Retorno à essênciaÍcone de fechar Fechar

Saúde emocional

Retorno à essência

Cada um, independentemente da idade, carrega consigo a sua criança interior


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Desde muito cedo somos condicionados a nos concentrar no que não vai bem, nas coisas nas quais não somos tão bons assim, que não devemos fazer e somos estimulados a direcionar as energias e a atenção para a resolução de problemas. O resultado é que acabamos deixando de lado as potencialidades, os talentos, a coragem de experimentar, a espontaneidade, a iniciativa e nos esquecemos de ver muitas vezes os aspectos positivos.

"Quando nos tornamos adultos, acreditamos que a fase da infância ficou para trás. Entretanto, cada um de nós, independentemente da idade, carrega consigo a sua criança interior, aquele ser cheio de imaginação, de um olhar doce e ingênuo e que vê a vida de forma mais simples", afirma o coach José Roberto Marques. A criança interior é aquela parte infantil de nós que representa nossa capacidade de inocência, admiração, alegria, sensibilidade e diversão. "Portanto, ainda que tenhamos muitos desafios, é isso que faz com que não percamos a nossa essência e possamos voltar no tempo e reviver uma parte bonita de nós", diz.

"No decorrer da vida desenvolvemos um sistema de proteção, colocando máscaras e couraças para viver nos moldes e regras da sociedade. Assim, a nossa criança interior - o aspecto da nossa personalidade que mantém as características de alegria, criatividade, entusiasmo, encantamento frente à vida, abertura e confiança - vai sendo deixada em segundo plano, escondida e lentamente esquecida", explica o consultor organizacional Eduardo Shinyashiki, autor do livro "Transforme em sonhos sua vida" (ed. Gente).

Por isso, a importância de cuidar dessa criança: "consequentemente, estaremos cuidando da nossa paixão, energia e vontade de expandir nossos potenciais", complementa. A melhor maneira para reconstituir esse estado interior é praticar simples atos que gerem momentos de prazer e participar de atividades lúdicas que ativem nosso aspecto criativo e autêntico.

 

  • Não deixar de perceber os pequenos milagres que possibilitam o nascer de cada dia: comemorar os simples atos da vida e valorizar a simplicidade e as mínimas coisas que geram momentos de prazer;
  • Seja você mesmo: não precisa ser igual aos outros para ser realmente feliz e satisfeito. Precisamos ir ao encontro de nós mesmos, da nossa originalidade, autenticidade, criatividade, beleza e força;
  • Cuide de você e respeite suas necessidades: cultive os seus sonhos e os relacionamentos interpessoais verdadeiros e profundos para amar e ser amado;
  • Aproveite o momento presente: viva o presente, sem estar sempre preocupado com o futuro ou preso ao passado.

Fonte: Eduardo Shinyashik