Motorista de aplicativo é vítima de estupro em Rio PretoÍcone de fechar Fechar

VIOLÊNCIA

Motorista de aplicativo é vítima de estupro em Rio Preto

Suposto passageiro ainda roubou seu carro. Caso ocorreu na madrugada deste sábado, 20, às 3h40


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Na madrugada deste sábado, 21, por volta das 3h40, uma motorista de aplicativo de transporte foi abusada e roubada em uma corrida, em Rio Preto. Ela conseguiu escapar e evitar a relação sexual. Pela lei, mesmo que não haja conjunção carnal, o crime é de estupro se houver qualquer toque no corpo da vítima sem seu consentimento.

De acordo com o boletim de ocorrência, uma mulher, chamada Bianca, acionou uma corrida para o transporte de duas pessoas e a motorista aceitou a viagem. No local do embarque, no entanto, apenas um homem entrou no veículo, um Ford Ka cinza.

O homem embarcou no automóvel e, após alguns minutos de percurso, na rua João Chamas, no bairro São Francisco, o passageiro puxou o freio de mão do carro e enforcou a motorista. A mulher parou o veículo e ele começou a agarrá-la, passando a mão pelo seu corpo e seios, na tentativa de manter relação sexual com ela.

A vítima reagiu, conseguiu sair do carro e correu. O homem ligou o veículo e fugiu. Enquanto o boletim de ocorrência era registrado, o veículo foi encontrado, por policiais militares, abandonado na avenida Philadelpho Manoel Gouveia Neto. O carro estava danificado.

A motorista informou que o homem tinha cor parda, cerca de 1,70 metro, bigode e usava piercing no nariz e boné. O caso foi registrado como roubo e estupro e será investigado.

Posicionamento da empresa

Por meio de nota, a Uber afirma repudiar qualquer tipo de comportamento abusivo contra mulheres e acredita na importância de combater, coibir e denunciar casos de assédio. Conforme a empresa, nenhum comportamento dessa natureza é tolerado e tal conduta leva à desativação dos envolvidos - nesse caso, a conta da usuária que solicitou a viagem foi desativada assim que a empresa tomou conhecimento do episódio. A Uber também encoraja que as mulheres denunciem qualquer violência às autoridades competentes e permanece à disposição para colaborar com as investigações, na forma da lei.

A empresa defende que as mulheres têm o direito de ir e vir da maneira que quiserem e têm o direito de fazer isso em um ambiente seguro. A Uber anunciou um compromisso público para enfrentamento à violência contra a mulher no Brasil, materializado no investimento de R$ 1,55 milhão até 2020 em projetos elaborados ao longo dos últimos 18 meses em parceria com dez entidades que são referência no assunto.