Rio Preto confirma maisduas mortes por dengueÍcone de fechar Fechar

AS MARCAS DO AEDES

Rio Preto confirma maisduas mortes por dengue

Neste ano foram confirmados 32.461 casos e 284 seguem em investigação


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

A Secretaria de Saúde de Rio Preto confirmou nesta sexta-feira, 6, mais duas mortes por dengue na cidade. Os exames foram feitos pelo Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. Neste ano, 18 pessoas já perderam a vida com a doença, um número recorde desde que a série histórica começou, em 2000 - nos anos de 2010 e 2015 foram 11 óbitos.

De acordo com o comunicado da Saúde, as últimas vítimas a terem a morte confirmada pela doença são dois idosos: uma mulher de 80 anos que apresentou os primeiros sintomas de dengue em 1º de maio e um homem de 74 anos que teve os primeiros sinais em 24 de maio. Ambos possuíam problemas de saúde que foram agravados pelo vírus.

De acordo com o último boletim epidemiológico, divulgado em 30 de agosto, foram confirmados neste ano em Rio Preto 32.461 casos de dengue e 284 seguem em investigação. O número também é o maior da série histórica - até então o recorde havia acontecido em 2010, com 24.286 ocorrências positivas. Os casos positivos superaram em 62,3% as projeções mais altas da Secretaria de Saúde, que no início do ano estimou que seriam registrados 20 mil.

A pasta já sabia que em 2019 haveria uma epidemia desde o final do ano passado, quando o número de notificações começou a se avolumar e foi identificado que o tipo dois do vírus estava circulando na cidade - considerado mais agressivo e sintomático, não causava um surto há vários anos, por isso encontrou grande parte da população sem imunidade. Além disso, as temperaturas neste ano ficaram mais elevadas que o normal - somadas às chuvas, a receita perfeita para proliferação do Aedes aegypti.

No dia 15 de julho foi declarado o fim da epidemia na cidade, pois o número de notificações que passou a chegar a cada semana se igualou ao de períodos não epidêmicos. Enquanto em abril foram 11.755 notificações, em julho foram 778 e em agosto 217.

A saída da epidemia, no entanto, não representa o encerramento da transmissão da dengue, que é endêmica em Rio Preto - ou seja, circula durante todo o ano. A Saúde está monitorando os casos, a incidência de Aedes aegypti e os tipos de vírus circulantes para perceber a possibilidade de uma epidemia antes que ela tenha início.

 

  • 32.461 casos confirmados
  • 449 casos com sinais de alarme
  • 25 casos graves
  • 284 casos em investigação
  • 18 mortes

Sintomas da dengue

  • Os principais sinais da dengue são febre alta, dores musculares intensas, dor de cabeça, dor ao movimentar os olhos, mal estar, falta de apetite e manchas vermelhas pelo corpo

Sinais de alarme da dengue

  • Dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, hipotensão postural e/ou perda de força muscular, aumento do fígado com dores, hemorragias importantes, sonolência e/ou irritabilidade, diminuição da diurese, diminuição repentina da temperatura corpórea ou hipotermia, aumento repentino do hematócrito, queda abrupta de plaquetas e desconforto respiratório

Fontes: Secretaria de Saúde e Ministério da Saúde