montagne

Depois de ser picado pelo mosquito do cicloturismo, o casal Daniel e Claudia Guimarães decidiu dar um tempo na vida urbana e abrir em Miguel Pereira um espaço que une algumas de suas paixões, a gastronomia e a bicicleta. O lugar, com cardápio contemporâneo cheio de delícias, tem diversas facetas: restaurante, delicatessen, loja, oficina e vestiário para os esportistas retomarem o fôlego depois de uma passeio pela cidade. E o lugar é estratégico: em agosto, Miguel Pereira sediou uma das etapas do Circuito Mundial de Vôlei de Praia e tem planos ambiciosos que incluem um Parque dos Dinossauros e uma piscina de ondas.