Diário da Região

18/05/2019 - 22h59min

PROCESSO SELETIVO

Como perder uma vaga em 7 passos

Especialistas em recursos humanos e gestão de pessoas listam as atitudes que podem arruinar suas chances de conseguir um emprego

Freepik/Banco de Imagens Lidar com a pressão de ser avaliado por um desconhecido enquanto fala de si mesmo pode causar bastante insegurança
Lidar com a pressão de ser avaliado por um desconhecido enquanto fala de si mesmo pode causar bastante insegurança

Passar por um processo seletivo é um momento cheio de altos e baixos: a alegria de ser chamado para a entrevista, o nervosismo diante do recrutador, a insegurança e, depois, a ansiedade até a resposta da empresa. Para alguns, apresentar suas qualidades profissionais pode ser algo simples. Para outros, no entanto, lidar com a pressão de ser avaliado por um desconhecido enquanto fala de si mesmo causa bastante insegurança.

Acontece que a postura do candidato frente ao recrutador conta muito durante o processo seletivo, podendo ser determinante para conseguir uma vaga – ou perdê-la. A técnica de enfermagem Carol Oliveira que o diga. Ao participar de uma entrevista, acabou se atrapalhando e ficou sem o trabalho. "Havia oito pessoas na sala disputando uma vaga. Foi pedido para que fizéssemos um desenho para apresentar. Eu, por não gostar de falar em público, fiquei nervosa e me atrapalhei muito", conta.

Com o alto nível de competição nos processos seletivos, pequenos detalhes podem tirar a vaga de um candidato, mesmo que a pessoa possua boas qualificações para o cargo. A aprovação do currículo é apenas a primeira fase, que fornece uma imagem profissional baseada em conhecimentos e experiências, mas é na entrevista ou na dinâmica de grupo que o recrutador consegue conhecer melhor os candidatos. Segundo consultora de gestão de pessoas Fabiana Moraes Amado, a avaliação de cada processo depende do tipo de vaga a ser ocupada e do estilo da empresa contratante. "Os critérios da entrevista são definidos no momento da abertura da vaga, em que serão analisados os pontos primordiais dos candidatos que serão avaliados", ressalta.

Como o candidato não sabe exatamente o que esperar desse encontro com o recrutador, é importante se preparar para não cometer os erros mais comuns durante o processo. Para a consultora, é normal querer impressionar, mas, para isso, não vale tudo. "Impressionar é bom, mas do jeito certo, sendo você mesmo e não forçando uma situação ou causando uma impressão de artificialidade", destaca.

A especialista em recursos humanos Ana Martinez acrescenta que o mais grave em qualquer processo seletivo são as mentiras, tanto no currículo quanto na entrevista. "Às vezes o candidato coloca informações para se dar bem e acaba se prejudicando", afirma. Segundo ela, além de valorizar as informações verdadeiras, também é importante ser objetivo ao se descrever. "Quanto mais objetividade melhor, a forma mais correta de impressionar é mostrando os resultados reais que adquiriu e atingiu nas empresas anteriores", finaliza.

Os erros mais comuns

1. Chegar atrasado

Chegar atrasado no processo seletivo pode ser prejudicial. O candidato deve contar com uma margem (de 10 a 15 minutos) de segurança para possíveis imprevistos, evitando assim o atraso.

2. Demonstrar desequilíbrio emocional

Ficar nervoso e ansioso é até normal e compreensivo. Mas, se isso chegar ao ponto de abalar seu comportamento, passará a imagem de insegurança, o que nenhuma empresa quer como característica dos profissionais que vão compor seu time.

3. Expressar-se mal

Os deslizes no português, além do uso de gírias e frases sem sentido pode deixar uma má impressão, visto que a comunicação oral é de extrema importância. É importante que o candidato tenha uma postura condizente com o que está buscando no mercado de trabalho.

4. Mentir sobre qualificações

A mentira afeta sua imagem durante o processo seletivo, o que pode levar a uma desqualificação para as próximas fases.

5. Falar mal do emprego ou do chefe anterior

Essa é uma atitude vista com maus olhos pelos recrutadores. Seja ético e mostre que possui valores e princípios que serão relevantes para enaltecer seu caráter e marketing pessoal.

6. Demonstrar ar de superioridade

O candidato a uma vaga não deve ser soberbo, demonstrando superioridade. Não é ético e é importante manter o respeito e a cordialidade como princípios fundamentais durante a conversa com o recrutador.

7. Não perguntar nada

Não se limite apenas a responder o que lhe foi perguntado. Interagir não só é a palavra de ordem, mas o comportamento esperado de um candidato a uma vaga no mercado de trabalho.

(Colaborou Alana Gabriela)

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso