57,7% dos eleitores são contra a flexibilização do porte de armasÍcone de fechar Fechar

PESQUISA DIÁRIO

57,7% dos eleitores são contra a flexibilização do porte de armas

66% das mulheres disseram ser contrárias ao porte de armas em casa. Já entre os homens 48,2% também são contra, conforme mostra pesquisa realizada pelo Diário; levantamento ouviu 402 pessoas em agosto


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Pesquisa feita pelo Diário mostra que 57,7% dos eleitores em Rio Preto são contrários à flexibilização de porte para cidadãos comuns e 32,8% são favoráveis. Outros 2% afirmaram ser "indiferentes" e 7,5% dos entrevistados não souberam ou não responderam. O porte autoriza o transporte da arma, inclusive, fora de casa.

O levantamento aponta que 66% das mulheres discordam da flexibilização do porte de armas, enquanto 23,3% delas são favoráveis. Entre os homens, 48,2% também são contrários, sendo que os favoráveis representaram 43,7% dos entrevistados.

A pesquisa foi realizada nos dias 24 e 25 de agosto, ou seja, após o presidente Jair Bolsonaro (PSL) editar diferentes decretos sobre o tema. Foram ouvidos pelo Instituto PHD, de Campinas, 402 eleitores. A margem de erro é de cinco pontos percentuais para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%.

Entre os eleitores católicos 60,4% afirmam ser contra o porte, enquanto 29,7% a favor. Já entre os evangélicos 58,1% se disseram contra e 32,7% se manifestaram favoráveis a proposta. Entre os espíritas a maioria, 51% são favoráveis e 46,6% são contra.

Levando em consideração a renda familiar 80% dos entrevistados, que alegaram receber um salário mínimo, afirmaram ser contra. Já entre aqueles que recebem acima de dez salários mínimos, apenas 25,2% também se posicionaram contra.

Clique na imagem para ampliar  (Foto: Reprodução)

Entre os jovens com idade de 16 a 24 anos, 26% afirmaram ser favoráveis à flexibilização do porte, enquanto que 58,5% é contra. Outros 15,5% dos eleitores mais jovens não souberam avaliar o tema.

Cruzamento

Eleitores que disseram votar no prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), se dividiram em relação ao assunto. Entre os entrevistados que alegaram votar em Edinho, 32% se declararam a favor da flexibilização do porte de arma, enquanto que 30,3% foram contra e outros 30,6% alegaram ser "indiferentes".

Já entre os eleitores do ex-prefeito Valdomiro Lopes (PSB), a maioria é contra 12,7% , enquanto 8,9% se dizem favoráveis. Já aqueles que alegaram votar em Orlando Bolçone, do mesmo partido de Valdomiro, 8% se posicionaram a favor e 3,7% contra.

A maioria dos eleitores que disse ter intenção de votar no vereador Renato Pupo (PSD), que é delegado da Polícia Civil, e na coronel da Polícia Militar Helena dos Santos Reis, 4,6% se posicionaram a favor da flexibilização do porte de armas.

Entre os eleitores do vereador Marco Rillo (PT) e o ex-deputado estadual João Paulo Rillo (PSOL), a maioria é contra o porte, respectivamente 3,1% e 6,5%.

Região

69,1% dos moradores do Jardim Itapema, Jardim Arroyo, Jardim Maria Lúcia, Dom Lafayete e Jardim Nunes se posicionaram contra a flexibilização do porte de armas. Já 41% dos entrevistados no bairros Nato Vetorasso, Jardim Antonieta, Jardim Vetorasso, Solo Sagrado e Vila União se disseram favoráveis.