Diário da Região

14/10/2018 - 01h30min

ESCOLA DO BEM

Criador do Movimento Abraçar defende formação de valores até os 7 anos

Carlos Sebastião Andriani explica que, depois dessa idade, a rede de neurônios já está bem desenvolvida

Divulgação Professor Carlos Sebastião Andriani
Professor Carlos Sebastião Andriani

O alicerce da vida de uma criança - e de um adulto - é construído do momento em que ela nasce até os sete anos de idade. Esse período é o ideal para ensinar a ela os cinco valores da essência humana: amor, paz, verdade, ação correta e não violência.

É o que defende Carlos Sebastião Andriani, fundador da Associação Douglas Andreani (ADA), que mantém em Campinas a Creche Monte Cristo, e desenvolvedor do Movimento Abraçar.

Em fevereiro de 2019, quando começa o ano escolar, uma escola infantil de Rio Preto passará a contar com a mesma pedagogia, que segue o plano curricular do município e do Ministério da Educação e é alicerçado nos valores humanos. O Diário dará apoio editorial ao projeto.

Andriani explica que até por volta de um ano e seis meses de idade, o bebê recebe muitas impressões do meio em que está inserido, o que alimenta sua mente com informações do que lhe faz bem e o que lhe prejudica dentro de suas vivências.

“Isso vai gerando o desenvolvimento de uma rede neuronal. Aos três anos, ocorre um pico de sinapses [comunicação] de neurônios. Elas vão gerando as redes, criam avenidas, ruas, caminhos”, afirma.

As redes são formadas pela repetição de temas comuns - como o amor e a solidariedade, por exemplo. A criança aprende muito com o lado emocional e estabelece raciocínio por comparação entre o que ela está vivendo agora e experiências anteriores. Quando o pequeno chega aos sete anos, a rede de neurônios já está bem desenvolvida e são importantes as vivências que ele teve anteriormente.

“Nessa fase infantil, nós falamos que a criança escreve com letras de fogo sua vida em função de ser uma via mais emocional que racional”, diz o professor. “A gente sabe que os valores com o tempo vão dirigir a vida da criança e do adulto”.

Andriani acredita que se o pequeno não for educado em valores, em um ambiente amoroso em que possa desenvolver suas habilidades positivas, que são inerentes a todo ser humano, vai deixar transparecer seu lado biológico.

“A escuridão existe porque não se acende a luz. O caráter são os valores com que ele dirige a vida”, fala. “Se a educação contribui para plena expressão do potencial humano e esse amor está lá dentro, você cria ambiente para a criança expressar, ela é feliz com isso, ela é coerente com isso”.

O professor orienta que o educador não deve apenas ensinar por meio de palavras ou exemplos positivos. É preciso ensinar por meio de experiências: fazer o estudante perceber o quanto uma atitude negativa faz mal ao coração, ao contrário da positiva.

A criança vai desenvolver a capacidade do autoconhecimento. Se a ação que ela pratica está alinhada com sua essência, não haverá estresse nem angústia. “Estou de acordo com minha natureza. Como um carro, tenho um manual. Se teve angústia, está errado”.

Escola e família

O professor Andriani defende que a educação deve ser de responsabilidade da escola e da família. “Os pais têm que entender o projeto pedagógico”, afirma. Ou seja: a família tem que saber o que esperar do aluno quando ele sair da creche. Em Monte Cristo, em Campinas, a família é parte integrante até da avaliação do estudante.

Os valores essenciais

Millena Grigoleti 21/08/2018 Movimento Abraçar
Movimento Abraçar

Carlos Sebastião Andriani, desenvolvedor do Movimento Abraçar, explica que os valores da essência humana são aqueles que estão dentro de todas as pessoas. Eles não são delimitados por culturas. O amor, por exemplo, está dentro de todos, não importa se são moradores do Brasil ou do Japão. "A cultura é água e os valores humanos são óleo. Os dois estão dentro da consciência, mas não se misturam", exemplifica o professor.

Os valores podem até estar adormecidos dentro de cada um que vive sob um regime totalitário e opressor, mas continuam no interior de cada um. Basta estar em um ambiente que permita a expressão para que eles aflorem novamente.

"A cultura gera uma pressão de fora para dentro para o indivíduo agir de determinada forma, os valores da cultura mudam com o tempo. Os permanentes são os da essência. Nós temos um manual de conduta dentro de nós", diz Andriani.

O Movimento Abraçar

Atualmente, a metodologia do projeto atinge 4,1 mil crianças em Campinas e também nos estados do Ceará e do Pernambuco. O piloto em Rio Preto será implementado em uma escola de educação infantil, mas há possibilidade de ampliação para outras unidades.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso