Sua risada mais gostosaÍcone de fechar Fechar

Comportamento

Sua risada mais gostosa

Riso prolongado libera endorfinas e é mais benéfico quando acontece em um grupo


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Poucas coisas são tão gostosas e relaxantes quanto ouvir uma piada engraçada ou sentar com os amigos e rir durante horas com as lembranças de histórias antigas. Não há mistério nisso: quando rimos nos sentimos automaticamente melhores, mais leves, menos pressionados. Além de ser divertido, o que nem todo mundo sabe é que o riso também pode trazer benefícios para a saúde. E muitos. O bom humor e o riso colaboram para o melhor funcionamento do corpo e da mente, sendo um antídoto contra o estresse.

Um estudo da Universidade de Oxford, na Inglaterra, revelou que a gargalhada libera no organismo substâncias químicas que agem como analgésicos naturais. Segundo os pesquisadores, o efeito seria resultante do esvaziamento dos pulmões, que faz com que o corpo humano produza endorfina. Segundo o coordenador da pesquisa, Robin Dunbar, a risada incontrolável libera a substância química que não apenas gera certa euforia, como também atua como analgésico. Só que uma simples risada não resolve. É preciso gargalhar para fazer efeito.

Uma risada forte produz ondas cerebrais similares às que são vistas nas pessoas que alcançam um verdadeiro "estado de meditação". As descobertas provêm de uma pesquisa da Loma Linda University, da Califórnia do Sul, nos Estados Unidos. E todos os estudos mostram que rir em grupo traz ainda mais benefícios para o corpo e para a mente.

 

Emagrece

  • Pesquisadores da Universidade Vanderbilt, no Texas, nos Estados Unidos, concluíram que as pessoas que davam mais gargalhadas emagreceram cerca de 20% a mais do que as que não riam. Ainda segundo esse estudo, cerca de dez a 15 minutos de gargalhadas por dia podem fazer uma pessoa perder cerca de 1.120 calorias por ano. Isso porque a frequência cardíaca durante a risada aumenta;

Protege o coração

  • Rir ajuda a proteger o coração, como mostraram, foi comprovado por uma pesquisa da Universidade de Loma Linda, na Califórnia, e também por estudos realizados na Universidade de Maryland, ambas nos Estados Unidos. O primeiro estudo foi feito com dois grupos de pessoas que já haviam sofrido um ataque cardíaco. Um dos grupos era submetido a vídeos engraçados durante 20 minutos por dia, enquanto o outro, não. Os resultados obtidos, após um ano da experiência, comprovaram que as pessoas que assistiam aos vídeos apresentaram uma queda de mais de 65% na quantidade da proteína C - reativa no organismo. Essa proteína é uma espécie de marcador de inflamações e do risco de problemas cardiovasculares. O outro grupo teve uma queda de aproximadamente 25%.
  • No segundo estudo, os pesquisadores comprovaram que durante o riso a pressão sanguínea diminui, melhorando as funções musculares do coração, diminuindo as chances de infarto e doenças cardiovasculares. Isso porque quando começamos a rir o ritmo cardíaco aumenta, podendo assim circular o sangue de forma mais intensa, levando oxigênio para todos os órgãos do corpo;

Reduz a pressão arterial

  • Um estudo feito pela escola de medicina da Universidade de Baltimore, nos Estados Unidos, comprovou que as risadas faziam com que o fluxo de sangue aumentasse 22%, reduzindo a pressão arterial;

Estreita relações sociais

  • Os pesquisadores Erin A. Heerey e Helen M. Crossley concluíram, num estudo publicado na Inglaterra, que sorrir de forma espontânea gera empatia e otimismo em nós mesmos e em quem nos cerca. Esses bons sentimentos facilitam as relações de amizade e confiança;

Aumenta o colesterol bom

  • Rir ajuda a aumentar os níveis de colesterol bom, o HDL no sangue. É o que prova um trabalho da Universidade de Loma Linda, nos Estados Unidos. Durante um ano, os pesquisadores estimularam um grupo a dar gargalhadas. O resultado? Essas pessoas elevaram em até 26% seus níveis de HDL;

Reduz o estresse

  • O mesmo estudo feito pela Universidade de Loma Linda mostrou que rir também reduz o estresse. Rir reduz os níveis de cortisol e adrenalina, os chamados hormônios que provocam o estresse, além de liberar endorfina - hormônio associado ao relaxamento e ao prazer;

Diminui a dor e melhora o humor

  • Ainda falando sobre os benefícios da liberação da endorfina, um estudo feito na Inglaterra, pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, mostrou que rir pode diminuir a dor. Esse hormônio, além de melhorar o humor e dar a sensação de bem-estar e prazer ao organismo, ele também pode aliviar temporariamente algum tipo de dor que a pessoa esteja sentindo.