Vereadores justificam ausência em sessão extraordinária Ícone de fechar Fechar
    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Quatro vereadores de Guapiaçu encaminharam ofício ao presidente da Câmara, Júnior Pereira Cardoso (PSBD), nesta quarta-feira, 14, informado que não iriam comparecer na sessão extraordinária marcada para avaliar parecer jurídico sobre denúncia de suposta infração política administrativa contra o prefeito Carlos Cesar Zaitune (MDB). O grupo afirma que tomou a decisão em curto espaço de tempo para análise do parecer elaborado pela Diretoria Jurídica sobre o assunto.

Alessandro Merighi Gilio (MDB), Cláudio Ventura de Lima (PHS), Eduardo Fernandes Gimenez (MDB) e Vanderlei Aparecido Perozin (PSD) informaram Cardoso que receberam o parecer apenas às 11 horas de ontem. O presidente do Legislativo é acusado por vereadores de marcar a sessão, um dia após a leitura do parecer, para tentar sufocar a possibilidade de abertura de uma Comissão Processante (CP) contra o prefeito.

Os parlamentares ausentes na sessão alegaram ainda no documento que o colega Juliano Vetorasso (PTB) está viajando e também não poderia participar da reunião. A Câmara possui nove vereadores.

De acordo com Ventura, o parecer indica que a representação feita pela técnica em enfermagem Ana Lucia Miranda possui provas ilícitas. Ela, que afirma ter mantido um relacionamento com Zaitune, protocolou áudios, mensagens e vídeos gravados a partir do WhatsApp. O prefeito apareceria se masturbando no seu gabinete no prédio do Executivo.

Cardoso afirmou que fez a sessão extra atendendo um pedido dos próprios vereadores. Ele disse que sua atuação foi dentro do previsto na lei. "Hoje vai ser votado. Não tem o que temer", afirmou o presidente da Casa.