Sensei Léo Mansor ensina conceitos do judô em escola municipalÍcone de fechar Fechar

Diário da Gratidão

Sensei Léo Mansor ensina conceitos do judô em escola municipal

Com cambalhotas e muita diversão, Léo Mansor dá aula de judô para a garotada da Joãozinho e Maria


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Respeito, boa educação e organização, aliados a cambalhotas e um divertido aquecimento fez do judô, histórica arte marcial japonesa, a luta favorita de toda a turminha da escola de educação infantil municipal Joãozinho e Maria, na Vila Ipiranga, nesta quarta-feira, 14. O responsável por deixar as crianças fãs da luta sem socos e chutes foi o sensei Léo Mansor, representante do Brasil em três campeonatos mundiais e um dos integrantes do grupo de 20 profissionais que participam da campanha "Doe seu tempo e seu conhecimento", parte do projeto Diário da Gratidão.

Vestido com seu quimono, Léo conquistou os pequenos logo de cara e iniciou a atividade com todas as crianças da escola falando sobre a origem do judô e apresentando uma katana, tradicional espada japonesa que era utilizada pelos samurais.

Impressionados, os alunos de 4, 5 e 6 anos que participaram da atividade olhavam encantados para a espada e também para as medalhas de vice-campeão e terceiro colocado nos campeonatos mundiais. O sensei deixou cada um segurar as medalhas.

Depois das apresentações iniciais e um pouco de história, Léo colocou os pequenos para se aquecer e aprender a cair sem se machucar.

Com todos prontos, o sensei organizou uma "super cambalhota". Palmas, risadas, pulos, as crianças não se continham de felicidade para realizar o movimento de rolar, tudo com a ajuda de Léo. Uma fila com toda a turma de alunos se formou no tatame e cada um fez sua cambalhota.

Quase vinte minutos depois de ajudar um por um a dar uma cambalhota, Léo posicionou as crianças nas laterais do tatame e explicou as regras do judô. No momento em que afirmou que a luta não poderia ter soco e nem chute, todos fizeram silêncio, espantados e curiosos para saber como funcionava a arte marcial.

Com a ajuda da pequena Manuela, 4 anos, o sensei ensinou a saudação inicial antes da luta, que deve ser feita pelos competidores, e demonstrou para todos que era possível lutar sem machucar o amigo.

Atentos, os pequenos repetiram os movimentos e "lutaram", entre si, aplicando as técnicas ensinadas. Por fim, Léo ainda passou outra lição importante do judô para os jovens: tudo o que eles usarem é preciso ser guardado e tudo que sujarem é preciso ser limpo.

"O brilho nos olhos deles é impagável. É importante que vejam alguém que possa ser um exemplo, uma figura que vai ser importante para o crescimento deles e que pode criar uma expectativa de trazer um futuro melhor. Quantos aqui, que estão participando do projeto, não podem se tornar um grande psicólogo, um artista, um escritor, um músico ou até um judoca de sucesso vendo esses exemplos dos profissionais que estão visitando eles nestas semanas? É muito gratificante fazer parte disso", contou.

Se os alunos da Joãozinho e Maria se divertiram e rolaram na aula de judô, ninguém também ficou parado nas escolas Anna Mantovani de Andrade e Bela Adormecida, nesta quarta-feira, 14, com as visitas do professor de badminton Roberto Leal e da treinadora de futebol Jéssica de Lima.

"Foi show. A criança é show. As professoras e coordenadoras foram muito receptivas e foi 'show de bola'. Fizemos várias práticas, um aquecimento e um joguinho entre eles. Foi interessante e todos ficaram querendo mais", disse Jéssica, sobre a atividade com as crianças da Bela Adormecida.

"Hoje eu dei uma recreação para eles com bexigas. Passei atividades de manipulação com as bexigas que simulam a peteca no badminton, uma noção espacial global, lateralidade e foco global ocular. Trabalhei interação, cooperação e fechamos com uma pequena competição por equipe", afirmou Roberto, que esteve na escola Anna Mantovani de Andrade.

Programação

Nesta quinta-feira, 15, a programação do Diário da Gratidão segue com uma data especial para a escola Peter Pan, que completa 54 anos e recebe as visitas da professora de damas Sueli Bessa e do músico Paulo de Tarso. Além dos dois profissionais, a psicóloga Kátia Ricardi vai até a escola Bela Adormecida, a jornalista Elma Bassan visita as crianças da escola Joãozinho e Maria e o músico Samuel Moreti dará seu show para a garotada da escola Anna Mantovani de Andrade. (MS)