Escola de Rio Preto recebe visita do ministro da EducaçãoÍcone de fechar Fechar

MARIA PEREGRINA

Escola de Rio Preto recebe visita do ministro da Educação

Rossieli Soares esteve na escola Maria Peregrina neste domingo. Instituição passa por dificuldades financeiras e pede ajuda


    • São José do Rio Preto
    • máx min

A escola Maria Peregrina, em Rio Preto, recebeu neste domingo, 2, o ministro da Educação Rossieli Soares, que a partir de janeiro de 2019 assume a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. A visita ocorreu em meio à campanha SOS Maria Peregrina, que visa arrecadar fundos para que a instituição continue funcionando, já que tem sofrido com atrasos no repasse de valores da Nota Fiscal Paulista.

Acompanhado da esposa, o ministro chegou à escola por volta do meio dia e participou de uma solenidade no pátio da instituição, onde estavam presentes educadores, pais de alunos, crianças, adolescentes e autoridades do município. Em seguida, Soares conheceu as dependências do colégio, em uma visita guiada pelos próprios alunos, em especial pela "prefeita" da escola, a estudante Lara Arado, de 14 anos.

Durante a cerimônia, o ministro enalteceu o modelo de ensino adotado pela escola Maria Peregrina e elogiou também o fato de ser uma instituição aberta à família, que é incentivada a participar das atividades escolares semanalmente. "A transformação que os alunos têm na escola é para a vida, não é 'decoreba', não é somente para passar no vestibular. Essas coisas serão consequência", afirmou.

A Maria Peregrina se destaca por ser uma escola particular, mas sem mensalidade. Lá, o ensino é em tempo integral, baseado na chamada "pedagogia de projetos", de modo que a escola possa trabalhar a singularidade de cada estudante, sustentando o ensino na curiosidade do aluno.

Para o ministro da Educação, a implantação do método é fruto da coragem de ousar. "A gente não deve ter medo de transformar, de sair do comum, do dia a dia das nossas escolas. O Brasil inteiro precisa ter essa coragem para transformar", defendeu Soares.

O ex-conselheiro do Conselho Nacional de Educação, Francisco Cordão, ressaltou que a escola Maria Peregrina segue as bases do projeto pedagógico idealizado pelo educador Darcy Ribeiro. "Se ele estivesse vivo, ficaria muito feliz por saber que a escola que ele sempre sonhou existe", afirmou.

Evasão é desafio para futuro secretário

Futuro secretário da Educação do Estado de São Paulo, Soares afirmou que o governo deve ter como prioridade a aprendizagem dos alunos. "Não dá para uma criança chegar à escola e não aprender, não ter oportunidade". Ele disse também que o professor é peça fundamental nesse processo e defendeu a valorização da categoria. "Precisamos, como sociedade, mostrar a importância do professor dentro da sala de aula, do professor para a sociedade", acrescentou.

O atual ministro também citou como prioridades para sua futura gestão em São Paulo o ensino integral e a atenção que deve ser dada ao ensino médio. "Temos um desafio muito grande, porque há muitos jovens abandonando a escola. E isso é um prejuízo para o Estado, para o jovem, para a família e para a sociedade".

Segundo ele, a escola Maria Peregrina serve de inspiração para iniciativas que podem ser implantadas no estado ou até mesmo em nível nacional. "Escola não é depósito de criança. Não existe processo melhor na educação do que o envolvimento da escola com a família. Isso vale para qualquer lugar do mundo, para qualquer escola de sucesso", destacou.

Colégio pede ajuda para manter atividades

A Maria Peregrina enfrenta dificuldades financeiras e pode não abrir vagas para novos alunos no próximo ano. Por isso, a instituição lançou a campanha SOS Maria Peregrina, a fim de arrecadar fundos para manter suas atividades normalmente.

O fundador Max Wada explica que a instituição fez uma opção por caminhar na autossustentabilidade e que o desequilíbrio nas contas aconteceu devido ao atraso no repasse dos valores da Nota Fiscal Paulista, uma importante fonte de renda para a instituição, que não cobra mensalidade dos alunos, nem possui qualquer subsídio governamental.

Wada diz que, em 20 anos de funcionamento, esta não é a primeira vez que a escola passa por esse tipo de situação. Ele, no entanto, não aponta culpados e se mostra otimista, mesmo diante deste cenário. Ele acredita que a campanha dará bons frutos. "O povo de Rio Preto é fantástico e o poder público tem nos apoiado muito bem", acrescenta.

Como ajudar?

Para fazer a doação, basta acessar o site sos.mariaperegrina.org.br e clicar no botão "Quero fazer uma doação". Daí em diante, o site leva o usuário a uma plataforma onde ele pode escolher o valor que pretende doar, a partir de R$ 10, e a forma de pagamento: boleto ou cartão de crédito.