Interdição vai fazer motorista dar muita voltaÍcone de fechar Fechar

O FECHA-FECHA DA BR-153

Interdição vai fazer motorista dar muita volta

Obras de duplicação da BR-153 vão fechar outro trecho que liga a rodovia a Rio Preto: a partir de terça, o acesso da avenida Danilo Galeazzi será interditado por um mês. Veja como vai ficar o trânsito no local


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

A saída da avenida Danilo Galeazzi que dá acesso à BR-153, em Rio Preto, será interditada a partir da próxima terça-feira, 14, em virtude das obras de duplicação da estrada. A previsão do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) é de que o bloqueio dure um mês. Com isso, motoristas que utilizam o trecho todos os dias terão de optar por rotas alternativas. Segundo a Secretaria Municipal de Trânsito, em dias úteis, o Volume Diário Médio (VDM) da avenida é de 4,8 mil veículos.

A interdição faz parte do cronograma de trabalho para a construção de um viaduto, onde está o trevo que dá acesso ao distrito de Talhado. Naquele ponto, o trecho final da Galeazzi será demolido para a avenida ser rebaixada. Com a conclusão do dispositivo, a via passará por baixo das pistas da BR. Apenas os motoristas que estiverem na BR-153, no sentido Onda Verde-Rio Preto, poderão acessar a avenida Danilo Galeazzi em direção aos bairros, por um acesso provisório.

O motorista que estiver no sentido Rio Preto-Onda Verde e quiser acessar a região dos bairros João Paulo 2º e São José do Rio Preto 1 terá de pegar rota alternativa. Uma delas é utilizar o viaduto da rua São Paulo - que fica a quatro quilômetros do trevo da Galeazzi com a BR - e ir por dentro da cidade. Outra opção é seguir pela BR e fazer o retorno que fica pouco antes do quilômetro 52 da rodovia - a passagem é por baixo da via e fica a 4,5 quilômetros do trevo com a Galeazzi.

Quem estiver naquela região da cidade e quiser acessar a rodovia terá de ir até o viaduto da rua São Paulo, já que a outra opção, o cruzamento da BR com a avenida Nossa Senhora da Paz, também está interditado para obras de duplicação. "Outra possibilidade é sair também pela rodovia Assis Chateaubriand. Precisamos fazer essas interdições para que tenhamos no futuro essas passagens com segurança, que vão diminuir o risco de acidentes", afirmou o secretário municipal de Trânsito, Amaury Hernandes.

Clique na imagem para ampliar  (Foto: Reprodução)

Os desvios estarão sinalizados. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, agentes da PRF farão ações de auxílio aos motoristas nos primeiros dias de bloqueio. "Um trecho em obra já exige atenção e nesses casos exige ainda mais atenção. Dentro disso, condutas que não respeitarem a sinalização poderão tipificar várias infrações", alertou o inspetor Eduardo Almeida.

O limite de velocidade na BR é de 80 km/h. No trevo de Talhado a velocidade máxima permitida já é reduzida a 60 km/h. "A previsão é que continue essa velocidade. Se necessário vamos baixar ainda mais. Mas se os motoristas se comprometerem com a velocidade, não será necessário", afirmou Almeida. Na região da avenida Nossa Senhora da Paz, a velocidade máxima é de 40 km/h.

Talhado

Por enquanto, o acesso no sentido ao distrito de Talhado e à região dos bairros Lealdade e Amizade não será afetado. Porém, os motoristas que vierem do distrito e quiserem acessar a avenida Galeazzi também terão de usar as rotas alternativas.

Outro ponto de interdição naquela região é na avenida marginal Belvedere. No sentido São Deocleciano-Talhado, o trecho está liberado. Já o sentido oposto está interditado também em decorrência das obras de duplicação da BR.

 

De acordo com o Dnit, o segmento três da obra, entre os quilômetros 64,2 e 72,1, próximo ao Iguatemi, é o mais adiantado com previsão de liberação total do tráfego do trecho no dia 25 do mês que vem.

O trecho que compreende as interdições das avenidas Danilo Galeazzi e Nossa Senhora da Paz está com 35% das obras executadas. O segundo lote com 40% dos trabalhos realizados.

Já em relação as 14 obras de artes (viadutos e passarelas), o Dnit informou que quatro estão em operação e outras duas serão liberadas neste mês. O órgão não informou quais serão concluídas.

Com previsão de liberação de todos os cerca de 18 quilômetros de duplicação para 12 de dezembro deste ano, a conclusão da obra ainda depende de um empenho de R$ 50 milhões por parte do Governo Federal.

A obra já gastou R$ 125 mi e possui outros R$ 49 milhões em caixa. "O Dnit já está tomando todas as medidas necessárias junto ao Ministério de Infraestrutura para a obtenção do montante (restante)", afirmou a nota.

O cruzamento da avenida Philadelpho Gouveia Neto com a rua Bernardino de Campos estará completamente interditado no sentido bairro-Centro, na manhã desta segunda-feira, 13, das 8h às 11h. No período da tarde, das 11h às 13h, a interdição será parcial. A interrupção ocorre por conta do recapeamento das obras do corredor de ônibus.

Outras ruas e avenidas de Rio Preto também passam por interdições. A Bernardino, no trecho entre a linha férrea e a Philadelpho, está fechada por obras do novo Terminal Urbano. O mesmo ocorre com a rua João Mesquita, entre a General e a Bernardino. A previsão é que ambos os trechos fiquem fechados por mais dois meses.

O bloqueio com maior previsão de duração é o da rua Capitão Faustino. O local deve permanecer com interrupções no tráfego até setembro em função das obras do complexo de viadutos da Mirassolândia e Domingos Falavina. (FP)

Viaduto que liga a rua capitão Faustino às avenidas Mirassolândia e Domingos Falavina

Interdição na rua Capitão Faustino - por mais quatro meses

Primeiro quarteirão da avenida Mirassolândia - por mais 25 dias

Obras do novo terminal urbano

Rua João Mesquita (entre a General e a Bernardino)

Rua Bernardino de Campos (entre a Praça Paul S. Harris, na linha do trem, até a avenida Philadelpho - por mais 60 dias

Obras do corredor de ônibus

Rua Bernardino de Campos (Parcial em pontos de um quarteirão) - por mais dois meses

*As interdições para recape são realizadas diariamente em trechos de um quarteirão e duram em média uma hora

O término das obras de duplicação da BR-153 está previsto para dezembro deste ano, mas depende de verba federal de R$ 50 milhões. Se isso não ocorrer, a entrega pode ficar apenas para 2020. Inicialmente, a previsão era 2018. No fim do próximo mês, de acordo com o Dnit, responsável pelas obras, será liberado o trecho da rodovia já duplicado próximo ao shopping Iguatemi, entre os quilômetros 64,2 e 72,1 - este é o segmento das obras mais adiantado.

Em relação às 14 obras de artes - viadutos e passarelas - o Dnit informou que quatro estão em operação e outras duas serão liberadas neste mês. O órgão não informou quais serão concluídas.

A obra já gastou R$ 125 milhões e possui outros R$ 49 milhões em caixa. Mas ainda são necessários outros R$ 50 milhões. "O Dnit já está tomando todas as medidas necessárias junto ao Ministério de Infraestrutura para a obtenção do montante (restante, para o término da obra)", afirmou a nota enviada pelo órgão. (FP)