A ciência por trás da imposição das mãosÍcone de fechar Fechar

Terapia holística

A ciência por trás da imposição das mãos

Reiki, passe, deeksha e johrei são técnicas reconhecidas pelos pesquisadores


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Nas últimas décadas, muitos estudos científicos têm sido feitos a fim de demonstrar os benefícios de aliar a espiritualidade ao tratamento médico convencional. Nosso corpo é mesmo um canal de transmissão de energia, capaz de acalmar, aliviar dores e combater doenças? Não é de hoje que pesquisadores ao redor do mundo buscam respostas para essas perguntas. Mas já há indícios, algumas comprovações daquilo que muita gente ainda duvida, da técnica conhecida como imposição de mãos.

A própria Organização Mundial da Saúde (OMS) já recomenda o reiki e outras práticas energéticas como complementares à medicina tradicional. A OMS reconhece que 85% das doenças conhecidas poderiam ser tratadas sem o uso de medicamentos alopáticos, principalmente com a mudança de hábitos, costumes e atitudes.

"Houve uma separação histórica, mas eu acredito que essas coisas precisam caminhar juntas. O ser humano deve ser visto como um todo. Nós não somos só um amontoado de células. Temos, comprovadamente, um lado emocional, espiritual", afirma explica o médico infectologista Ricardo de Souza Cavalcante, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), da Associação Médico-Espírita de Botucatu. Conheça algumas técnicas de imposição de mãos que já estão sendo acompanhadas de perto pela ciência.

 

Reiki - O psicobiólogo Ricardo Monezi, pesquisador da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) defendeu em 2013 sua tese de doutorado "Efeitos da prática do Reiki sobre aspectos psicofisiológicos e de qualidade de vida de idosos com sintomas de estresse: estudo placebo e randomizado" que essa prática de imposição de mãos funciona como tratamento complementar nos distúrbios orgânicos e psicológicos. O trabalho foi elaborado devido às técnicas manuais já conhecidas na sociedade, caso do johrei, utilizada pela Igreja Messiânica do Brasil e ao mesmo tempo semelhante à de religiões como o espiritismo, que pratica o chamado "passe". A pesquisa indica interferência favorável da técnica no tratamento de animais de laboratório com câncer. Depois de cinco dias de tratamento, o sistema imunológico dos animais foi examinado em laboratório. Resultado: os camundongos que receberam a energia das mãos apresentaram maior capacidade de destruir células cancerígenas. "Nós podemos, através desse tratamento por imposição de mãos, aumentar o poder de combate do sistema imunológico de qualquer ser", disse o biólogo. No Brasil, um estudo desenvolvido pela Universidade de São Paulo (USP) comprova que a imposição de mãos libera energia capaz de produzir bem-estar;

Passe espírita - Um estudo para desvendar a terapêutica energética do passe espírita na redução da ansiedade foi feito pela Faculdade de Medicina de Botucatu e durou dois anos. A técnica, originada das práticas de cura do cristianismo primitivo, consiste basicamente na imposição de mãos sobre uma pessoa, a fim de transferir boas energias e tratar o lado espiritual de quem recebe o "passe". "O objetivo da imposição de mãos é canalizar uma energia que vem do alto e fazer com que a pessoa troque as energias dela, de energias ruins pelas boas", explica o palestrante espírita Oceander Veschi. A iniciativa do estudo teve o objetivo de desvendar se a técnica empregada nas casas espíritas auxilia na diminuição desse problema de saúde tão comum. Os resultados foram considerados bastante positivos e a ideia é que o passe seja usado como terapia complementar no tratamento da ansiedade mas a ideia não é converter ninguém. "Escolhemos a ansiedade para o estudo porque muita gente sofre do transtorno", explica o médico infectologista Ricardo de Souza Cavalcante;

Deeksha - Mesmo sem a falta de comprovação sistemática, estudiosos admitem o efeito da deeksha ou bênção da unidade (oneness deeksha) no funcionamento cerebral. Entre eles está o psicólogo clínico Eric Hoffman, de Copenhague, na Dinamarca, que usou o leitor EEG (aparelho que mede em microvolts os impulsos eletromagnéticos do cérebro) para testar a energia neurológica de uma discípula de Amma Bhagavan. Outro estudioso, Andrew Newberg, professor de medicina nuclear na Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, usou o mesmo método para avaliar a atividade cerebral dos monges budistas tibetanos durante a meditação. Deeksha é a transferência da graça divina diretamente para o indivíduo. É uma vibração energética inteligente e sutil advinda da fonte da vida. Segundo Khrishna Ji, filho de Sri Amma e Sri Bhagavan e fundador da O&O Academy, o propósito primordial do fenômeno divino da Deeksha é a iluminação ou mukti. "A prática de transferência de energia ajuda a reduzir a ansiedade, despertar o eu interior e desbloquear emoções não resolvidas no inconsciente", explica a coach em meditação e espiritualidade Inaiá Bittencourt, diretora e cofundadora da Casa NaUnidade, em São Paulo;

Johrei - Estudo inédito do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP) e da Universidade do Arizona (Estados Unidos) aponta que o johrei - técnica milenar praticada na medicina oriental - pode ser a esperança para pacientes que sentem fortes dores no peito, mas não apresentam nenhuma doença que justifique as queixas de dor. Pelo estudo, a terapia alternativa mostrou-se eficaz em 90% dos casos avaliados. Para o gastroenterologista Tomás Navarro Rodrigues, as evidências da pesquisa abrem perspectivas para uma nova abordagem terapêutica.