Conheça os 'ralos' de dinheiro de uma reforma e economize na obra Ícone de fechar Fechar

IMÓVEIS

Conheça os 'ralos' de dinheiro de uma reforma e economize na obra

Realizar a renovação do seu imóvel pode sair mais barato escolhendo materiais e profissionais de forma correta


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Quem já realizou alguma reforma em sua casa sabe que o processo é complicado e, se feito sem nenhum preparo, pode resultar em um gasto maior do que o planejado. Por esse motivo, para quem já lida com esse tipo de obra há algum tempo ou pretende começar agora, é muito importante aprender alguns macetes para gastar menos durante a renovação do seu imóvel.

Reformar o lar envolve muito mais do que inicialmente podemos imaginar. Para funcionar como o esperado, a ação vai muito além de apenas mudar partes da residência para deixá-las como desejamos: é necessário também todo um cuidado na escolha dos materiais e profissionais envolvidos no processo, além de um amplo planejamento de como tudo será feito para obter bons resultados e o mais próximo possível do que era esperado.

A funcionária pública Rosemary Garcia realizou a reforma de sua casa recentemente e, apesar de todos os obstáculos inesperados que surgiram, trazendo gastos extras, afirmou ter considerado a obra bastante tranquila. Contando com o auxílio de um arquiteto durante todo o processo, a funcionária pública ficou satisfeita com a escolha. “Foi primordial pois ele se encarregou de todos os profissionais que prestaram serviços, soube contornar situações inesperadas, ajudou na escolha do piso, cores das paredes e iluminação”, diz Rosemary.

Assim como uma obra iniciada do zero, a reforma, se feita de forma despreparada, pode resultar em danos e gastos desnecessários, que poderiam facilmente ser evitados com a ajuda de alguém especializado no assunto. Este será o responsável por planejar da melhor forma o projeto correto para o seu imóvel e consequentemente saberá tudo o que será necessário. Além disso, para facilitar a obra e evitar problemas futuros, há algumas dicas que você pode seguir e ter uma reforma muito mais tranquila e bem-sucedida:

Comprar piso a mais e em ponta de estoque

É comum pensarmos que o ideal na troca de piso é comprar somente a quantidade necessária para o revestimento, mas, segundo o arquiteto Junior Petrolini, é importante sempre comprar um pouco a mais. “Eu sempre recomendo 20% a mais. Nunca é recomendado comprar certinho a área do piso porque eventualmente pode dar uma manutenção um dia, pode quebrar um piso e precisar trocar. Pode inclusive durante a obra você vai assentando, faltar peças do piso e não ter mais para vender”, explica o arquiteto. Essa ação é arriscada, pois em caso de falta para compra na loja você pode até esperar por um novo lote do mesmo modelo, mas este pode vir com um tom diferente da fornada anterior e apresentar uma diferença na hora do assentamento.

Portanto, é indispensável que você saiba a metragem correta do local onde será trocado o piso, sem deixar de fora os rodapés. Assim você garante a quantidade ideal para assentar e ainda sobrar peças de piso para possíveis imprevistos futuros.

Além disso, outra dica importante é optar por pisos em ponta de estoque, a fim de economizar ainda mais. É comum que lojas desse material abaixem os preços quando determinado modelo diminui em estoque, o que acaba compensando dependendo de quantos metros você precisa assentar e barateia ainda mais a sua reforma.

Quantidade de profissionais e contrato por empreita

Em relação aos funcionários da obra, segundo o arquiteto, a quantidade de profissionais envolvidos irá depender da finalidade e necessidade que o cliente tem. Em casos onde há uma maior urgência pelo término da reforma, é normal que sejam contratados mais profissionais para a obra, porém, nesse caso, deve ser tomado um maior cuidado pois um número maior de pessoas envolvidas pode causar dificuldades na gestão, além de um certo desperdício de materiais.

E apesar de possuir a vantagem de diminuir o tempo de duração da obra, também é importante levar em consideração o tamanho do espaço físico onde ela será realizada. Ter muita gente trabalhando em um local pequeno pode atrapalhar o bom andamento da reforma. “Não adianta colocar o pedreiro, encanador, eletricista todos juntos, vai ficar um trombando com o outro e ninguém vai fazer o seu serviço. Aí entra a questão do cronograma de obra, tem que ter um gestor nessa obra, um arquiteto responsável, que vai controlando a ordem do que será feito”, aconselha Petrolini.

Já em relação a contratação de pedreiros, o mais indicado é sempre contratar por empreita. Contratando por hora você corre o risco de ficar à mercê da boa vontade do profissional, que caso não seja de sua total confiança, pode 'enrolar' o serviço para que fique ainda mais caro. Nesse caso, é importante que você conheça bem o histórico profissional do contratado.

Estilo acessível

Para quem quer adotar um certo estilo para a reforma sem gastar muito, o arquiteto recomenda apostar em uma linha mais rústica, cujo custo benefício pode ser bastante confortável ao bolso se escolhido de forma correta. É claro que certos materiais dessa linha ainda podem ser caros, como por exemplo as toras de madeira, porém, tijolos, texturas e porcelanatos que imitam cimento queimado possuem um preço mais baixo e podem ser favoráveis para a decoração.

Outra dica para gastar menos na hora de investir nesse tipo de obra é a forma de pagamento realizada. Não são todos que conseguem fazer um pagamento à vista na compra dos materiais necessários, mas, caso seja possível, o feito pode render a possibilidade de negociamento com as lojas, que costumam oferecer certo desconto em caso de compra a vista.

(Colaborou: Larissa Senigali)