Apostar na criação de aves ornamentais virou negócio lucrativoÍcone de fechar Fechar

OSTENTAÇÃO ANIMAL

Apostar na criação de aves ornamentais virou negócio lucrativo

Criadores da região lucram entre R$ 15 mil e R$ 20 mil ao mês com venda de aves ornamentais


    • São José do Rio Preto
    • máx min

Seja para embelezar uma propriedade ou pela simples vontade de ter um pet diferente, investir na criação de aves ornamentais é uma ótima opção de negócio para quem está à procura de um empreendimento.

Na região de Rio Preto, criadores já descobriram a rentabilidade do segmento e vêm investindo na criação desses animais. É o caso de João Valentim Prieto, 59 anos, que tem uma propriedade de três alqueires na rodovia vicinal Luiz Carlos Brandolezzi, em Potirendaba.

No local há pavões de todas as cores, marrecos, mandarins, carolinas, gansos, cisnes e uma variedade de psitacídeos (aves de bicos curvos). Para o criador, que chega a lucrar entre R$ 15 mil e R$ 20 mil por mês com as vendas, com a correria da vida urbana, cada vez mais pessoas optam por dias mais tranquilos, em chácaras, no campo. Esse público, além de hotéis fazenda, é responsável por alavancar o negócio adquirindo as aves ornamentais para cuidar e criar.

"É uma atividade que proporciona muito prazer e bem-estar. Focando na criação para esse público crescente, o investidor terá excelentes resultados", afirma. No sítio de Valentim, um casal de cisnes brancos chega a custar R$ 15 mil. Esse é o mesmo valor de um casal de cacatua. Porém, existem aves com preços mais baixos, como as carolinas, que custam R$ 350 o casal, e os mandarins, com preço estipulado em R$ 250 cada um. "Os pavões verdes, que têm uma alta procura, são vendidos a R$ 1,8 mil. Já os cisnes negros, R$ 4 mil", complementa.

Conforme Marcos Ricardo Prieto, 38, filho de Valentim, a propriedade conta, hoje, com mais de 80 espécies de aves ornamentais. Para ele, o investimento acessível é um dos principais motivadores para quem pretende iniciar uma criação com marrecos, pavões, gansos e psitacídeos.

De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com R$ 43 mil o interessado terá uma criação completa, com equipamentos, os casais de matrizes, viveiros e um pequeno lago.

Dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) indicam que, em 2017, o mercado pet apresentou uma ampliação de 4,9% em relação ao ano anterior. Ainda de acordo com a entidade, na comparação com outros países, o Brasil já é o terceiro maior mercado, depois de registrar faturamento superior a US$ 5 bilhões no ano passado.

Somente no caso das aves ornamentais, já são mais de 39 milhões delas totalmente domesticadas em todo o país. "A calopsita é a preferida por ser muito dócil e de fácil manejo", explica José Alonso Soler, 65, que cria aves ornamentais em Bálsamo.

Exigências

No Plano de Negócios para o setor elaborado pelo Sebrae, uma informação importante para os interessados: as licenças e autorizações para a criação de aves ornamentais devem ser retiradas no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) mais próximo. É o Ibama quem regulamenta e disciplina a criação de aves ornamentais no Brasil.

Localização

A escolha do local adequado é fator chave para o sucesso deste negócio. Recomenda-se que o espaço a ser ocupado para a criação das aves ornamentais seja amplo, tranquilo e não muito afastado dos grandes centros urbanos. De preferência o empreendedor deve escolher uma pequena chácara que possa ser visitada pelos clientes a qualquer dia e hora

Estrutura

É de extrema importância a correta instalação da infraestrutura básica para a criação e comercialização de aves ornamentais. A propriedade deve dispor de galpões adaptados às exigências de cada criação, separados para evitar conflito entre as aves

Pessoal

A necessidade por contratação de mão-de-obra cresce de acordo com o aumento da demanda, mas por se tratar de atividade altamente especializada, é muito importante que o empresário esteja atento ao processo de recrutamento

Equipamentos

É muito importante que o empresário visite outras criações semelhantes e também peça para ver os equipamentos dos fornecedores em funcionamento. É necessário definir com clareza as especificações técnicas, modelos, marcas, capacidades do processo para depois escolher os equipamentos, instalações e materiais diversos bem com as principais técnicas a serem adotadas Os equipamentos essenciais são:

  • Alimentadores
  • Bebedouros
  • Incubadoras e estufas
  • Gaiolas e viveiros

Fonte: Sebrae

Antes de iniciar, há dez anos, sua criação de aves ornamentais em Potirendaba, João Valentim Prieto era representante comercial em Rio Preto. A atividade profissional era a fonte do sustento de sua família, mas a correria e a rotina do dia a dia lhe renderam um grave problema de saúde.

Valentim teve de se submeter a duas grandes cirurgias. Depois disso, a depressão passou a ser companheira constante. Com o sítio da família parado, ganhou um casal de marrecos de um amigo e começou a criá-lo no local. Logo, adquiriu outras espécies.

O tempo foi passando, a saúde melhorando e, com o apoio do filho, o que até então era hobby passou a ser um grande negócio. Hoje, a família reside na propriedade e se orgulha da criação de aves ornamentais.

Na companhia de um funcionário, Valentim trabalha firme no espaço: roça, limpa, alimenta as aves, separa os filhotes e tem uma certeza: ter tomado a decisão correta na vida. "Financeiramente viável. Sem dúvida é um mercado em plena expansão, com boas possibilidades e que garante imenso prazer".

Entre seus maiores clientes, destaca duplas sertanejas famosas que querem os animais em suas propriedades, hotéis fazenda renomados no País e muitas famílias que habitam os grandes centros urbanos e que têm uma necessidade cada vez maior de se aproximar da natureza.

Tráfico

Para João Germano de Almeida, presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Aves (ABCaves), em São Paulo, não existem estatísticas confiáveis a respeito do tamanho deste mercado no País, uma vez que ainda é desconhecido o número de criadores. Porém, em menos de um ano, o registro de associados à entidade aumentou mais de 15%.

A informalidade na criação de aves ornamentais é uma preocupação para a associação. Isso porque, segundo Almeida, ela pode estar relacionada ao tráfico de animais silvestres, terceiro maior comércio ilegal do mundo, atrás somente do tráfico de drogas e de armas.

Estima-se que esse mercado ilegal movimente em todo o mundo uma quantia superior a US$ 15 bilhões ao ano, sendo US$ 2 bilhões apenas no Brasil. A rentabilidade, porém, é inversamente proporcional ao imenso prejuízo causado a diversas espécies de animais. "Estes dados demonstram a grande oportunidade que existe para o desenvolvimento de negócios associados à criação de aves ornamentais, que ao serem devidamente legalizados, podem tomar o espaço que vem sendo ocupado de forma clandestina", completa o presidente da ABCaves.