SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | DOMINGO, 22 DE MAIO DE 2022
MUDANÇAS

Contran reduz horas para tirar CNH e torna o uso do simulador facultativo

Em abril, durante reunião do Contran que definiu as novas regras, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse que as mudanças ajudarão a desburocratizar etapas do processo de formação do condutor

Luna Kfouri
Publicado em 17/06/2019 às 10:33Atualizado em 09/06/2021 às 05:27
As medidas começam a valer no prazo de 90 dias a serem contados a partir de hoje - data em que a matéria foi publicada no DOU  (Freepik/Banco de imagens)

As medidas começam a valer no prazo de 90 dias a serem contados a partir de hoje - data em que a matéria foi publicada no DOU (Freepik/Banco de imagens)

Resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira,  17, torna facultativo o uso de simulador de direção veicular no processo de formação de condutores, para a obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

As novas regras preveem, ainda, redução de 25 para 20, no número de horas-aula (h/aula) práticas nas auto-escolas, para a categoria B da CNH. No caso da categoria A, serão necessárias pelo menos 15 h/aula. Em ambos casos, pelo menos 1h/aula terá de ser feita no período noturno. Para condutores de ciclomotores, a carga horária mínima será de 5h/aula.

As medidas começam a valer no prazo de 90 dias a serem contados a partir de hoje - data em que a matéria foi publicada no DOU.

Em abril, durante reunião do Contran que definiu as novas regras, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse que as mudanças ajudarão a desburocratizar etapas do processo de formação do condutor. "As decisões foram fruto de muita reflexão e estão sendo tomadas com toda responsabilidade."

Na oportunidade, ele argumentou que o simulador não teria eficácia comprovada. "Ninguém conseguiu demonstrar que isso tem importância para formação do condutor. Nos países ao redor do mundo, ele não é obrigatório, em países com excelentes níveis de segurança no trânsito também não há essa obrigatoriedade. Então, não há prejuízo para a formação do condutor", disse.

De acordo com o ministro, a medida visa reduzir a burocracia na retirada da habilitação. Ele disse que a decisão vai estimar uma redução de até 15% no valor cobrado nos centros de formação de condutores.

Uma das opções é tirar a segunda via da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) (Divulgação/Detran)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por