Oferta de emprego reage na região de Rio PretoÍcone de fechar Fechar

CARTEIRA ASSINADA

Oferta de emprego reage na região de Rio Preto

Em agosto, os 37 municípios que fazem parte do levantamento mensal do Caged registraram um saldo de 1.507 vagas, resultado superior ao de julho, quando foram gerados 548 empregos


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

O emprego na região Noroeste paulista registrou bom desempenho em agosto. Levantamento com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, mostra que o saldo foi de 1.507, volume bem superior ao registrado em julho, quando o total observado em 37 municípios da região havia sido de 548 postos de trabalho.

O saldo regional foi resultado de 14.544 contratações e 13.037 demissões nos 37 municípios que fazem parte da pesquisa do Caged. No mês passado, a grande contribuição foi dada por Rio Preto, que registrou um saldo positivo de 802 vagas, provocado especialmente pelo setor de serviços.

Quando se exclui Rio Preto da análise - cidade que normalmente tem os maiores impactos no resultado total - a cidade que aparece com o melhor desempenho no mês passado foi Barretos, com saldo de 205 postos de trabalho. Foi o setor de serviços que garantiu a empregabilidade na cidade, com 139 oportunidades, seguido pela indústria, com 43.

Em Catanduva, cujo saldo no mês foram 198 postos de trabalho, foi o setor do comércio que mais contribuiu para o resultado, com 95 vagas. Em seguida, aparece o setor da indústria, com 71 vagas.

Olímpia foi o terceiro melhor colocado no ranking regional - exceto Rio Preto - com 102 vagas formais de trabalho, das quais 48 vieram da indústria e outras 34, do comércio.

O economista Bruno Sbrogio afirma que existe um cenário econômico de melhora na região. Embora não seja uma melhora vigorosa, os números apontam que existe consistência na criação de postos de trabalho. "É um número bastante positivo principalmente para o setor de serviços, que sofreu bastante na região durante a crise e que é o carro-chefe da cidade de Rio Preto. Porém, é observado que mesmo em cidades como Barretos houve uma melhora dos serviços, e isso é especialmente bom porque confirma a tendência regional".

O especialista acrescenta ainda que o setor de serviços sofre particularmente bastante porque tende a ser o primeiro item a ser cortado no momento de crise e de diminuição da renda. "Perceber que o setor voltou a contratar com um pouco mais de vigor indica que, em partes, uma parcela da população regional já volta a consumir serviços com mais regularidade".

Na outra ponta do ranking, aparece Valentim Gentil, em primeiro lugar, com saldo negativo de 75 vagas. A maior perda foi provocada pela indústria, com -74 vagas. Ilha Solteira aparece em seguida, com -39 vagas, das quais 37 também vieram do setor da indústria. Na terceira colocação aparece Fernandópolis, com saldo negativo de 35 vagas. Mais uma vez, a indústria teve o pior desempenho, com menos 56 empregos.

Clique na imagem para ampliar  (Foto: Reprodução)

Acumulado

No ano, a região de Rio Preto acumula um total de 11.618 vagas de trabalho, fruto de 128.615 contratações e 116.997 demissões. A primeira posição no ranking é de Bebedouro, que aparece com 2.655 vagas no período. Em seguida, aparece Rio Preto, com 2.048. A terceira colocação é de Catanduva, que registrou 964 vagas formais.

No período de 12 meses, a região registra 176.461 contratações e 170.965 desligamentos, o que resultou em um saldo de 5.496 empregos. Nessa leitura de tempo, mais uma vez, Bebedouro aparece em primeiro lugar, com 1.556 vagas. Rio Preto aparece em seguida, com 1.167 vagas. A terceira colocação é de Barretos, que registrou um saldo de 1.109 vagas.