Região tem 18 cidades com casos positivos de sarampoÍcone de fechar Fechar

VACINAÇÃO

Região tem 18 cidades com casos positivos de sarampo

Estado tem cinco mortes confirmadas, nenhuma na região de Rio Preto


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta quinta-feira, 26, novos casos de sarampo nas cidades de Bady Bassitt, Icém, José Bonifácio, Santa Adélia, Rubineia e Turmalina. Com o novo boletim epidemiológico, a região chega a 110 confirmações da doença em 18 municípios.

As cidades com maior número de pacientes são Fernandópolis (47) e Rio Preto (28). Há ocorrências também em Catanduva, Guapiaçu, Ibirá, Jales, Meridiano, Mirassol, Olímpia, Pereira Barreto, Tabapuã e Votuporanga.

No Estado de São Paulo inteiro são 5.139 casos, 2.897 (56,3%) na capital. No Estado foram confirmadas cinco mortes pela doença, sendo três em agosto: um homem de 42 anos, da capital, sem histórico da doença, e dois bebês (uma menina de quatro meses, de Osasco, e um garoto de nove meses, de São Paulo). Os outros dois óbitos foram confirmados nesta quarta-feira, 25: uma mulher de 31 anos sem histórico da vacinação e um bebê de 26 dias.

A faixa etária de 6 meses a 1 ano é considerada mais vulnerável a casos graves e óbitos, e representa cerca de 13% do total de casos registrados em SP, daí a importância da vacinação. Conforme determinação do Ministério da Saúde, estão sendo vacinados bebês de 6 a 11 meses de vida com uma chamada "dose zero". Depois, o calendário vacinal deve seguir normalmente, com uma dose aos 12 e outra aos 15 meses de vida.

A Secretaria de Estado da Saúde orienta os pais de bebês de 6 a 11 meses de idade a evitar exposição a aglomerações, manter higienização adequada e permanecer em ambientes ventilados. É preciso procurar um serviço de saúde tão logo apareça qualquer sintoma da doença, como manchas vermelhas pelo corpo, febre, coriza, conjuntivite e manchas brancas na mucosa bucal.

Em até 5% dos casos, mesmo quem tomou a vacina pode desenvolver a doença, porém a tendência é que ela surja sem gravidade. O sarampo é transmitido como a gripe - por fala, tosse, espirro ou respirar perto da pessoa contaminada.

A doença é altamente contagiosa - enquanto um caso de gripe H1N1 pode gerar outros cinco, cada ocorrência de sarampo pode ocasionar outras 22. O período de transmissão também é alto, de até 19 dias: até seis dias antes de aparecerem as manchas no corpo, o período que elas permanecem (de até sete dias) e até seis dias depois que elas vão embora. Ou seja: quando aparece o principal sinal do problema, o paciente pode já ter transmitido a doença para várias pessoas.

Quem tem até 29 anos só estará protegido se tiver duas doses da vacina contra a doença, que também protege contra rubéola e caxumba; dos 30 aos 59 anos uma dose é suficiente e idosos não precisam ser imunizados, pois possivelmente tiveram contato com o vírus quando ele circulou anteriormente.

 

  • Fernandópolis: 47
  • Rio Preto: 28
  • Votuporanga: 7
  • Catanduva e José Bonifácio: 4 casos cada
  • Bady Bassitt: 3
  • Icém, Jales, Meridiano, Mirassol, Santa Adélia: 2 casos cada
  • Guapiaçu, Ibirá, Olímpia, Pereira Barreto, Rubineia, Tabapuã e Turmalina: 1 caso cada

Total: 110 casos