Diário da Região

05/12/2018 - 18h00min

DINHEIRO DO CASAL

Conta conjunta ou individual: o que é melhor na vida a dois?

Quando o dinheiro entra na relação, é importante conversar e cumprir o que for combinado

Pixabay / Domínio público Especialista fala sobre equilíbrio entre os casais quando o assunto é dinheiro
Especialista fala sobre equilíbrio entre os casais quando o assunto é dinheiro

Quando o casal decide avançar uma etapa no relacionamento, passando a dividir a mesma casa, é comum compartilhar também as despesas e, claro, os ganhos. Quando o bolso é um só para os dois, podem surgir motivos para brigas. As diferenças passam a sobressair e a questão do dinheiro começa a surgir. Mas, para evitar as discussões, o que é melhor: juntar os salários em uma conta só ou cada um ter e controlar seu próprio dinheiro?

Essa é a questão que muitos casais enfrentam no início da vida a dois e, se não for bem resolvida, pode até ocasionar o término da relação. A psicóloga e coach Silvia Homsi afirma que a escolha de manter o dinheiro em contas separadas ou juntas depende muito do casal, mas nos dois casos é possível ter uma boa relação. "Em primeiro lugar, o casal tem que conversar sempre. O diálogo é a coisa mais importante se tratando de dinheiro", afirma.

Ela ressalta que isso não vale apenas para a relação amorosa, mas também entre amigos e familiares: quando o relacionamento envolve dinheiro, a situação pode ficar conturbada.

Manter a calma para entender que essas coisas fazem parte da vida de um casal é uma boa alternativa. "Quando ambos trabalham dividem tudo, primeiro tem que sentar e fazer uma planilha. Saber quanto cada um está ganhando e qual é o gasto total da casa, incluindo as despesas com crianças, funcionários. Contas e dívidas devem ser conversadas para que não exista a coisa de jogar na cara", diz a especialista.

Estabilidade na relação

Uma das situações mais comuns é quando um dos dois começa descumprir o que foi combinado. Por exemplo, o casal divide as contas e, no final do mês, um deles chega e afirma que não tem a quantia necessária e deixa por isso mesmo.

Essa atitude, segundo a psicóloga, causa desconforto entre ambas as partes e gera discussão. "Estabilidade só existe se houver confiança e credibilidade, ou seja, o que cada um combinou que se mantenha, que as pessoas cumpram o que falam", comenta.

Vida financeira x vida amorosa

"É essencial manter a calma e o equilíbrio na relação. O casal precisa ter maturidade para lidar com as frustrações, com os desejos e saber o que é necessidade e o que não é. Em primeiro lugar o essencial é existir o diálogo e também saber quando deve abrir mão de alguma coisa", finaliza.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso