Educação acessível e sem fronteirasÍcone de fechar Fechar

Geografia Online

Educação acessível e sem fronteiras

Professor rio-pretense participa de projeto para ministrar aulas de geografia online, diretamente da floresta amazônica


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Para romper as barreiras da sala de aula, o professor Jean Azevedo, que dá aulas de geografia, decidiu ensinar online, levando o conhecimento antes restrito às classes de escolas particulares para qualquer pessoa com interesse e acesso à internet. Agora, para romper as fronteiras da lousa, foi até a Amazônia para produzir um material sobre climatologia geográfica, voltado para o público jovem do ensino médio, graças a uma parceria com o Google, para uma nova plataforma do YouTube.

Jean faz parte da categoria "edutuber" há dois anos. São chamados assim os professores que dão aulas online pela plataforma YouTube Edu, um segmento do aplicativo que reúne conteúdos exclusivamente pedagógicos de diversas disciplinas. O projeto é uma parceria entre o Google e a Fundação Lemann, uma organização sem fins lucrativos.

Para fazer parte da plataforma YouTube Edu, o professor rio-pretense passou por uma curadoria de professores especialistas na disciplina, que avaliam o currículo pedagógico e a produção em vídeos. Já para integrar o time seleto de professores que farão parte do novo projeto do Google, Jean participou de um edital, para o qual teve de preencher requisitos como formação acadêmica, qualidade técnica dos vídeos, linguagem para a internet, presença ativa na plataforma, quantidade de visualizações, engajamento e retenção de público, entre outras coisas. "A partir dessa análise, fui selecionado na área de geografia para esse grande projeto financiado pelo Google, que será lançado nos próximos meses".

Trata-se do YouTube Cursos, uma nova plataforma que vai organizar os conteúdos por módulos de formação nos temas de escolha dos usuários. "A plataforma terá uma sequência lógica e didática, que conecta as aulas por temas, oferecendo um curso completo. Assim, o aluno terá de fato uma formação em cada área do conhecimento", explica Jean.

Embora o YouTube Cursos ainda não tenha divulgado a data de lançamento da nova plataforma, Jean já esteve na Amazônia para gravar a série de aulas sobre climatologia geográfica, que vai abordar conceitos como a diferença entre tempo e clima, relação entre clima e cultura, ciclo da borracha e muito mais.

Serão 12 episódios, publicados aos os domingos, às 20h. O primeiro foi ao ar no dia 20. Por enquanto, a série ficará disponível no canal do professor. Posteriormente, será lançada na nova plataforma.

 

O projeto do Google para o YouTube foi o que proporcionou que o professor estivesse na Amazônia pela primeira vez. Segundo ele, a primeira impressão foi bem diferente da imagem que habitava em seu imaginário. Ao visitar o MUSA, um Museu vivo no coração da Amazônia, relata ter ficado muito impressionado com a dualidade da região.

"Ao subir numa torre de quarenta metros dentro do Museu, de um lado eu via a imensidão da floresta, escutava os sons de diversos animais silvestres; e de outro, uma cidade viva, que é Manaus, com dois milhões de habitantes, vivendo as relações cotidianas normalmente, mas com uma consciência ambiental, cultural e alimentar que não encontramos em outras metrópoles e grandes estados, como São Paulo", avalia. "Foi uma quebra de paradigma. Lá vivenciei algo muito mais grandioso do que é possível imaginar lendo os livros didáticos."

De acordo com o último boletim do desmatamento do Imazon, instituto de pesquisa que promove conservação e desenvolvimento sustentável na Amazônia, somente em fevereiro, 93 km² de floresta foram desmatados. A maioria (69%) em áreas privadas ou sob diversos estágios de posse. O restante foi registrado em assentamentos (24%), unidades de conservação (4%) e terras indígenas (3%). (GG)

Com dois anos de existência, o canal JeanGrafia acumula mais de 37 mil inscritos e mais de um milhão e meio de visualizações, somando os views das 400 aulas online disponíveis. Hoje, Jean quase não frequenta a sala de aula pois optou por dedicar seu tempo e energia ao mundo virtual, acreditando que assim pode romper barreiras geográficas e também sociais. "Como professor de escola particular, as aulas me limitam a falar para cerca de vinte alunos de um determinado grupo social, enquanto na internet posso alcançar pessoas de todo o Brasil e de todas as classes e regiões, oferecendo ensino de qualidade gratuitamente."

Segundo Jean, a ideia das aulas online surgiu dentro da experiência em sala de aula. "Eu percebi que os alunos tinham dificuldade de estudar em casa, mergulhar nos livros, porque hoje o ambiente deles é digital. Então, por que não fazer parte e levar conteúdo de qualidade para um ambiente que realmente atrai os jovens?", justifica.

Se a princípio a ideia era criar um novo meio de comunicação com os alunos presenciais, aos poucos outras pessoas foram se interessando pelo conteúdo e se inscrevendo no canal. "Quando percebi essa ferramenta como uma possibilidade de ir mais longe, investi em equipamentos e comecei a profissionalizar meu canal, que hoje considero uma empresa".

Na sala de aula e na vida, Jean se define como um geógrafo empreendedor. Ele conta que escolheu a geografia porque a considera uma ciência completa; uma forma holística de ver e entender o mundo do ponto de vista das relações entre a natureza e o homem e vice-versa. "Eu não fico no mundo das ideias. Nas minhas aulas e na minha vida profissional eu quero não só discutir, mas também praticar. Quando prestava vestibular, eu já queria ser professor, mas um professor ativo na transformação da vida das pessoas. Entender esse mundo e propor soluções", afirma.

Jean também participa de uma plataforma de ensino online com mais de dois mil inscritos, chamada Gabaritageo, com conteúdo nas disciplinas de ciências humanas para quem pretende prestar vestibulares, concursos e Enem. Os cursos têm custos que variam conforme o objetivo da prova. (GG)