Inadimplência escolar é a menor do EstadoÍcone de fechar Fechar

EDUCAÇÃO PRIVADA

Inadimplência escolar é a menor do Estado

Escolas já começam a fazer cálculos de reajuste da anuidade


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

A inadimplência nas escolas particulares de Rio Preto foi a menor do Estado de São Paulo no mês de junho. Pesquisa do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo (Sieeesp), divulgada nesta quarta-feira, 14, em Rio Preto, mostra que em junho o índice médio na cidade foi de 5,13%. Enquanto isso, no Estado, o índice médio de inadimplência chegou a 8,24%.

Desde o início de 2019, a média de calote nas escolas particulares vem caindo em Rio Preto. O pior índice foi registrado em janeiro, quando chegou a 7%; o segundo pico foi em março, quando totalizou 6,44%. A partir de então, o índice vem ficando na casa dos 5% ao mês. Na média do semestre, segundo cálculos do sindicato, o índice está em 5,8%, abaixo dos 6,6% registrados em igual período do ano passado.

No Estado, o pior desempenho foi registrado em Ribeirão Preto, de 11,71%. Em seguida, aparece Guarulhos, com índice de 9,8% e, na terceira pior colocação, Araçatuba, com 9,46%.

Para o vice-presidente da entidade, José Augusto de Mattos Lourenço, o ideal seria um índice médio abaixo de 5%, mas mesmo o índice de 8% não é algo assustador.

"De maneira geral, esperávamos que a inadimplência fosse maior nesse ano em função dos 12 milhões de desempregados, o que causaria um reflexo maior na escola particular, mas não ocorreu. E Rio Preto tem mantido um patamar baixo, um dos melhores do Estado", afirmou o vice-presidente do sindicato, José Augusto de Mattos Lourenço.

Segundo ele, está havendo um esforço grande dos pais para manter os filhos na escola, já que outros setores têm enfrentado uma situação pior do que o educacional. Ele destaca que a legislação determina que a escola permaneça com o aluno inadimplente durante um ano; só não é necessário renovar a matrícula se não houver o acerto da dívida acumulada. E, depois de 90 dias, o caminho é entrar com ação na Justiça.

"Normalmente acontecem os acordos. A orientação é que os pais que estejam com algum problema procurem a direção, conversem, discutam a possibilidade do parcelamento do débito. As escolas estão abertas", afirmou Lourenço.

Para a diretora da regional do Sieeesp de Rio Preto, Cenira Blanco Fernandes Lujan, a inadimplência controlada se deve à gestão mais profissional das empresas, o que acaba levando a números equilibrados, assim como a uma maior consciência do consumidor, de sua capacidade de pagamento. "A escola precisa entender o que está acontecendo com esse pai, sentir suas dificuldades e propor parcelamento ou medida que se encaixe no orçamento. Mas ele também precisa ter consciência se vai dar conta do valor que a escola propõe."

No Colégio São José, o índice tem se mantido dentro dos padrões, na casa dos 4% e a prática da escola é procurar oferecer facilidades aos pais que estejam enfrentando problemas. "Procuramos ouvir as famílias que nos procuram porque entendemos que se elas nos procuram é porque querem que o filho continue no colégio", afirmou Jesus Maria Martinez, diretor pedagógico.

Reajuste

O reajuste das anuidades nas escolas particulares para o ano que vem ainda está sendo definido pelas escolas. A entidade explica que não determina um índice. A decisão depende de cada escola, de sua planilha de custos, dos investimentos realizados e do contexto econômico. Entretanto, a expectativa é de que vá superar a inflação. "Dentro da perspectiva de inflação, do IGPM e do dólar em alta, as escolas devem fazer a análise de custo", orientou Lourenço.

Estatísticas

  • Alunos em Rio Preto - 35 mil
  • Alunos na região de Rio Preto - 56,8 mil
  • Alunos no Estado - 1,8 milhão
  • Escolas em Rio Preto - 160
  • Escolas na região de Rio Preto - 320
  • Escolas no Estado - 10 mil
  • Crescimento no número de alunos no Estado - 2%
  • Crescimento no número de alunos na região - 0,52%
  • Crescimento no número de alunos em Rio Preto - 1,02%

Inadimplência

(média em junho)

  • Rio Preto - 5,13%
  • Estado - 8,24%
  • Ribeirão Preto - 11,71%
  • Guarulhos - 9,80%
  • Araçatuba - 9,46%