Radialista de Tanabi é condenado por injúria racial Ícone de fechar Fechar

RACISMO

Radialista de Tanabi é condenado por injúria racial

O advogado Edmundo Maia dos Santos Júnior foi xingado em um áudio compartilhado pelo radialista em um grupo no WhatsApp


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

O radialista de Tanabi Luiz Carlos Correa foi condenado a pena de um ano e seis meses em regime aberto pelo crime de injúria racial contra o advogado Edmundo Maia dos Santos Junior, que foi xingado de pelo réu em um áudio compartilhado em um grupo no WhatsApp. O radialista nega a ofensa e vai recorrer da decisão.

A sentença em primeira instância saiu na semana passada, mas ainda não foi publicada no Diário Oficial e cabe recurso. Como a pena é em regime aberto, o radialista não vai ser preso, mas será obrigado a pagar um salário mínimo para entidade assistencial e fazer prestação de serviço a ONG a ser escolhida pelo Poder Judiciário.

Para o advogado Edmundo, a sentença é exemplar para Tanabi, porque pode encorajar outras vítimas em injúria racial a seguirem adiante com as denúncias até que virem processos judiciais.

Outro lado

O radialista Luiz Carlos Correa afirma que as frases contra o advogado Edmundo Maia dos Santos Junior, que constam no processo, foram retirada do áudio de uma conversa que manteve com seu advogado, mas que depois vazou.

"Xinguei ele pelo caráter e não pela etnia. Não sou racista. Minha ama de leite, que eu tanto gostava era negra. Tanto estou certo que o Ministério Público não recomendou minha condenação, mas vou entrar com recurso no Tribunal de Justiça para reverter a decisão em primeira instância", diz o radialista