Diário da Região

11/10/2018 - 18h18min

CUIDADO

De onde vem aquele zumbido no ouvido?

Além de ser muito incômodo, esse zumbido pode representar sintomas de problemas mais graves

Pixabay/Domínio Público Além de incômodo, o zumbido no ouvido pode ser o sintoma de problemas mais graves
Além de incômodo, o zumbido no ouvido pode ser o sintoma de problemas mais graves

Quando você menos espera ele aparece. É um barulhinho chato e insistente que todo mundo chama de zumbido no ouvido. Esse zumbido pode ser grave como um motor ou agudo como um apito. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), até 2020 mais de ¼ da população mundial deve apresentar zumbido como um sintoma que prejudica a qualidade de vida.

O médico do Instituto Brasiliense de Otorrinolaringologia, Fayez Bahmad Jr, explica que o zumbido é uma tentativa do organismo em compensar a ausência do estimulo auditivo que deveria estar presente. Os motivos são vários: distúrbios de ansiedade e do sono, otosclerose, surdez súbita schwannoma vestibular ou neurinoma do acústico e, ainda, por otites médias ou crônicas.

“O zumbido é um dos sinais da otosclerose, causa comum de surdez progressiva, ocasionada por alterações no estribo que fazem com que ele se imobilize e transmita menos som para a cóclea", argumenta Fayez Bahmad Jr.

Segundo o médico, a surdez súbita é a instalação de perda auditiva em até três dias em três frequências de som em mais de 30 decibéis. Ele acrescenta que o zumbido é o primeiro sintoma do problema. Já o schwannoma vestibular ou neurinoma do acústico é um tumor que acomete uma região do crânio chamada ângulo ponto cerebelar e compromete progressivamente a função vestibular e auditiva, gerando zumbido, perda auditiva e tontura.

Em casos de zumbido causados por otites médias agudas ou crônicas, o profissional explica que “são inflamações que comprometem a orelha média, órgão responsável pela audição, e que muitas vezes fica ocupado por secreção, e esta secreção gera perda auditiva e o próprio zumbido".

Alguns tratamentos e medicamentos podem ser indicados para solucionar o problema. Porém, Fayez ressalta que estes apresentam também alguns efeitos adversos. Por isso, é importantíssimo consultar seu médico.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso